Cuidados com o solo

Membros do grupo de “Cuidados Domiciliares Msongwe Gate” trabalhando na horta com cuidados do solo. Os camalhões marcadores podem ser vistos à esquerda e à direita na foto, plantados com capim vetiver. John Crossley
Membros do grupo de “Cuidados Domiciliares Msongwe Gate” trabalhando na horta com cuidados do solo. Os camalhões marcadores podem ser vistos à esquerda e à direita na foto, plantados com capim vetiver. John Crossley
John Crossley.

O desmatamento geralmente leva à erosão. Este artigo fala de um método para melhorar a fertilidade do solo para a agricultura.

Se você caminhar nas colinas do distrito de Nkhata Bay, no Malauí, verá encostas de colinas íngremes, com árvores cortadas e queimadas. Mais adiante, você verá culturas usando pequenos montes nos quais são plantadas mudas de mandioca. As cinzas das árvores queimadas proporcionam um impulso inicial na fertilidade, mas, em seguida, a erosão toma conta. Nenhum outro método de cultivo faz com que o solo seja levado pela água mais rapidamente do que este. Quando as chuvas fortes caem, a água serpenteia pelos montes, carregando o solo arável e deixando apenas areia grossa e pedras.

Um passo na direção certa

Este método foi substituído na maior parte do Malauí pelo cultivo sobre camalhões (ou leirões). Porém o efeito sobre o solo é quase tão ruim, pois os camalhões não seguem as curvas de nível como deveriam e geralmente são deixados abertos nas extremidades. Como as pessoas que capinam os camalhões caminham constantemente sobre eles, o solo é comprimido e endurece. Isto evita que a água entre no solo após uma chuva forte, as raízes não recebem água, esta é desperdiçada e a fertilidade do solo gradualmente se perde.

Há alguma maneira de cultivar o solo que requeira menos trabalho, mas melhore o solo e ajude-o a produzir mais culturas saudáveis?

Um grupo de seis voluntários do povoado de Msongwe, no Malauí, é responsável por prestar cuidados domiciliares a pessoas doentes no povoado. Eles conseguiram um terreno para cultivar alimentos para melhorar a dieta dos seus pacientes. Eles estavam ansiosos para evitar a perda de solo, pois sabiam o quanto isto está danificando a terra. Então, para conservar o solo e aumentar sua fertilidade, eles colocaram em prática um sistema baseado na orientação de um especialista em produção agrícola.

Método de canteiros profundos permanentes

O primeiro requisito dos cuidados do solo é que, mesmo depois de uma chuva forte, a quantidade máxima de água deve se infiltrar no solo sem escorrer pela superfície.

Primeiro foi usado um nível de linha para marcar as curvas de nível num terreno bastante íngreme, e foram construídos camalhões marcadores grandes (veja a ilustração e a fotografia). A seguir, foram preparados canteiros profundos permanentes. Estes canteiros correm paralelamente aos camalhões marcadores, seguindo a curva de nível, e o solo é afofado até uma profundidade de 60 cm (cerca de o dobro da distância do cotovelo até o pulso) com uma enxada. Isto quebra a camada de solo comprimido que geralmente se forma como resultado do método tradicional de trabalho do campo mencionado antes. Ao contrário, os canteiros profundos nunca são pisados, e a terra fofa faz com que toda a água da chuva se infiltre no solo e chegue até as raízes.

Fazer canteiros profundos requer muito trabalho, mas, uma vez construídos, eles não precisam do preparo anual do sistema de camalhões tradicional. Não é necessário cavar e virar o solo (lavoura). Os canteiros profundos só precisam de uma leve extração de ervas daninhas superficiais. Se possível, cubra-os com resíduos das colheitas, folhas e capim. Isto provê nutrientes para as culturas, mantém a umidade no solo e protege-o contra as ervas daninhas.

O grupo de cuidados domiciliares de Msongwe agora possui uma horta em que a chuva se infiltra no solo onde necessário. Não há:

  • alagamento
  • erosão
  • lama
  • perda de solo.

O grupo de Msongwe não usa fertilizantes químicos. Eles mantêm a fertilidade do solo fazendo e usando composto, fazendo a rotação das culturas e cultivando espécies agroflorestais, tais como a tephrosia, que traz nutrientes do fundo do solo para a superfície.

John Crossley é o Coordenador de conservação da Wildlife and Environmental Society, Mzuzu, Malauí. 

A Passo a Passo 15, sobre erosão do solo, e a Passo a Passo 70, sobre agricultura e a mudança climática, trazem informações sobre este tópico. As instruções sobre como medir as curvas de nível usando um esquadro de nível em forma de A são especialmente relevantes.