Estudo bíblico: Uma família para os ex-presidiários

Passo a Passo 104 - Presídios

A Passo a Passo 104 traz dicas práticas sobre como se envolver no ministério em prisões e como cuidar de ex-presidiários.

Como acolheríamos um ex-presidiário em nossa igreja ou grupo de estudo bíblico? Ilustração: Petra Röhr-Rouendaal, Where there is no artist (segunda edição)
Como acolheríamos um ex-presidiário em nossa igreja ou grupo de estudo bíblico? Ilustração: Petra Röhr-Rouendaal, Where there is no artist (segunda edição)

ESTUDO BÍBLICO: UMA FAMÍLIA PARA OS EX-PRESIDIÁRIOS

por Joel Rosales Matute  

Ao saírem da prisão, muitas pessoas não têm para onde ir e não têm emprego. Pior ainda: elas não são aceitas pela comunidade.

  • Passe alguns momentos falando sobre as condições que as pessoas enfrentam nos presídios em seu país ou região.
  • Pelo que você acha que as pessoas passam quando saem da prisão?

Os filhos de Deus formam uma comunidade de fé – a igreja – para receber essas pessoas. Para que isso seja possível, a igreja deve ter pelo menos três qualidades:

1 – A IGREJA COMO UMA COMUNIDADE DE AMOR

Jesus chama-nos para amarmos aos outros como ele nos ama. Este é um amor extremo e incondicional. No julgamento final, Jesus dirá:

“‘Venham, benditos de meu Pai! Recebem como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo. Pois... estive preso, e vocês me visitaram.’ Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos... preso e fomos te visitar?’ O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a alguns dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’.” (Mateus 25:34–40)

Os braços da igreja são os braços de Cristo. É através de nós que as pessoas recebem o amor de Deus. Muitas vezes, visitamos os presidiários e pregamos uma mensagem de amor, mas, depois de soltos, eles não recebem esse amor dentro de nossas igrejas. Devemos nos lembrar de que, quando fazemos algo pelas pessoas necessitadas, nós o fazemos por Jesus.

  • Como podemos mostrar o amor de Deus na prática a alguém que recentemente saiu da prisão?

2 – A IGREJA COMO UMA COMUNIDADE DE ACEITAÇÃO

A sociedade estigmatiza os ex-presidiários, muitas vezes desprezando-os, mas isso não deveria acontecer na igreja. Devemos criar condições adequadas para que eles possam se integrar à sociedade, valorizando-os e respeitando-os como filhos de Deus. Muitos de nós naturalmente temem os ex-presidiários, e precisamos orar para que Deus nos ajude a superar esse medo.

Durante seu ministério, nosso Senhor frequentemente andava com pessoas estigmatizadas pela sociedade na época. Por exemplo, lemos em Marcos 2:16–17

“Quando os mestres da lei que eram fariseus o viram comendo com os pecadores e publicanos, perguntaram aos discípulos de Jesus: ‘Por que ele come com publicanos e pecadores?’. Ouvindo isso, Jesus lhes disse: ‘Não são os que têm saúde que precisam
de médico, mas sim os doentes. Eu não vim para chamar justos, mas pecadores’.”

  • Como podemos mostrar aceitação a um ex-presidiário?

3 – A IGREJA COMO UMA COMUNIDADE RESTAURADORA

A Bíblia apresenta a igreja como uma comunidade restauradora, na qual as feridas dos quebrantados são curadas. Devemos acolher as pessoas que estão saindo da prisão, pois estamos aqui para restaurar, e não para julgar. O Senhor ensina-nos em Mateus 7:1–2: “Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês”. Ao mesmo tempo, devemos sempre garantir a segurança das pessoas em nossa congregação.

  • De que forma específica podemos ajudar a restaurar uma pessoa que recentemente saiu da prisão?

DRAMATIZAÇÃO

  • Façamos uma dramatização sobre como acolheríamos um ex-presidiário em nosso grupo de estudo.

Se nossas igrejas amarem, aceitarem e restaurarem aqueles que sofreram a difícil experiência de estar preso, cumpriremos fielmente nosso trabalho como representantes de Cristo. Através do nosso amor e apoio para com eles, podemos ajudar a impedir que eles reincidam.


O pastor Joel Rosales Matute tem trabalhado há muitos anos em comunidades com altos índices de criminalidade em Honduras.
E-mail: joelrmidpc@yahoo.com