Entrevista: Uma nova perspectiva para o lixo no congo

Passo a Passo 103 - Empreendedorismo

A Passo a Passo 103 está repleta de conselhos práticos sobre como gerir um negócio bem-sucedido.

 Joël Tembo Vwira set up the first waste management company in Goma. Photo: Business and Services Company
Joël Tembo Vwira criou a primeira empresa de gestão de lixo em Goma. Foto: Business and Services Company

Entrevista: Uma nova perspectiva para o lixo no congo

Joël Tembo Vwira iniciou a primeira empresa de gestão de resíduos na cidade de Goma, República Democrática do Congo (RDC). Nesta entrevista, ele compartilha sua experiência do crescimento surpreendente de sua empresa… 

Qual era a situação em Goma antes de você começar sua empresa? 

Em 2008, Goma era uma cidade em crescimento, com 600 mil pessoas, sem nenhum sistema de manejo de resíduos. Havia uma montanha de lixo em quase todas as partes. Sempre tive paixão pela limpeza e pelo empreendedorismo desde jovem e sentia-me inspirado para encontrar uma solução. 

Como você iniciou sua empresa de coleta de lixo? 

Primeiro fizemos uma pesquisa de mercado. Dez voluntários perguntaram a 500 famílias e 50 empresas se elas estariam dispostas a pagar pela coleta de lixo. A seguir, fui a Nairobi, no Quênia, para aprender como se faz a coleta de lixo em uma cidade. Depois disso, nós elaboramos um plano de coleta de lixo para Goma e a apresentamos às autoridades locais. Organizamos um depósito de lixo oficial, onde os resíduos poderiam ser classificados e reciclados sempre que possível. 

Conscientizamos a comunidade usando dramatizações no rádio, panfletos, reuniões presenciais e seminários nas igrejas. Para arrecadar dinheiro para iniciar a empresa, vendemos ações da empresa a pessoas interessadas, principalmente membros da minha igreja. 

Começamos com apenas 13 famílias, em agosto de 2008, mas alguns meses mais tarde, no início de 2009, já havia mais de 500 famílias e 20 empresas usando o serviço. Atualmente, a empresa atende a mais de 1.000 famílias e 100 empresas. 

Quais foram os desafios e os sucessos? 

Algumas pessoas da comunidade demoraram a responder. Havia falta de infraestrutura básica, como, por exemplo, boas estradas. Tínhamos recursos limitados para comprar equipamentos adequados. 

No entanto, tivemos o apoio das universidades locais, que enviaram estudantes para aprender com nossas atividades. As mídias locais, nacionais e internacionais interessaram-se em compartilhar nossa história. Conseguimos conectar-nos com iniciativas como o programa Inspired Individuals (Indivíduos Inspirados), da Tearfund, a Rede Cuidado com a Criação e a Connective Cities (uma organização que liga pessoas alemãs e africanas envolvidas no desenvolvimento de suas cidades). 

Por que você decidiu mudar seu foco para a reciclagem? 

Após oito anos, havia cerca de dez outras empresas que faziam coleta de lixo em Goma, inspiradas em nossa iniciativa. A essa altura eu tinha visto as oportunidades de reciclagem em outras cidades ao redor do mundo, graças à Connective Cities. Achei que seria melhor mudar para a reciclagem de lixo, pois esta era menos comum nas cidades africanas. 

Criei uma nova empresa, a Great Vision Business, e comecei a procurar indústrias de reciclagem que precisassem de resíduos como matérias-primas (papel, plásticos, pilhas, etc.). A seguir, assinei contratos com essas empresas para ser seu fornecedor. 

A empresa aumentou a conscientização sobre a proteção ao meio ambiente através da reciclagem adequada. Graças ao nosso trabalho, muitas escolas e grandes empresas introduziram uma política de reciclagem de papel. Sinto que criamos uma nova cultura. 

O que significa para você ser um cristão envolvido em negócios? 

Ser cristão inspira-me a fazer negócios de forma diferente. Além de trabalhar duro para obter lucro (como todos os empresários fazem), minha prioridade é garantir que minha empresa sirva de solução para um problema comunitário. Algumas empresas maximizam seus lucros sonegando impostos ou sendo desonestas, mas, como cristãos, devemos fazer o que é certo, mesmo que às vezes tenhamos prejuízos. 

Também temos a responsabilidade de devolver à comunidade, compartilhando parte da renda através de projetos de desenvolvimento comunitário. Devemos cuidar do bem-estar humano, bem como proteger o meio ambiente no ciclo de produção. Para isso, minha empresa administra uma escola de negócios que visa reduzir o desemprego juvenil através do empreendedorismo. Oferecemos um curso de treinamento de três meses, com mentores individuais. 

E-mail: joelvwira@gmail.com
Site: www.greatvisionbusiness.com