Espaço para todos: igreja inclusiva

Passo a Passo 108 - Viver com deficiência

A Passo a Passo 108 está repleta de orientações práticas sobre como fazer com que as nossas igrejas e comunidades se tornem mais inclusivas para as pessoas que vivem com deficiências.

Espaço para todos: igreja inclusiva

Karla (nome fictício) era uma líder em sua igreja, ensinando na escola dominical e ajudando a organizar muitas atividades da igreja. Aos poucos, ela começou a perder a mobilidade e achou que não podia mais ser uma líder. Desanimada, ela ficou em casa. De que servia ir à igreja? Ela não sentia mais que as pessoas desejavam sua presença na congregação e ficou deprimida.

Não era só porque ela precisava usar uma cadeira de rodas. O que mais afetou Karla foi que ela se sentiu posta de lado.  

Levou três anos para que ela descobrisse que o amor de Deus por cada pessoa, com ou sem deficiência, é o mesmo. Depois que percebeu isso, ela sentiu que tinha algo a oferecer. Ela começou a frequentar a igreja novamente e ensinar. Ela começou a trabalhar com outras pessoas com deficiência, compartilhando o amor de Deus e ajudando-as a ver que são importantes e necessárias na comunidade de Deus. 

Como podemos facilitar para que as pessoas com diferentes tipos de deficiência participem plenamente da vida da igreja e da comunidade? Abaixo estão algumas coisas que podemos fazer.

Estude a Bíblia para descobrir verdades importantes

  • A diversidade faz parte da criação. Todos somos feitos à imagem de Deus (Gênesis 1:27-31; Salmo 139:13-16), mas não possuímos exatamente as mesmas características.  
  • Somos todos necessários (veja a imagem da igreja como o corpo de Cristo em 1 Coríntios 12, especialmente os versículos 21-23). 
  • A deficiência não é o julgamento de Deus para o pecado (João 9:1-3).  
  • Deus está no controle e concede dons àqueles que ele escolhe, tenham ou não uma deficiência (Êxodo 4:10-12).

Saiba mais sobre a deficiência

  • Pelo menos 15% da população mundial vive com algum tipo de deficiência. Este é um número enorme de pessoas que são frequentemente esquecidas e excluídas.  
  • Toda pessoa, com ou sem deficiência, é diferente! Precisamos esquecer os estereótipos e aprender a apreciar a todos como indivíduos. Não há “eles e nós”. Embora alguns de nós nasçam com uma deficiência, muitos passam por uma deficiência em algum momento de nossas vidas.  
  • As deficiências podem ser óbvias ou podem estar ocultas (como a surdez). Aprenda sobre os vários tipos de deficiência e procure garantir que haja apoio disponível para todos que o necessitem. Esteja ciente de que, assim como Karla, as pessoas podem estar enfrentando vários tipos de deficiência ao mesmo tempo, como, por exemplo, mobilidade reduzida e depressão. 
  • É essencial perguntar às pessoas com deficiência de que forma elas podem ser ajudadas a participar. Às vezes, as pessoas não possuem autoconfiança e precisam ser ativamente incentivadas a usar seus dons e talentos para abençoar e enriquecer a igreja.
As igrejas podem oferecer apoio crucial às famílias que cuidam de entes queridos com deficiências graves. Foto: Brenda Darke
As igrejas podem oferecer apoio crucial às famílias que cuidam de entes queridos com deficiências graves. Foto: Brenda Darke

Apoie a lei

Durante a última década, a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência foi adotada pela maioria dos países do mundo. As leis nacionais baseadas na convenção devem proteger os direitos das pessoas com deficiência.

  • Verifique se seu país assinou esse acordo (veja abaixo) e descubra mais sobre as leis relativas à deficiência em seu país. Fale com os líderes de sua igreja sobre como é importante que as igrejas protejam e promovam os direitos das pessoas com deficiência. Incentive-os a fazer quaisquer mudanças necessárias para permitir que sua igreja se torne um local acolhedor para todos. 
  • Se você se sentir inseguro quanto a usar uma abordagem baseada nos direitos, veja Levítico 19:14: “Não amaldiçoem o surdo…, mas temam o seu Deus”. Isso nos mostra que Deus quer que as pessoas com deficiência sejam respeitadas. O próprio Deus defende as pessoas com deficiência.

Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Este é um acordo legal internacional, cujo objetivo é proteger e promover os direitos humanos das pessoas com deficiência. Desde 2006, ele foi assinado pela maioria das nações do mundo. Ele reconhece “a importância da acessibilidade ao ambiente físico, social, econômico e cultural, à saúde e à educação e à informação e à comunicação, permitindo que as pessoas com deficiência usufruam plenamente de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais”.

Acesse www.un.org para ver se o seu país assinou este acordo. A convenção pode ser baixada em vários idiomas, em letras grandes e em forma de vídeo na língua de sinais.

Seja respeitoso

A convenção da ONU ajuda-nos a entender o tipo de linguagem que devemos usar. A maioria das pessoas que vive com deficiência não se importa em reconhecer que seu corpo não funciona da forma como elas gostariam, mas preferem que os outros as aceitem como são. Concentre-se em como responder a elas como pessoas, satisfazendo sua necessidade de amizade.

  • Em vez de termos como “deficiente”, “inválido” ou “aleijado”, use “pessoa com deficiência”. Isso ajuda a mudar o foco para a pessoa e não para sua deficiência. 
  • Ensine as crianças desde pequenas a respeitar as pessoas com deficiência e a nunca chamá-las por nomes cruéis, provocá-las ou rir delas. 
  • Converse com a pessoa diretamente (não através de seu cuidador), faça contato visual, use o seu nome, sorria e seja genuíno. Não levante a voz ou fale com ar de superioridade com elas. Ela avisará se não puder ouvi-lo ou não entender o que você está dizendo. Aprenda o máximo que puder sobre como seu novo amigo se comunica.

Mostre amor

Há várias maneiras de mostrar um cuidado atencioso e carinhoso para com as pessoas que vivem com uma deficiência. Elas não querem pena, mas, sim, oportunidade e, às vezes, ajuda prática.

  • Forme um grupo para descobrir se a sua igreja é acessível para pessoas com diferentes deficiências. Lembre-se de incluir as pessoas que vivem com deficiência, pois são elas que sabem o que realmente lhes é importante. 
  • Faça adaptações (por exemplo, rampas, corrimãos e banheiros acessíveis) para que todos possam entrar no prédio e desfrutar da sua estadia. 
  • Ajude a fornecer transporte para as pessoas com dificuldade para andar ou usar transporte público. Visite as pessoas em casa se elas não puderem ir à igreja. 
  • Ofereça amizade a alguém com deficiência intelectual que ache difícil acompanhar o culto. Explicar o sermão durante uma refeição em sua casa pode fazer com que a pessoa se sinta incluída. 
  • Pense sobre a possibilidade de aprender a língua de sinais. 
  • Cumprimente as pessoas à porta e ajude as pessoas com deficiência visual ou mobilidade limitada a se orientarem. Sinalização clara e letras grandes também podem ajudar.

Deficiência intelectual

Uma deficiência intelectual é causada pela forma como o cérebro se desenvolve antes, durante ou logo após o parto. As pessoas com deficiência intelectual geralmente levam mais tempo para aprender e podem precisar de apoio para desenvolver novas habilidades, entender informações e interagir com outras pessoas.  

O nível de apoio necessário varia. Por exemplo, uma pessoa com uma deficiência intelectual leve pode precisar apenas de ajuda com certas coisas, tais como conseguir um emprego. Porém, uma pessoa com uma deficiência intelectual grave pode precisar de cuidados em tempo integral. Com o apoio certo, muitas pessoas com deficiência intelectual podem levar uma vida independente.

Cuide das famílias

As famílias de pessoas com deficiência grave frequentemente ficam muito cansadas e têm dificuldade para lidar com a situação. Elas cuidam de seus entes queridos diariamente, o dia inteiro, e podem receber muito pouca ajuda do Estado.  

É aqui que as igrejas podem fazer uma diferença significativa, alcançando essas famílias e dando-lhes apoio extra.

  • Organize eventos que permitam aos cuidadores relaxar, estudar a Bíblia, compartilhar suas esperanças e medos e orar juntos. Planeje atividades para as pessoas de quem eles cuidam em uma sala separada, onde elas possam jogar jogos e aprender mais sobre Deus.  
  • Ofereça apoio prático: por exemplo, ajudando com visitas hospitalares, tarefas domésticas e refeições quando as pessoas estiverem doentes. 
  • Esteja presente para essas famílias e ofereça amor e amizade genuínos

Brenda Darke
Brenda Darke formou-se como professora de crianças com deficiência intelectual grave. Atualmente, ela dá cursos sobre deficiência em institutos bíblicos e trabalha com diferentes grupos por toda a América Latina para incentivar a inclusão de pessoas com deficiência na igreja. Ela é a autora do livro premiado Un camino compartido (Um caminho compartilhado). E-mail: brenda@letraviva.com Endereço: c/o Latin Link, 87 London Street, Reading, RG1 4QA, Reino Unido. Telefone: +44 (0)118 957 7100