Sustentabilidade - A questão ambiental chave

por Mike Carter.

Centenas de livros foram escritos sobre ‘sustentabilidade’. Talvez a maneira mais simples de se explicar o que isto significa seja olhar para a palavra em si. Sustentabilidade tem a ver com a capacidade de se sustentar algo. Será que aquilo que estamos fazendo, seja o que for, pode continuar em um longo prazo?

A definição mais comum de desenvolvimento sustentado vem do relatório Our Common Future da Comissão Mundial das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: ‘Desenvolvimento sustentado procura vir de encontro às necessidades e esperanças do presente, sem comprometer a capacidade de se vir de encontro às necessidades e esperanças do futuro.’

Talvez seja útil se pensar sobre sustentabilidade desta maneira…

Sustentabilidade = Produção + Fonte contínua de recursos

A pesca sustentada em um lago, por exemplo, involveria a recolha de peixes (produção), sem destruir os cardumes reprodutores (a fonte de recursos). Sustentabilidade envolve produzir o que necessitamos sem destruir os recursos para produção. Significa colher os frutos da criação de maneira com que não se reduza a capacidade de produção da criação.

Sustentabilidade pode se referir a um sistema agrícola, extração de madeira e de produtos florestais, como eliminamos o lixo produzido pelo Homem, como mantemos um programa de cuidados de saúde ou, por certo, como a economia de um lar ou de uma nação é administrada. Nos dois casos, a pergunta é a mesma – podemos continuar o que estamos fazendo, da maneira que o estamos fazendo agora, para sempre?

Um sistema sustentado é aquele que pode absorver pressões e choques e mesmo assim recupera rapidamente a produção quando a tensão ou choque é removido. Por exemplo, se plantações de arroz ao longo da costa estão bem protegidas por manguezais, o choque de inundações de monção pode causar poucos estragos duradouros. As plantações de arroz podem ser cobertas por água do mar, uma colheita pode ser perdida, mas a próxima colheita irá produzir como antes. Se no entanto, os manguezais fossem removidos, a água do mar poderia destruir as plantações de arroz completamente – o sistema entraria em colapso.

Não é porque o sistema é sustentado em uma área que ele será sustentado em outra. Cada comunidade, cada área, cada indústria deve avaliar com grande cuidado os seus próprios métodos para decidir se eles são sustentáveis.

Muitas atividades humanas não são sustentáveis – durante o processo de produção, os recursos que restam são prejudicados, destruídos ou esgotados. Isto pode ser causado por ignorância, ganância ou porque as pessoas simplesmente não se importam. É por isto que educação ambiental é tão importante. Como cristãos, esta educação deve ser baseada na Bíblia, centralizada em como as Escrituras nos instruem como usar e cuidar da criação.

Sistemas não sustentados podem ser permitidos continuar por uma outra razão. Por exemplo, sabemos que a terra contém uma quantidade limitada de muitos recursos como o petróleo, alumínio e estanho. Se usarmos estes recursos, finalmente nada sobrará. Mas muitas pessoas argumentam que estes recursos nos foram dados por Deus para os usarmos e que antes que eles se esgotem, a ciência e tecnologia inventarão outras alternativas. Isto, no entanto, não é uma maneira correta de administrarmos o que Deus nos deu.

Outra área problemática surge quando temos de fazer um levantamento dos custos reais de produção. Por exemplo, é sustentavel que um país permita que refrigerantes e cervejas sejam vendidos em latas? O preço real de uma bebida pode incluir os custos reais de produção do alumínio, coleta e destruição ou reciclagem das latas usadas? A sociedade e o meio ambiente deveriam ter que pagar por isto? Por certo, aquele que causa a poluição (a empresa produtora e o consumidor da bebida) deveriam pagar pelas despesas! Se as pessoas que causam a poluição forem obrigadas a pagar todos os custos reais, eles certamente mudariam os métodos de produção e de consumo, tornando-os mais sustentáveis.

Quais são as suas questões ambientais importantes?

Em um encontro recente na Nigéria, os participantes identificaram os seguintes pontos como sendo os problemas mais importantes em suas áreas por ordem de prioridade.

Erosão do solo – a perda de solo útil para agricultura pela ação da água, do vento e de atividades humanas. A perda da camada superior do solo reduz a capacidade do solo em absorver a água da chuva, causando o secamento de riachos, poços e mesmo rios.

Desertificação Muitos desertos no mundo de hoje foram cobertos por florestas ou usados para agricultura no passado. A necessidade de se encorajar a plantação de árvores e de se introduzirem métodos de agro-silvicultura em sistemas agrícolas é vital.

Crescimento da população Com o crescimento da população mundial, as demandas sobre a terra e os recursos aumentam. Seja qual for o progresso que um país faça em educação ou produção agrícola, haverá um efeito pequeno ou nulo no desenvolvimento deste país se a população continuar a crescer.

Poluição Gases industriais eliminados durante a fabricação de produtos pode causar problemas visuais e respiratórios, especialmente em regiões urbanas. Os rios e o mar são frequentemente usados como um grande depósito de lixo, causando muitos problemas.

Destruição de lixo Todos nós produzimos lixo, seja domiciliar, industrial ou como resultado da fabricação de produtos. As maneiras pelas quais destruímos o lixo frequentemente não são sustentáveis. Indivíduos, empresas e nações são bons em manter o lixo onde ele não pode ser visto e simplesmente ignorado. No entanto, os efeitos causados pela destruição inadequada do lixo habitualmente acabam nos atingindo. A destruição adequada do lixo envolve dinheiro e esforços. As empresas devem ser forçadas a destruir o seu lixo com segurança e prevenir a poluição. A pressão mais eficaz é a atuação do público. No entanto, a melhor maneira de se reduzir a poluição causada pela presença do lixo é reduzir – por usos mais eficientes dos recursos – a quantidade de lixo que produzimos. Muitas nações ricas estão começando a aprender esta lição.

Escassez de energia e combustível Os recursos mundiais de combustível – de madeira, carvão, petróleo e gás – estão sendo esgotados em um ritmo alarmante. Além disto, o consumo de combustíveis em fábricas, veículos e casas aumentou a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera. Isto funciona como um cobertor em volta da terra, fazendo com que ela aqueça mais – o ‘efeito de estufa’. Os cientistas estão apenas começando a descobrir as implicações envolvidas nisto. O aquecimento da terra poderia causar o derretimento gradual do gelo nos pólos, uma elevação no nível do mar, mudanças na produção agrícola, das pragas de insetos, mudanças climáticas e na queda de chuvas.

Mike Carter trabalha no Departamento Internacional do Bishop Burton College, Beverley, N Humberside, Reino Unido, com experiência no Quênia, Papua Nova Guiné e Nigéria.

Pontos para discussão

Tente usar estas perguntas em uma discussão em grupo. Pense em sua própria comunidade. Talvez seja útil pensarmos sobre outras áreas que os membros do grupo tenham visitado. Talvez os problemas deles sejam piores do que em sua área ou talvez eles tenham achado soluções para problemas semelhantes.

  • Quais são os principais problemas ambientais em sua área? Liste-os por ordem de prioridade para você.
  • As pessoas na comunidade estão conscientes destes problemas? Há necessidade de se conscientizar as pessoas de assuntos específicos? Se sim, como?
  • Que soluções há para os principais problemas em sua lista?

Permita que grupos diferentes na comunidade (homens, mulheres, jovens e idosos) discutam estas questões separadamente. Como as respostas deles se comparam? Você pode elaborar um plano de ação que agrade a todos?