Vedação de viveiros de peixes

Poucos agricultores usam a aquacultura na América Latina, apesar de que poderia ter ali um grande potencial. Uma das razões é porque, freqüentemente os solos são demasiadamente porosos – eles não contêm bem a água. É possível se fazer revestimentos artificiais – usando-se polietileno ou placas de borracha ou cimento. No entanto, estes métodos são caros.

Revestimento com estrume

Há uma maneira de se vedar viveiros que não custa nada. Não é um método novo – foi primeiramente usado na Rússia mas foi redescoberto e adaptado.

  • Cave o viveiro e amasse bem o solo.
  • Retire pedras e rochas do viveiro.
  • Cubra o fundo e os lados com uma camada grossa (2–3cm) de estrume fresco – estrume de porco é o melhor.
  • Cubra o estrume com uma camada de grama cortada ou folhas cortadas bem finas (de bananeira, por exemplo).
  • Adicione uma camada de terra e aperte tudo firmemente. Você pode usar os seus pés para amassar as camadas. A terra mantém o ar fora e permite que ocorra um processo biológico conhecido como ‘gleying’.
  • Deixe secar durante 2–3 semanas sem mexer nas camadas. Não tente isto na estação chuvosa.

Depois de 2–3 semanas, encha o viveiro com água. Testes usando este método foram feitos com grande sucesso na Costa Rica e em solo arenoso em ECHO na Flórida, EUA.

Você precisará ser cuidadoso para não mexer no fundo do viveiro demasiadamente, cavando o barro do fundo, caminhando ou misturando-o com varas. Tente este método primeiro em um viveiro pequeno.

Revestimento de barro

Outro método ‘tradicional’ de tornar o viveiro à prova de água foi usado muitos séculos atrás no Reino Unido. Viveiros de condensação foram construídos nos terrenos calcários, que normalmente não contêm nenhuma água.

  • O local do viveiro é preparado como acima.
  • Uma camada grossa de limo (2–4cm) é adicionada para prevenir danos causados por minhocas.
  • Barro pesado é então extraído e transportado de um outro local e amassado com os pés – começando o trabalho do centro para fora. A camada de barro deve ser de pelo menos 5–6cm de espessura e deve ser mantida molhada o tempo todo.
  • Quando for adicionado mais barro, o centro do viveiro deve ser mantido cheio de água. Se o barro secar, ele passa a rachar e a vazar.

Séculos mais tarde, muitos destes viveiros de condensação ainda estão em uso para o gado.

Informações sobre ‘gleying’ são provenientes da ECHO, EUA e William McLarney e J Robert Hunter. Informações sobre viveiros do tipo húmido são provenientes de Mike Withers, Bishop Burton College, Beverley, North Humberside, Reino Unido.