Preparação para o parto - Uma escolha para as mulheres

Uma voluntária da saúde comunitária (à esquerda) em Mugu, o distrito mais pobre e remoto do Nepal. Kaj Jensen/UMN
Uma voluntária da saúde comunitária (à esquerda) em Mugu, o distrito mais pobre e remoto do Nepal. Kaj Jensen/UMN

Saúde - Objetivo 5 Melhorar a saúde materna

Dra. Maureen Dar Iang.

Em alguns países do mundo, as mulheres podem escolher como querem o seu parto. Há diferentes tipos de cuidados disponíveis. Muitas vezes, as mulheres podem escolher se querem fazer o parto num hospital ou em casa.

Entretanto, a situação é muito diferente em outros países, onde há mais probabilidades de a mulher morrer durante o parto, e as opções são limitadas. A estratégia mais eficaz para salvar a vida das mulheres e dos bebês é que cada mulher:

  • prepare um bom plano de parto
  • tenha acesso aos serviços de cuidados obstétricos de emergência para complicações.

Os principais fatores responsáveis pelas mortes maternas são as três “demoras”:

  • demora em decidir procurar os cuidados
  • demora em chegar até os cuidados
  • demora em receber os cuidados nas instalações médicas.

Estas demoras são causadas por muitos fatores, entre eles:

  • falta de dinheiro
  • falta de acesso aos serviços de cuidados de saúde e sua baixa qualidade
  • falta de conscientização da família e da comunidade quanto a questões sobre mães e bebês recém-nascidos
  • o baixo status social das mulheres.

Muitas mulheres têm os seus bebês em casa, com a ajuda de familiares ou parteiras tradicionais. As parteiras tradicionais não possuem treinamento formal, e, no passado, muitos programas já se concentraram em melhorar suas habilidades. Estes programas podem ser muito eficazes, porém, os especialistas por todo o mundo agora acham que os parteiros habilitados são melhores para prevenir as mortes maternas do que as parteiras tradicionais. Um parteiro habilitado é um profissional da saúde autorizado - parteira, médico ou enfermeiro - que foi ensinado ou treinado com proficiência nas habilidades necessárias para manejar:

  • gestações normais e sem complicações
  • partos
  • o período pós-parto imediato.

Os parteiros habilitados também sabem como identificar complicações nas mulheres e nos bebês recém-nascidos, podendo, então, decidir se eles mesmos são capazes de cuidar da mulher ou se precisam da ajuda de outra pessoa. Assim, a proporção de parteiros habilitados tornou-se um dos indicadores do progresso do Objetivo de Desenvolvimento do Milênio. Entretanto, os parteiros habilitados ainda estão longe do alcance de muitas mulheres.

Um plano de parto bem elaborado inclui uma preparação antecipada das intenções e decisões da gestante e da sua família. O plano deve ajudá-la a se preparar para um parto normal e estar pronta para complicações potenciais. O ideal é que ele inclua:

  • cuidados de rotina durante a gestação
  • consultas pré-natais pelo menos quatro vezes durante a gestação
  • encontrar um parteiro habilitado e ter um plano de como chegar até ele (ou ela) durante o trabalho de parto
  • economizar dinheiro para pagar as despesas de viagem e o parto com um parteiro habilitado
  • reconhecer sinais de complicação
  • ter conhecimento sobre os recursos comunitários
  • um plano para emergências que inclua transporte emergencial, comunicação e identificação de doadores de sangue.

No Nepal, o plano nacional de maternidade segura promove a preparação para o parto. Voluntárias da saúde comunitária (mulheres dispostas a doar seu tempo para ajudar a melhorar a saúde da sua comunidade) são muito importantes para o sucesso do plano. Elas visitam gestantes e mulheres que recentemente tiveram filhos para oferecer educação individual sobre a saúde, aconselhamento e a orientação necessária para os cuidados durante a gestação, o parto e após o parto. Elas também incentivam e apóiam as mulheres e suas famílias a se prepararem para o parto. Isto ajuda as mulheres a escolherem onde querem ter o seu filho. Também cria uma oportunidade para integrar várias intervenções de cuidados de saúde com base na comunidade que podem salvar a vida de mulheres e crianças recém-nascidas, entre elas, a prevenção de hemorragia pós-parto e de infecção do cordão umbilical. Esta abordagem foi testada em diferentes locais com sucesso e agora está sendo usada por todo o país.

A preparação da gestante e de sua família para o parto não seria bem-sucedida sem o apoio de vários grupos de pessoas interessadas na maternidade segura, como, por exemplo, os formuladores de políticas, os prestadores de serviços e as comunidades. Precisamos coordenar os nossos esforços para melhorar os seguintes fatores a fim de reduzirmos as três demoras e salvarmos a vida das gestantes e de seus bebês.

Fatores que afetam a mortalidade materna

  • autonomia das mulheres e igualdade de gênero, pois o status da mulher na família e na sociedade está altamente relacionado com a sua capacidade de tomar decisões quanto aos seus próprios cuidados de saúde (veja o Objetivo 3)
  • disponibilidade e acessibilidade dos cuidados obstétricos de boa qualidade, com prestadores de serviços competentes e que compreendem as necessidades das mulheres e de suas famílias
  • disponibilidade de meios de comunicação
  • opções de transporte local, inclusive redes rodoviárias e pontes, ambulâncias e bicicletas-ambulâncias ou triciclos-ambulâncias
  • conscientização das mulheres e de suas famílias acerca de questões sobre maternidade e bebês recém-nascidos e a capacidade de reconhecer os sinais de complicações
  • apoio comunitário para as mulheres e suas famílias em períodos de emergência.

Para salvar a vida das mulheres em complicações relacionadas com a gestação é necessário que haja compromisso em todos os âmbitos da sociedade, desde os formuladores de políticas até a comunidade. Incentivar todas as gestantes e suas famílias a prepararem um bom plano, que as ajude a ter um bom parto e um bebê saudável, deve ser um compromisso de todos nós que trabalhamos com a comunidade e por ela.

A Dra. Maureen Dar Iang é a Líder da Equipe de Saúde da United Mission to Nepal.
United Mission to Nepal
PO Box 126
Kathmandu
Nepal
E-mail:
umn@umn.org.np



Partos assistidos por parteiros habilitados

5,8% na Etiópia (2005)
22,8% no Nepal (2006)
46,6% na Índia (2005-06)
99% na Jordânia (2007)




Perguntas para discussão

  • Como as mulheres se preparam para o parto na nossa comunidade?
  • Onde se encontram os parteiros habilitados mais próximos?
  • Como podemos diminuir os riscos para as mulheres e os bebês recém-nascidos na nossa comunidade?