A alimentação de crianças pequenas

Foto: Isabel Carter
Foto: Isabel Carter

Ann Ashworth.

Os bons alimentos são importantes para a boa saúde. As crianças que são bem alimentadas durante os primeiros dois anos de vida têm mais chances de permanecer saudáveis pelo resto da infância. Durante os primeiros seis meses da vida de uma criança, o leite materno sozinho é o alimento ideal. Ele contém todos os nutrientes necessários para um crescimento saudável, assim como fatores imunológicos para a proteção contra as infecções comuns da infância.

O leite materno continua a ser uma fonte importante de nutrientes até a criança estar com, pelo menos, dois anos. Entretanto, após os seis meses de idade, todos os bebês precisam de quantidades cada vez maiores de alimentos adicionais antes de finalmente passarem para apenas os alimentos consumidos pela família. Estes alimentos adicionais são chamados alimentos complementares. À medida que o bebê cresce e se torna mais ativo, os alimentos complementares preenchem a lacuna deixada entre as necessidades nutricionais totais da criança e as quantidades oferecidas pelo leite materno. Sem as quantidades adequadas e uma boa mistura destes alimentos adicionais, o bebê não cresce devidamente e seu sistema imunológico torna-se menos eficaz. As infecções comuns, como a diarréia, duram mais tempo e são mais graves nas crianças malnutridas. Uma vez que a criança fica doente, a falta de apetite pode resultar num ciclo de má-nutrição cada vez pior e em infecções repetidas, que freqüentemente acabam em morte (veja o diagrama da página 3). Quase dois terços de todas as mortes de crianças entre 0–4 anos estão associadas à má-nutrição em países do hemisfério sul – assim, os bons hábitos alimentares são de importância vital para a sobrevivência da criança.

Alimentos complementares

Os alimentos complementares devem ser:

  • ricos em calorias e nutrientes
  • limpos e seguros
  • fáceis de preparar
  • disponíveis no local e dentro das condições financeiras das pessoas
  • fáceis e gostosos de comer para a criança
  • sem muita pimenta ou sal.

Os alimentos complementares podem ser especialmente preparados ou podem ser feitos com uma mistura dos alimentos consumidos pela família, modificados para se tornarem fáceis de comer e com alto teor de nutrientes. Eles devem ser dados em pequenas quantidades, três vezes por dia no início, aumentando para cinco vezes por dia até chegar aos 12 meses. Comece com algumas colheres de chá e gradualmente aumente a quantidade e a variedade. É importante incentivar ativamente a criança a comer. As crianças que são deixadas sozinhas podem não comer o suficiente.

Ao preparar estes alimentos, assegure-se de que os utensílios estejam limpos. Dê os alimentos complementares com uma colher e não use uma mamadeira. Os alimentos devem ser usados dentro de duas horas depois de preparados, se não forem guardados no refrigerador (frigorífico).

Faça uma tabela do peso da criança. Monitorar o crescimento é uma maneira útil de saber se a criança está comendo o suficiente e se está saudável.

Os alimentos complementares precisam ter calorias, proteínas, sais minerais e vitaminas suficientes para satisfazer as necessidades nutricionais da criança em crescimento. As necessidades nutricionais mais difíceis de satisfazer são geralmente as de calorias, ferro, zinco e vitamina A.

Utilização de alimentos básicos

Todas as comunidades possuem um alimento básico, que é o principal alimento que consomem. Este pode ser um cereal (como o arroz, o trigo, o milho e o painço) ou uma raiz (como a mandioca, o inhame e a batata), ou frutas que contêm amido (como a banana-da-terra ou o fruto-pão). Nas regiões rurais, as famílias, muitas vezes, passam grande parte de seu tempo cultivando, colhendo, armazenando e processando o alimento básico. Nas regiões urbanas, o alimento básico é freqüentemente comprado, e a escolha depende do preço. Para serem usados como alimentos complementares, os alimentos básicos cozidos geralmente podem ser amassados (por exemplo, o arroz, o talharim, a mandioca e a batata) ou amaciados com um pouquinho de líquido (por exemplo, o pão e o chapati – um tipo de pão indiano).

O mingau feito com o alimento básico é, muitas vezes, usado como um alimento complementar inicial. Entretanto, ele geralmente é aguado e contém poucas calorias e poucos nutrientes. A sopa também é muito usada e é aguada, apresentando os mesmos problemas.

Os alimentos básicos fornecem calorias. Os cereais também contêm proteína, mas a maioria dos outros alimentos básicos possuem muito pouco desta. Entretanto, os alimentos básicos são fontes pobres em ferro, zinco, cálcio e algumas vitaminas, todos necessários para atender as necessidades nutricionais da criança em crescimento.

Alimentos complementares úteis

Outros alimentos devem ser consumidos com o alimento básico, a fim de satisfazer as necessidades nutricionais e de calorias. Os tipos de alimentos que melhor satisfazem estas necessidades são:

  • grãos de leguminosas (como a ervilha, o feijão e o amendoim) e sementes oleaginosas (como o gergelim). Estes são boas fontes de proteínas. Alguns, como o amendoim, o macoba, o feijão-soja e as sementes oleaginosas, são ricos em gordura e, portanto, também contêm alto teor de calorias.
  • alimentos provenientes de animais e peixes Estes são fontes ricas em muitos nutrientes, mas são freqüentemente caros. Além disso, algumas pessoas não comem carne por causa de suas crenças religiosas ou pessoais. A carne e os órgãos (como o fígado, o coração e os rins), assim como o leite, o iogurte, o queijo e os ovos são boas fontes de proteínas. Os alimentos feitos com leite e qualquer alimento que contenha ossos que sejam consumidos (por exemplo, peixes pequenos, enlatados ou secos triturados) são boas fontes de cálcio, necessário para criar ossos fortes.
  • folhas verdes escuras e frutas e verduras de cor laranja são todas fontes ricas em vitaminas A e C.
  • óleos, gorduras (tais como a margarina, a manteiga e o ghee – manteiga clarificada das Índias Orientais) e os açúcares são fontes concentradas de calorias. Acrescentar uma colher de chá de óleo ou gordura à refeição oferece calorias adicionais. O azeite de dendê (óleo de palma) vermelho também é muito rico em vitamina A.

Misturar os alimentos complementares é a melhor maneira de assegurar que crianças consumam calorias, proteínas e micro-nutrientes suficientes para um crescimento e um desenvolvimento sadios. Uma boa mistura para um dia é:

  • um alimento básico + sementes de uma leguminosa + um alimento animal + folhas verdes ou uma verdura ou fruta de cor laranja.

As famílias podem usar todos estes alimentos para fazer uma refeição, ou podem usar, por exemplo:

  • um alimento básico + sementes de uma leguminosa + folhas verdes numa refeição
  • um alimento básico + um alimento animal + fruta noutra refeição.

Acrescente uma pequena quantidade de gordura ou óleo, para oferecer calorias adicionais, se nenhum dos outros alimentos da refeição for rico em calorias.

Anemia

As crianças precisam de ferro, para produzir sangue novo, especialmente durante seu primeiro ano, quando o crescimento é mais acelerado. O leite materno contém muito pouco ferro, mas os bebês que concluíram o período de gestação completo nascem com ferro suficiente para suas necessidades nos primeiros seis meses. Depois disto, se sua necessidade de ferro não for atendida, a criança fica anêmica. Os bebês prematuros e os que nascem com pouco peso têm maior risco de ter anemia, porque nascem com um suprimento menor de ferro no organismo. Dê-lhes gotas de ferro a partir dos dois meses, se disponível.

Alimentos enriquecidos

Os alimentos enriquecidos possuem ingredientes nutricionais especiais acrescentados pelos fabricantes. Por exemplo, os alimentos feitos de flocos de cereais podem ser enriquecidos com ferro. O sal também pode ser enriquecido com iodo. Os fabricantes geralmente acrescentam vitaminas A e D à margarina.

A Professora Titular Ann Ashworth é nutricionista na London School of Hygiene and Tropical Medicine, com muitos anos de experiência em alimentação de crianças pequenas. Seu e-mail é ann.hill@lshtm.ac.uk Public Health Nutrition Unit, London School of Hygiene and Tropical Medicine, 49–51 Bedford Square, London, Reino Unido, WC1B 3DP

Questões para discussão

  • Discuta a idade com que a maioria das crianças começam com os alimentos complementares em sua região. Isto é cedo ou tarde demais? Se for, discuta por quê.
  • Os alimentos provenientes de animais são consumidos em sua região?
  • Quais são eles? Quais deles são normalmente dados às crianças pequenas?
  • Você sabe de alguma maneira de fazer com que haja alimentos animais disponíveis em casa para a alimentação, como, por exemplo, construindo-se um tanque de peixes ou criando-se coelhos, porquinhos-da- índia ou aves?
  • As folhas verdes escuras e as verduras e frutas de cor laranja são fontes ricas em vitaminas A e C. Faça uma lista das que existem em sua região. O que algumas famílias podem fazer, se estes alimentos não estão disponíveis em certos meses? Você pode ajudar as famílias a suprir esta falta?    

Ferro e zinco

Entre os alimentos com alto teor de ferro e zinco, estão o sangue, as carnes vermelhas, o fígado, os rins e outros órgãos. A gema do ovo, as folhas verdes escuras e os grãos de leguminosas também possuem um alto teor de ferro, mas este ferro não é tão fácil de ser absorvido pelo organismo. Entretanto, comer frutas ricas em vitamina C (por exemplo, laranja e mamão) na mesma refeição aumenta a absorção do ferro.

Para melhorar os mingaus e as sopas

  • Cozinhe com menos água e faça um mingau mais grosso.
  • Substitua parte (ou toda) a água por leite.
  • Adicione calorias e nutrientes extras. Por exemplo, adicione leite em pó, açúcar, margarina ou ghee ao mingau. Adicione pasta de amendoim ou de gergelim às sopas.
  • Torre grãos de cereais antes de moê-los para fazer farinha. A farinha torrada não engrossa muito e usa menos água para fazer o mingau.
  • Pegue algumas das partes sólidas da sopa, como feijões, carnes e verduras, e amasse, fazendo um purê com o alimento básico. Amacie com um pouco de margarina ou óleo para acrescentar mais calorias. A melhor parte da sopa são os seus alimentos sólidos.