A beleza do esporte

Passo a Passo 109 - Jovens

A Passo a Passo 109 celebra a energia e a criatividade dos jovens e examina como lhes oferecer o apoio de que precisam para florescer.

A beleza do esporte

A participação no esporte pode melhorar muito a saúde física e emocional dos jovens, além de aumentar a confiança, promover um envolvimento positivo na sociedade e criar esperança para o futuro.

O esporte oferece muitas oportunidades para os jovens se apoiarem dentro e fora de campo. Foto: Asociación Cristiana Deportiva, Colômbia
O esporte oferece muitas oportunidades para os jovens se apoiarem dentro e fora de campo. Foto: Asociación Cristiana Deportiva, Colômbia

“O esporte constrói pontes entre indivíduos e entre comunidades, proporcionando um solo fértil para plantar as sementes do desenvolvimento e da paz.”

Wilfried Lemke, Assessor Especial do Secretário-Geral da ONU sobre o Esporte para o Desenvolvimento e a Paz

Através do esporte, os jovens aprendem valores importantes, como honestidade, trabalho em equipe, jogo limpo, respeito pelos outros e como seguir regras. Ele também os ajuda a aprender a lidar com a competição e com as vitórias e as derrotas. 

O esporte é uma atividade cativante para os jovens e pode ser uma boa base para programas de construção da paz, saúde, educação e outros. 

Abaixo estão algumas das principais considerações ao se desenvolver um programa esportivo.

Saúde física

Um dos benefícios mais óbvios do esporte é a boa saúde física. O exercício pode ajudar a reduzir o risco de peso excessivo, doenças cardíacas, diabetes e outros problemas de saúde. 

É importante ensinar aos participantes como evitar lesões. Isso inclui o aquecimento adequado, o aumento gradual do condicionamento físico e saber quando parar e fazer uma pausa. Durante os programas esportivos, pode-se oferecer orientações sobre a alimentação saudável, a saúde sexual e os perigos do fumo, das drogas e do álcool.

Saúde mental

A atividade física pode reduzir a ansiedade e aumentar a sensação de bem-estar e a autoestima. Além disso, a capacidade de conversar sobre problemas com amigos e pessoas mais velhas que sirvam de modelo pode ajudar as pessoas a encontrar suas próprias soluções para as coisas que as incomodam. 

Para as pessoas que sofreram trauma (por luto, guerra, violência, rejeição ou desastre natural, por exemplo), o esporte pode desempenhar um papel importante em sua recuperação. Os exercícios, as amizades, a diversão e a chance de conversar podem ajudar as pessoas a aceitar o que lhes aconteceu.

Acessibilidade

Para as pessoas com deficiência, o envolvimento no esporte pode gerar confiança e autoestima. Sempre que possível, facilite a participação de pessoas com diferentes tipos de deficiência. 

Esteja ciente de que, embora algumas deficiências sejam óbvias (por exemplo, a mobilidade limitada), muitas são relativamente imperceptíveis (por exemplo, a depressão, as deficiências auditivas e algumas deficiências intelectuais). Procure oferecer vários esportes diferentes, para que seu programa atraia o maior número possível de pessoas.

No Nepal, os jovens gostam de jogar vôlei sempre que podem. Foto: Andrew Philip/Tearfund
No Nepal, os jovens gostam de jogar vôlei sempre que podem. Foto: Andrew Philip/Tearfund

Igualdade de gênero

Em alguns países, as meninas e as mulheres raramente são envolvidas no esporte. No entanto, encontrar maneiras de incluir pessoas de ambos os sexos pode melhorar qualquer programa. Veja se os times com participantes de ambos os sexos ou participantes do mesmo sexo funcionam melhor em seu contexto. Procure ter treinadores de ambos os sexos para que tanto as meninas quanto os meninos tenham modelos que possam admirar e com quem possam conversar.

Amizades

O esporte é uma atividade social e uma boa maneira de os jovens se conhecerem em um ambiente seguro. A amizade e o foco comum estimulam o sentimento de pertencimento. Certifique-se de que haja tempo de sobra para a socialização e a diversão, além do esporte e do ensino.

Gestão de conflitos

O futebol e outros esportes coletivos podem ajudar os jovens a aprender a gerir conflitos e controlar suas emoções, mesmo quando as coisas não estiverem indo bem. O jogo limpo e a capacidade de seguir regras são importantes habilidades para a vida. 

Se a tensão começar a aumentar, intervenha rapidamente para resolver a situação. Incentive as pessoas envolvidas a explicar seu ponto de vista de maneira calma (sem interrupção dos outros jogadores). Isso mostrará que todos têm uma voz e que suas opiniões são importantes. Ajude os jogadores a decidir por si mesmos como superar o problema – talvez revisando as regras do jogo ou permitindo que os jogadores façam uma pausa se estiverem ficando chateados.

Construção da paz

As competições e os torneios esportivos podem derrubar barreiras entre as igrejas e as comunidades, bem como entre diferentes religiões. O esporte, na melhor das hipóteses, proporciona um ambiente neutro, onde todos seguem as mesmas regras e ninguém é julgado por sua origem. Ele permite formar amizades e superar preconceitos.

Aprendizagem

Foi constatado que os programas esportivos melhoram o desempenho na aprendizagem de crianças e jovens e suas chances de conseguir um emprego. O esporte desenvolve as habilidades de liderança e aumenta a energia das pessoas, além de melhorar a concentração, a persistência e a autodisciplina. Os programas bem-sucedidos estimulam o desejo de obter sucesso e geralmente resultam em uma maior ambição e frequência escolar.


“Podemos nos perguntar se faz alguma diferença representar uma voz pela paz em um campo de futebol quando colocamos tudo em perspectiva. Porém, é importante lembrar que a raiva e a violência às vezes vistas em campo frequentemente representam a maneira como as pessoas lidam com os conflitos em geral na sociedade. Em um país com divisões tão fortes, o futebol pode superar barreiras e fazer com que diferentes comunidades se unam.”
Ramy Taleb, fundação para o perdão e a reconciliação, Líbano 

“Muitos pastores no Camboja consideram o esporte apenas um jogo, não um ministério. Às vezes, eles não permitem que seus jovens cristãos formem um time de futebol na igreja ou participem de qualquer treinamento esportivo. Eles estão perdendo a oportunidade de ajudar os jovens dessa maneira. 

“Formei um time de futebol, mas enfrentei muitos desafios porque eu não tinha nenhuma habilidade ou suporte técnico. Assim, quando as pessoas vinham jogar futebol, elas só pensavam em diversão e nada mais. 

“Em 2017, participei de um treinamento facilitado pela Evangelical Fellowship of Cambodia. Aprendi a montar e gerir times esportivos (de meninas e de meninos) e agora lidero o programa com muito mais eficiência. Envio todos os meus líderes juvenis para participar do treinamento e incentivo outros pastores a fazerem o mesmo.”
Lun Sokhom, pastor da igreja metodista Kampong Thom, Camboja

“É importante ter um compromisso de longo prazo, acompanhando cada jovem na descoberta de o que é importante para ele ou ela e a direção que eles querem que suas vidas tomem. Eles frequentemente vêm de circunstâncias muito difíceis, e pode levar muito tempo para que sua vida mude.

“Não se trata de algo que ocorre apenas aos domingos: trata-se de um processo. É necessário investir vários anos em amizade, orientação e discipulado para que haja mudanças duradouras.

“Depois de 20 anos, estamos começando a ver alguns jovens com quem trabalhamos voltando para ajudar como voluntários e professores. Agora, eles estão ajudando crianças e jovens na mesma situação em que eles se encontravam antes.”

Yinho Marcella, Asociación Cristiana Deportiva, Colômbia