Dicas para o plantio de árvores

Steve Collins.

Infelizmente, a realidade é que uma parte considerável das milhões de árvores plantadas ao redor do mundo a cada ano não sobrevive o tempo suficiente para cumprir o propósito para o qual foi plantada. Como resultado, o tempo e os recursos das pessoas são desperdiçados, os problemas que o plantio de árvores deveria resolver continuam, e as pessoas freqüentemente ficam desapontadas e desiludidas. 

Aqui estão algumas dicas simples que deverão ajudar as comunidades e as organizações locais a planejarem e realizarem o trabalho de plantio de uma forma que resulte numa taxa mais alta de sobrevivência das árvores, num crescimento melhor e num senso de orgulho e realização real para as pessoas envolvidas. A maioria destas dicas também é relevante para indivíduos e famílias que desejem plantar árvores.

Propósito comum e apropriação

Os pontos de vista e as opiniões de todos os interessados nas árvores e na terra onde elas serão plantadas devem ser levados em consideração ao se determinar o propósito do plano de plantio e criá-lo. Entre estas pessoas, estão as mulheres e as crianças. Todas elas devem ter a oportunidade de expressar seus pontos de vista com liberdade, o que pode requerer organizar encontros separados ou individuais. Passar algum tempo descobrindo o que as pessoas pensam no início do projeto reduz o risco de surgirem problemas mais tarde.

“Pequeno e realizável” versus “de grande escala e excessivamente ambicioso”

O plantio de árvores em grande escala pode parecer a opção mais emocionante, mas, muitas vezes, é melhor plantar numa pequena área, mantê-la bem e ter um sucesso de pequena escala ao invés de tentar algo excessivamente ambicioso, que talvez não funcione. O fracasso pode resultar na desmoralização e na falta de interesse em plantar árvores no futuro.

Escolha um local que corresponda ao seu propósito

Considere coisas como a adequação do solo (fertilidade e profundidade), a exposição a ventos fortes, secos ou salgados e a distância da comunidade. Se estiver tentando reduzir a erosão, as circunstâncias podem lhe dar pouca escolha no que diz respeito ao local.   

Proteja as árvores

Pense sobre todas as coisas que poderiam danificar as árvores jovens. Gado? Cabras? Animais selvagens? Crianças brincando? Pessoas caminhando pelo local? Águas de inundação? Uma cerca ajudaria a manter as pessoas e os animais afastados? Se a resposta for sim, é melhor fazer a cerca antes de plantar as árvores. Colocar galhos de arbustos com espinhos ao redor das árvores ajuda a evitar que elas sejam comidas pelos animais. Se as árvores forem atacadas por formigas que se alimentam de folhas, plantar feijão-de-porco ou gergelim nas redondezas pode ajudar. A queimada é muitas vezes usada para controlar a vegetação e estimular o crescimento de capim novo para a pastagem, mas, se o fogo se alastrar para a área onde as árvores foram plantadas, ele poderá destruir rapidamente todo o seu trabalho árduo. Informe a comunidade sobre as conseqüências de iniciar uma queimada descontrolada e considere a possibilidade de abrir e manter um corta-fogo ao redor da área de plantio para que o fogo não se alastre por ela. Veja Prevenção de incêndios para obter mais informações. 

Novo plantio ou regeneração natural?  

Se as espécies arbóreas que você quer plantar existirem nas redondezas, e as sementes estiverem se espalhando e crescendo pelo local escolhido, talvez você não precise plantar nada. Cuidar de mudas pequenas, que estejam se regenerando naturalmente, pode ser mais eficaz do que plantar novas mudas. Ou você pode decidir fazer uma combinação de plantio e regeneração natural. 

Extração de ervas daninhas e manutenção  

O capim e outras plantas que crescem ao redor das árvores pequenas competem pela luz, pela água e pelos nutrientes. O ideal é eliminar qualquer planta rival dentro de um raio de 50 cm do caule principal da árvore. Colocar ervas daninhas cortadas e outras matérias orgânicas ao redor da base da árvore pode ajudar a evitar o crescimento de mais ervas daninhas e reduzir a evaporação de água do solo. Isto pode ajudar também a proteger as árvores contra cupins, pois alguns tipos preferem comer matéria vegetal morta.  

Será necessário extrair as ervas daninhas, verificar e fazer reparos regularmente até que as árvores estejam grandes o suficiente para sobreviverem e continuarem crescendo sozinhas. Isto pode levar até três ou quatro anos após o plantio. A regeneração natural freqüentemente leva menos tempo, pois o crescimento tende a ser mais rápido.  

Certifique-se de que alguém verifique as árvores regularmente e de que quaisquer danos nas cercas ou em outras formas de proteção sejam consertados o mais rápido possível. Uma cabra ou uma vaca pode comer e danificar seriamente ou matar muitas árvores em pouco tempo! 

Plante na época certa do ano

As mudas de árvore precisam de tempo e das condições certas para se adaptarem ao seu novo “lar” após o plantio. Água adequada e proteção são essenciais durante este período de adaptação, especialmente durante o primeiro ano. Plantar no início da estação das chuvas geralmente é o melhor, pois proporciona o máximo de tempo para um bom crescimento, especialmente o crescimento das raízes, antes do início do tempo mais seco. As mudas podem sofrer danos relacionados com as condições meteorológicas, como, por exemplo, danos causados por ventos fortes ou águas de inundação, portanto, cuide para escolher uma estação de plantio que dê o máximo de tempo possível para que as mudas cresçam antes que as condições meteorológicas prejudiciais ocorram. 

Escolha as espécies arbóreas certas

Escolha tipos de árvores que você sabe que crescerão bem e alcançarão o seu propósito. Freqüentemente você verá que as espécies nativas são adequadas. Se estiver tentando reduzir a erosão, escolha árvores que cresçam rapidamente e tenham sistemas de raízes fortes.

Boas mudas

Use mudas saudáveis de um viveiro local. Estas têm mais chance de sobreviver. As plantas maiores sofrem mais durante o processo de “transplante”. O melhor tamanho de muda geralmente é entre 30 e 90 cm de altura.  

Reflita e aprenda com o que acontecer

Durante os dois ou três primeiros anos após o plantio, reserve ocasionalmente algum tempo para que a comunidade reflita sobre o que funcionou, o que não funcionou e por quê. Identifique lições que possam ser aprendidas e aplique-as na próxima vez que plantar árvores.

Plantio cuidadoso  

Não deixe cair, não atire e não empilhe as mudas umas em cima das outras ao transportá-las do viveiro para o local de plantio. Isto pode danificar as plantas sem que os danos sejam visíveis. Cubra-as e evite que elas fiquem expostas ao calor durante o transporte. Evite expor as raízes macias ao ar. Não as deixe secar. Após o plantio, pressione o solo ao redor da muda firmemente com o pé para ter certeza de que não ficou nenhuma bolsa de ar ao redor das raízes minúsculas. Se possível, ágüe cada árvore depois de plantá-la, mas não a inunde. Várias xícaras de água devem ser o suficiente. 

Steve Collins é o atual Representante Nacional da Tearfund para o Nepal, tendo previamente trabalhado como Consultor Florestal na Escócia e Assessor Ambiental em Honduras.

Artigo pdf (PDF 363 KB)