Cartas

Ratoeira eficaz

Eu crio avestruzes em Zimbabué. Recentemente, apareceu uma quantidade demasiada de ratos, que chegaram a atacar até as avestruzes adultas. O veneno é muito caro e perdi algumas avestruzes pequenas que talvez tenham comido o veneno. Devido à minha preocupação, tentei fabricar uma ratoeira da qual tive conhecimento em Moçambique. Em 21 dias e com 9 ratoeiras, apanhei 934 ratos!

Para fabricar a ratoeira, é necessário um balde de 20 litros ou um pote grande de barro para conter a água. Enterre o balde ou o pote no chão, perto de tocas de ratos ou onde eles se alimentam. Corte as extremidades de uma espiga seca de milho. Enfie um arame grosso de 1 metro de comprimento na espiga. A espiga deve poder girar livremente. Prenda a espiga no centro do fio com pedaços pequenos de arame enrolado. Dobre o arame tal como mostra o desenho abaixo e enterre as extremidades no chão, de maneira firme, dos dois lados do balde. Coloque água suficiente dentro do balde para se ter uma profundidade de 15cm. Cubra a espiga todas as noites com manteiga de amendoim, posho, mingau de farinha de milho ou outro tipo de alimento que cole na espiga. Remova os ratos mortos todas as manhãs. A ratoeira funciona melhor em noite de lua nova.

 

Nick Dexter, PO Box AC 158, Ascot, Bulawayo, Zimbabué.

Rede de contacto no Oeste da África

Nós criamos um boletim informativo para mantermos contactos na nossa região de África de língua francesa, a qual está de momento sofrendo financeiramente. Nós gostaríamos de contactar com outros grupos semelhantes. Temos interesse em formar redes de contactos e incentivar a realização de treinamentos, seminários e conferências. Por exemplo, nós participamos recentemente em uma conferência de treinamento que foi realizada em Lomé, sobre o ‘Papel das ONGs para reforçar a democracia e promover os direitos humanos’.

Sr Ignace Djagnikpo, ONG-FAST-ENFACE-VIE, BP 4019, Lomé, Togo.

Animais como agentes fertilizadores

Os agricultores de Babanki Tungo, no noroeste da República dos Camarões, usam animais para aumentar a fertilidade do solo. Os agricultores constroem cercas ao redor dos terrenos inférteis que eles desejam começar a cultivar. Eles constroem uma cabana dentro do terreno cercado, para o vigia responsável por cuidar dos animais. Quando os agricultores não têm animais, eles fazem um acordo com os criadores de gado para que os animais permaneçam no terreno todas as noites. No final de cada dia, depois do gado ter pastado, os animais são levados ao terreno cercado, onde passam a noite.

Os agricultores estimam que demora três meses para que cinqüenta cabeças de gado, em um terreno de um hectare, forneçam urina e escrementos suficientes para que o terreno permaneça fértil por três ou quatro anos.

Esta técnica tem muitas vantagens:

  • O ambiente natural dos agricultores fornece todos os recursos necessários, com excepção de um saleiro, o qual eles precisam comprar.
  • Há um aumento na estrutura, textura e capacidade do solo em reter a água e resistir à erosão
  • Uma grande quantidade de fertilizante orgânico é espalhado sobre o campo. A produção dos agricultores é duplicada e até mesmo triplicada, em comparação com os outros agricultores.
  • Foi provado que os agricultores que usam esta técnica conseguem produções maiores do que uma pessoa que usa 17 sacos de fertilizante mineral por hectare, por ano.

Estas vantagens justificam o interesse do CIPCRE em promover esta técnica. O maior mérito desta técnica está no facto dela ter sido desenvolvida pelos próprios agricultores, sem a intervenção dos educadores rurais.

Magloire Ndjang, CIPCRE, BP 1256, Bafoussam, República dos Camarões.

Fax: (237) 44 66 69 Correio eletrônico: CIPCRE@geod.geonet.de

(Retirado da Ecovox no. 11 Janeiro a Março de 1997)

Goiaba gigante

Quando visitamos a aldeia de Lokando no ano passado, no Sudoeste da República dos Camarões, Takwi Ndiche, um assistente agrícola, mostrou-nos um exemplo impressionante de plantio ‘em associação’ na propriedade de Otte Aaron, o chefe da aldeia. Uma semente de ‘leucaena’ acabou caindo e germinando no mesmo vaso onde estava crescendo uma muda (um enxerto) de goiaba no viveiro. Quando elas foram transplantadas juntas para o solo, ambas cresceram vigorosamente. Em apenas sete meses, aquela goiabeira alcançou uma altura superior a dois metros, duas vezes maior do que as outras mudas (os outros enxertos) de goiabeira da aldeia alcançaram no mesmo período.

Bob Mann, Methodist Relief and Development Fund, 8 Upper Manor Road, Milford, Surrey, GU8 5JW, Grã-Bretanha.

Crianças e tabagismo

Há algum tempo atrás, a Passo a Passo publicou uma carta da Zâmbia, do Sr Richard Kandonga, que contava a dificuldade que ele estava encontrando em conseguir informações para alertar as pessoas sobre os perigos do tabagismo.

Este assunto tem sido uma preocupação da TALC, especialmente hoje em dia, quando as empresas de tabaco estão se esforçando tanto para vender os seus produtos aos países em desenvolvimento.

Nós temos o prazer de anunciar que acabamos de colocar no mercado uma série de slides chamada Crianças e Tabagismo, a qual descreve o desenvolvimento do hábito de fumar entre as crianças e dá sugestões sobre o que fazer para que as crianças parem de fumar.

A TALC também está planejando publicar um livro especialmente escrito para os países em desenvolvimento sobre os perigos causados à saúde pelo tabagismo, o qual deverá ficar pronto no final de 1998.

Dick Dawson, TALC, PO Box 49, St Albans, Herts AL1 5TX, Grã-Bretanha.

Desenvolvimento comunitário a partir da igreja

Obrigado por nos enviar a revista Passo a Passo. Eu me surpreendi ao ler o artigo da primeira página da edição 31 sobre ‘Desenvolvimento Comunitário a partir da Igreja’. Este conceito é bastante novo nesta parte do mundo. As pessoas acreditam que o desenvolvimento só é realizado pelas ONGs (geralmente estrangeiras e com muitos recursos) ou pelo governo. Recentemente, eu estive dando um curso sobre desenvolvimento comunitário a partir da igreja em um instituto bíblico, para criar uma visão sobre este assunto tão importante junto dos futuros líderes das igrejas. As pessoas que estiverem interessadas neste assunto poderão contactar-me.

Willem R Klaassen, Ministérios Rurais, PO Box 387, Veni, Suazilândia, África.

Campanhas sobre o leite em pó

Ficou claro que a propaganda das empresas fabricantes de leite em pó levaram algumas mães a pararem de amamentar ao peito. Apesar disso, muitas coisas têm sido feitas para promover o aleitamento materno como a melhor opção, concentrando-se nos resultados negativos da amamentação com biberão (mamadeira). Mas em muitas partes do mundo, especialmente por causa da AIDS (SIDA) e de outras epidemias, há muitos órfãos que só podem sobreviver através da amamentação com biberão. Apesar de ser indesejável, a amamentação com biberão não pode ser evitada, mas talvez o número de bebês que morrem por causa da diarréia (freqüentemente por causa dos biberões serem preparados com água contaminada) poderia ser diminuído.

Nós podemos sugerir que os fabricantes de leite em pó sejam desafiados a melhorar os sistemas de abastecimento de água, oferecer melhor saneamento e treinar as mães sobre como preparar os biberões de maneira segura?

Ronald e Theresa Watts, Hospital de Ngwelezana, P/ Bag X20021, Empangeni 3880, África do Sul.

Construa casas de pedras

A formação de clareiras nas florestas para a construção de casas é um problema sério que contribui para o desmatamento. Aqui em Merhabete, cada casa requer aproximadamente 400 estacas, o que causaria um desmatamento de um quarto de hectare.

Nós temos tido algum êxito ao incentivar as pessoas a construírem casas com pedras, usando argamassa de barro. Nós complementamos este trabalho através de um programa de reflorestamento.

Bekele Millian, PO Box 36, Alem Ketema, North Shoa, Etiópia.

Maracujá

Caso os leitores tenham começado a cultivar maracujá (Passo a Passo 31), talvez eles se interessem em saber que o maracujá contém muita vitamina C, ferro e niacina. Cada fruta contém cerca de 90 calorias.

Marilyn Gustafson, 2690 No Oxford St #205, St Paul, MN 55113-2027, EUA.

Como proteger sementes e cereais armazenados

Podemos usar pimentas fortes secas para impedir que os insectos ataquem sementes e cereais armazenados. Em primeiro lugar, seque as pimentas ao sol. Quando elas estiverem completamente secas, triture-as até formar um pó fino. Misture o pó com as sementes. Tome cuidado para que o pó não entre nos seus olhos, nariz ou boca. Ao invés de triturá-las, alguns agricultores misturam pimentas inteiras com as sementes.

Lave os cereais antes de cozinhá-los.

A L’Affut Paysans

Do Rural Radio Network No 34