Cozinhando com as folhas da mandioca

Ao ler a Passo a Passo 43, sobre o incentivo à mudança, um leitor do Quênia quis saber se as folhas da mandioca eram comestíveis. Duas pessoas responderam, enviando receitas. O Sr Kabangu diz, ‘A maioria das pessoas no nosso país (a República Democrática do Congo) comem-nas como uma verdura básica.’ Ele compartilha o método mais comum usado na região de Bunia, onde vive. O Sr Ramampiandra, de Madagascar, diz que as folhas da mandioca são bastante usadas no seu país.

Preparação

  • Remova as folhas velhas e os talos até ter dez punhados de folhas novas, o suficiente para uma refeição para três ou quatro pessoas.
  • Aqueça uma panela com água (cinco litros) até ferver.
  • Coloque os punhados de folhas de mandioca dentro da água por 4–5 minutos, para retirar o veneno. Depois, esprema-as com força, para tirar todo o líquido verde das folhas, e, então, coloque-as numa prateleira limpa, para arrefecer.
  • Moa as folhas num pilão limpo.

Primeira receita

  • Acrescente cebola, alho-porro ou berinjela, se houver.
  • Coloque tudo numa panela com água suficiente para cobrir as folhas de mandioca moídas. Aqueça tudo por 10–15 minutos e, então, coloque um pouco de sal e, pelo menos, 40ml de óleo de palma não refinado (ou qualquer outro óleo vegetal não tratado).
  • Vede bem a panela e deixe em fogo brando por, pelo menos, uma hora.
  • Sirva com pratos como arroz, bananas, chikwange ou pasta de fufu, preparada com farinha de mandioca.

Segunda receita

Cozinhe as folhas de mandioca moídas com pedaços de carne e gordura de porco, um pouco de sal e água suficiente para cobrir tudo. Cozinhe em fogo brando por uma hora.

Terceira receita

Cozinhe as folhas de mandioca moídas com bastante pasta de amendoim, um pouco de sal e água suficiente para cobrir tudo. Cozinhe em fogo brando por 30 minutos.

Lembre-se de que algumas variedades de mandioca contêm uma grande quantidade do veneno cianeto. Use as variedades ‘doces’ da mandioca. Depois de cozidos, os pratos acima não devem ter um sabor amargo. Se tiverem, não devem ser comidos.

Kabangu-Wa-Katanga Gilbert, c/o Father Mark Denecker, PO Box 134, Païdha, Uganda Christian Ramampiandra, BP 37, 321 – Vohipeno, Madagascar