Comunidades religiosas e a saúde mental

Passo a Passo 102 - saúde e fé

A Passo a Passo 102 traz dicas de primeiros socorros, histórias de agentes de saúde e um estudo bíblico sobre cura.

Simplesmente ouvir e mostrar que você se importa pode muitas vezes ajudar as pessoas a se sentirem melhor. Ilustração: Petra Röhr-Rouendaal
Simplesmente ouvir e mostrar que você se importa pode muitas vezes ajudar as pessoas a se sentirem melhor. Ilustração: Petra Röhr-Rouendaal

Comunidades religiosas e a saúde mental

Dr Julian Eaton

Os líderes religiosos ou espirituais são muitas vezes os primeiros para quem as pessoas se voltam em épocas de crise pessoal. Eles podem oferecer sabedoria e promover a cura e a reconciliação.

As pessoas frequentemente procuram esse tipo de ajuda quando têm uma doença, seja ela física ou mental. Em ambos os casos, as pessoas estão procurando conforto espiritual. Mas elas também podem precisar ser encaminhadas ao médico especialista adequado.

O que são problemas de saúde mental?

Os problemas de saúde mental afetam as emoções, o humor, o pensamento ou o comportamento das pessoas. Eles são muito comuns. Cerca de um em cada quatro de nós terá um problema de saúde mental em algum momento da vida. Para a maioria das pessoas, esse problema será um breve período de depressão ou ansiedade. Nesse caso, é muito útil falar com amigos e familiares ou líderes espirituais ou comunitários. Isso pode ajudar a resolver os problemas que estão causando a angústia.

No entanto, um número menor de pessoas pode estar passando por uma doença mental mais grave. Por exemplo, seu comportamento pode estar muito estranho, ou seu pensamento e fala podem estar muito confusos. Nesse caso, é importante que elas consultem um especialista em saúde mental.

Em muitas culturas, as pessoas presumem erroneamente que uma doença mental grave é sempre causada por dificuldades espirituais ou mesmo por possessão demoníaca. Isso pode resultar em longos períodos de “tratamento” realizado em igrejas, mesquitas ou templos ou por curandeiros tradicionais. Às vezes, isso é feito sem o consentimento da pessoa e pode impedir que ela procure cuidados médicos adequados, piorando a doença.

As pessoas têm muito mais probabilidade de se recuperarem de uma doença mental se forem tratadas com compaixão, puderem escolher o tratamento que receberão e tiverem o benefício de um especialista em saúde mental, se necessário.

Como obter ajuda adicional 

Se não houver agentes de saúde mental em sua área, aqui estão algumas ideias:

  • Reivindique junto às autoridades locais, ONGs ou organizações religiosas a prestação de cuidados de saúde mental.
  • Incentive os agentes locais de saúde e assistência social a obter treinamento em habilidades básicas de saúde mental.
  • Descubra qual é o serviço de saúde mental mais próximo e providencie para que os profissionais visitem sua comunidade de tempos em tempos.

Lembre-se: prevenir é melhor do que remediar!

Algumas boas maneiras de proteger a saúde mental das pessoas são:

  • manter a boa comunicação e relacionamentos de amor nas comunidades;
  • encontrar formas de resolver os conflitos;
  • apoiar as pessoas quando estiverem tendo dificuldades com problemas práticos.

O Dr. Julian Eaton é consultor sênior de saúde mental da CBM, uma organização cristã que trabalha com pessoas com deficiência.

Site: www.cbm.org

E-mail: julian.eaton@cbm.org


O que fazer e o que não fazer

Aqui estão algumas sugestões de o que fazer e o que não fazer, se alguém o abordar com um problema de saúde mental.

O que fazer 

  • Ouça atentamente e procure entender pelo que a pessoa e a família estão passando.
  • Mostre que se importa e está disposto a ajudar. Só isso já pode fazer as pessoas se sentirem muito melhor.
  • Pergunte à pessoa que tipo de ajuda ela gostaria de receber.
  • Incentive amigos e familiares a oferecer cuidados e apoio.
  • Se achar que uma pessoa precisa de mais apoio do que você pode dar, aconselhe-a a procurar atendimento em um serviço de saúde mental.

O que não fazer

  • Não culpe a pessoa pela situação em que se encontra.
  • Não presuma que todos os comportamentos incomuns tenham uma causa espiritual.
  • Não force a pessoa a falar sobre seus problemas, se ela não quiser. Se uma pessoa confiar em você e lhe fornecer informações pessoais, não as compartilhe com outros.
  • Não force a pessoa a fazer nenhum tipo de tratamento espiritual ou à base de plantas contra sua vontade, nem a mantenha trancada dentro de casa.
  • Não rejeite a pessoa. Ao invés disso, garanta que ela seja acolhida na vida social e espiritual da comunidade.Simplesmente ouvir e mostrar que você se importa pode muitas vezes ajudar as pessoas a se sentirem melhor.