O trabalho da Sulabh International

O trabalho de eliminação dos dejetos humanos (às vezes chamados de esterco humano) das moradias que não possuem sistemas de saneamento adequados é considerado como o trabalho de mais baixo nível na Índia. Ele é realizado por pessoas chamadas Harijans, que pertencem à casta conhecida como os Intocáveis.

Hoje, ainda existem mais de 600.000 Harijans na Índia, que coletam os dejetos de latrinas de balde, carregando-os nas cabeça e jogando-os em campos e canais, trabalho este que coloca a sua saúde em risco.

Bindeshwar Pathak é um cientista social que dedicou sua vida ao trabalho de melhoria desta situação. Ele descobriu que a maioria das moradias urbanas de baixa renda não possuem acesso ao saneamento, e que poucas das 3.250 principais cidades têm um sistema de esgoto adequado. Hoje, um terço da população do país ainda não tem acesso ao saneamento básico. Assim, ele realizou uma pesquisa detalhada para descobrir a melhor solução.

Latrinas com descarga

Em 1970, ele fundou a Sulabh International Social Service Organization, cujos objetivos são:

  • restaurar a dignidade e os direitos humanos
  • livrar os Harijans do trabalho desagradável de lidar com dejetos humanos
  • reabilitar os Harijans e treiná-los para outros trabalhos
  • promover o status dos Harijans como iguais na sociedade 
  • melhorar a saúde e a higiene
  • ensinar as pessoas a não defecarem em espaços abertos.
  • motivar as pessoas a construírem e usarem as latrinas da Sulabh
  • fornecer latrinas e instalações para banho comunitárias nos musseques (favelas) por uma pequena taxa
  • incentivar as pessoas a plantarem árvores ao redor das latrinas
  • explorar a energia proveniente dos dejetos humanos
  • usar o esterco das latrinas da Sulabh para aumentar a produtividade agrícola.

A Sulabh promove um desenho simples para as latrinas com descarga com duas fossas. O custo mínimo é US$50. Porém, com a ajuda local, elas podem ser construídas por apenas US$30. Os governos regionais geralmente contribuem com metade do custo das latrinas individuais.

Há mais de 20 anos, o activista social e os seus 50.000 trabalhadores de campo voluntários têm feito uma campanha por toda a Índia para convencer as pessoas a usarem as latrinas. A sua organização, a Sulabh International, agora, construiu muito mais de um milhão de latrinas em 1.080 cidades por todo o país.

Nos musseques (favelas) superpovoados e lugares de muito movimento, como as estações ferroviárias e rodoviárias, a Sulabh construiu mais de 7.500 latrinas comunitárias com fossas maiores, em que é cobrada uma taxa pela utilização. Estas são construídas com a colaboração das autoridades locais, que fornecem o terreno e os materiais de construção. A Sulabh administra a construção e a manutenção. Cobrando uma rúpia (2 centavos de dólar) pela utilização das latrinas, a Sulabh pode empregar funcionários para mantê-las limpas. Anexados a muitas destas latrinas, há centros de banho públicos, com água potável limpa, chuveiros e um local para lavar roupa. Estes têm piso e paredes, são decorados com vasos de plantas ou jardins e são mantidos limpas. Há, também, guardas armados de plantão.

Em 160 destes centros, o esgoto é coletado em tanques e conectado a convertedores para produzir biogás.

Como resultado do trabalho da Sulabh International, cerca de 37.000 Harijans já encontraram outros trabalhos. Uma das actividades da Sulabh é oferecer treinamento e emprego para os filhos dos Harijans. As crianças recebem treinamento de institutos numa variedade de habilidades, para ajudá-las a encontrar trabalho como, por exemplo, eletricistas, carpinteiros, construtores, administradores, alfaiates e mecânicos.

O Sr. Pathak até abriu um museu de latrinas em Nova Delhi, que regista a história dos esgotos, escoamentos, doenças e latrinas. Ele espera que o museu ajude a mudar as atitudes em relação aos dejetos humanos.

Uma avaliação recente (Beyond Boundaries, Asian Development Board) descobriu que:

  • quase metade das pessoas que usam as latrinas ganham menos que um salário mínimo, o que mostra a sua baixa renda
  • mais de 75% das pessoas que usam as latrinas estão satisfeitas com as taxas e as instalações limpas
  • 84% usam as instalações diariamente.

Mesmo os migrantes e os moradores de favelas urbanas de baixa renda estão dispostos a pagar por boas instalações – e há outras agências, agora, seguindo o exemplo da Sulabh International.

Compilado de informações da Sulabh International. E-mail: sulabh1@nde.vsnl.net.in Website: www.sulabhinternational.org