Um novo começo do lado de fora

Passo a Passo 104 - Presídios

A Passo a Passo 104 traz dicas práticas sobre como se envolver no ministério em prisões e como cuidar de ex-presidiários.

UM NOVO COMEÇO DO LADO DE FORA

Quando os presidiários são soltos no final de sua sentença, começar uma nova vida fora dos portões da prisão pode ser incrivelmente desafiador. Muitos ex-presidiários precisam de ajuda para encontrar um lugar seguro para viver e uma forma de ganhar a vida. Igualmente importante é o fato de que eles também precisam de relacionamentos que lhes proporcionem apoio e incentivo para ajudá-los a se reintegrarem (fazer parte da sociedade novamente) e levar uma vida sem crimes.

Muitos presidiários precisam aprender formas de ganhar a vida após sua libertação. Foto: Associação de Fraternidade Prisional Camboja
Muitos presidiários precisam aprender formas de ganhar a vida após sua libertação. Foto: Associação de Fraternidade Prisional Camboja

Em 2004, a convite do governo, a Associação de Fraternidade Prisional Camboja (sigla em inglês: PFC) criou o primeiro serviço de reintegração para presidiários no Camboja. Abaixo estão os principais aspectos do serviço.

1 - PREPARAÇÃO PARA A LIBERDADE

Antes de serem soltos, trabalhamos com os presidiários individualmente e em grupos para ajudá-los a resolver os problemas que os colocaram na prisão e planejar seu futuro. Começamos trabalhando com os presidiários em seus planos futuros entre 6 e 12 meses antes da sua libertação. Sempre que possível, as famílias também recebem visitas de assistentes sociais para ajudá-las a se prepararem para a vida novamente em família. Além disso, entramos em contato com as igrejas próximas à família para que elas lhe possam prestar acompanhamento e incentivo.

2 - APOIO NO MOMENTO DA LIBERTAÇÃO

Este é um aspecto vital do programa. Antes, os presidiários eram deixados sem nada do lado de fora dos portões do presídio. Eles geralmente estavam a muitos quilômetros da cidade mais próxima e frequentemente em um estado precário de saúde, assim, o risco de reincidir apenas para sobreviver era alto. A PFC trabalha em parcerias com as igrejas locais para prestar qualquer apoio de que os ex-presidiários necessitem no momento da libertação, tal como alimentos e o custo do transporte para casa. Se necessário, as igrejas podem oferecer alojamento de curto prazo enquanto eles se restabelecem. Elas fornecem aos ex-presidiários um pacote de suprimentos iniciais para levar para casa, de forma que eles possam contribuir com a família em seu retorno.

3 - ASSISTÊNCIA FAMILIAR

O crime e a prisão colocam as famílias dos presidiários sob grande pressão financeira. Por isso, quando voltam para casa, os ex-presidiários frequentemente encontram uma situação familiar ainda pior do que antes de terem ido para a prisão. A PFC identifica famílias necessitadas nos meses que antecedem a libertação de um presidiário. Providenciamos reparos iniciais nas moradias, apoio escolar e cuidados médicos. Em seguida, ajudamos as famílias a encontrar formas de melhorar sua própria situação econômica no longo prazo.

4 - ACOMPANHAMENTO E APOIO DA COMUNIDADE

Depois que uma pessoa retorna para casa, nossos assistentes sociais continuam fazendo visitas de acompanhamento por até três anos após a libertação, prestando tanto apoio quanto necessário para garantir sua reabilitação no longo prazo. Eles visitam os ex-presidiários pessoalmente pelo menos uma vez a cada 90 dias. A PFC também organiza reuniões nas quais os ex-presidiários podem compartilhar suas reflexões sobre como viver bem após sua libertação.

5 - APOIO PARA A GERAÇÃO DE RENDA

Uma parte essencial da reintegração é poder gerar uma renda. A PFC fornece treinamento profissional e pode oferecer aos ex-presidiários uma subvenção para ajudá-los a começar uma pequena empresa. Durante o tempo em que passam na prisão, são oferecidas aulas de treinamento profissional e alfabetização aos presidiários. Eles podem aprender habilidades como costura, cabeleireiro, mecânica de automóveis, informática e agricultura.

“Quando somos presos, perdemos oportunidades de vida”, diz uma aluna das aulas de costura. “Mas, porque a PFC nos ajudou a aprender habilidades e fazer planos, além de nos incentivar e motivar, podemos viver felizes e com esperança.”

VIDAS RESTAURADAS

Acreditamos que estabelecemos um modelo sólido para a reintegração de presidiários no Camboja. Muitos dos ex-presidiários com quem trabalhamos agora estão restaurados e capacitados, vivendo em harmonia com suas famílias e capazes de gerar uma renda.


QUESTÃO PARA DISCUSSÃO

Como sua igreja ou organização poderia se envolver em qualquer uma dessas cinco etapas práticas?



Com nosso agradecimento aos funcionários da Associação de Fraternidade Prisional Camboja por sua ajuda na compilação deste artigo.


Site: www.pfcambodia.org 
E-mail: director@pfcambodia.org