Cadeias de valor no quênia

Passo a Passo 103 - Empreendedorismo

A Passo a Passo 103 está repleta de conselhos práticos sobre como gerir um negócio bem-sucedido.

Estudo de caso: Cadeias de valor no quênia

com Bertha Chunda 

Bertha Chunda

A organização Farm Concern International (FCI) é especializada em analisar cadeias de valor e ajudar os agricultores a acessar mercados. Eles incentivam as pessoas a produzir o que vende, ao invés de simplesmente tentarem vender o que sempre produziram. 

No subcondado de Marsabit, no norte do Quênia, as secas frequentes e a infraestrutura precária contribuíram para o alto nível de pobreza. A FCI tem trabalhado com comunidades em Marsabit para ajudá-las a encontrar formas de aumentar sua renda. 

Primeiro, a FCI analisou o mercado local para ver quais produtos estavam em demanda e quais provavelmente seriam os mais lucrativos para os agricultores. Depois de identificarem esses produtos, eles analisaram as cadeias de valor para ver onde eles poderiam fazer mudanças para agregar valor.

Mudança de culturas

A FCI descobriu que muitos agricultores estavam cultivando e vendendo feijão e milho – culturas que não crescem bem em regiões com pouca chuva. Além disso, o milho era vendido por apenas 46 xelins quenianos (KSH) por quilo nos mercados. No entanto, havia uma grande demanda por feijão-mungo, uma cultura tolerante à seca, adequada ao clima de Marsabit. O preço de mercado do feijão-mungo na alta estação era de 70 KSH por quilo, assim, os agricultores logo viram que seria mais lucrativo cultivá-lo.

Hakule Dida's income increased when she started growing green grams instead of maize and beans. Photo: Farm Concern International (FCI)
A renda de Hakule Dida aumentou quando ela começou a cultivar feijão-mungo ao invés de milho e feijão. Foto: Farm Concern International (FCI)

Novos produtos e soluções de transporte

Outro produto em potencial identificado pela FCI foi o leite de camelo. As famílias de Marsabit estavam produzindo leite de camelo mais do que suficiente para suas próprias necessidades e estavam jogando fora o excesso. A FCI sabia que o leite de camelo estava em alta demanda e que seria uma boa fonte de renda. 

Antes, os comerciantes não conseguiam obter o leite de camelo da área, porque este estragava enquanto eles o recolhiam dos agricultores individuais. Porém, a FCI ajudou os agricultores a organizar um ponto de coleta central. Eles ensinaram os agricultores a armazenar o leite em recipientes de aço inoxidável limpos, pois os recipientes de plástico faziam com que o leite estragasse antes de chegar ao mercado. 

Vínculo entre os agricultores e os mercados 

A terceira cadeia de valor que a FCI identificou para melhoria foi a das cabras e ovelhas. O mercado de gado ficava a dois dias de viagem, e os animais perdiam peso na viagem. Os agricultores tinham pouco poder de barganha e aceitavam um preço baixo por seu gado. No mercado, eles tinham que vender através de agentes, que tiravam uma fatia do dinheiro.

A FCI mobilizou as comunidades de Marsabit para formarem “Povoados Comerciais”, onde elas poderiam comercializar seus produtos juntas e aumentar seu poder de barganha. Através dos Povoados Comerciais, a FCI organizou reuniões entre os agricultores e os comerciantes locais. Os agricultores concordaram em levar seu gado até um local central em sua comunidade, o qual os comerciantes poderiam visitar para fazer suas compras. Isso economizou tempo e esforço tanto para os agricultores quanto para os comerciantes, e, assim, os agricultores passaram a obter um preço justo. 

Parcerias para a mudança 

Através dos Povoados Comerciais, a FCI também vinculou os membros da comunidade a outras organizações. Por exemplo, a FCI convidou os bancos a ir até os povoados e ensinar as pessoas a abrir uma conta bancária, bem como a importância da poupança. O Ministério da Agricultura forneceu treinamento sobre técnicas agrícolas. 

Uma comunidade transformada 

O projeto causou uma verdadeira mudança na vida das pessoas. Os níveis de renda familiar aumentaram significativamente. Em uma aldeia, a renda das mulheres aumentou de menos de US$ 1 por dia para pelo menos US$ 10 por dia com a venda do leite de camelo – e às vezes até US$ 30. 

A região era conhecida por seus conflitos tribais, mas o trabalho conjunto no projeto melhorou as relações entre as tribos e as religiões, bem como entre os homens e as mulheres. O índice de criminalidade caiu na área. Os jovens agora estão ativamente envolvidos em ganhar dinheiro e com menos propensão a recorrer a comportamentos negativos, como o abuso de drogas. 

Vários participantes comentaram: “A FCI mostrou o valor do que as pessoas já possuem. A maioria das ONGs traz coisas que não nos transformam, mas a FCI nos empoderou”.

Este estudo de caso foi compilado com base na pesquisa de Bertha Chunda, Assessora Global de Segurança Alimentar da Tearfund.

Site: www.farmconcern.org 
E-mail: bertha.chunda@tearfund.org

Para ler mais sobre como analisar as cadeias de valor, clique aqui.