Problemas com drogas

pelo Dr Taha Baasher.

Ao longo da história da humanidade, quase todos os países e culturas tiveram problemas com o uso e abuso de drogas. Desde os primeiros tempos de que se têm registros, as drogas têm sido usadas por diferentes razões – principalmente religiosas, medicinais e por prazer. O álcool e o ópio, por exemplo, eram ambos bem conhecidos na cultura egípcia antiga. A maconha era comumente usada em ritos cerimonias hindus, assim como na medicina indiana e chinesa. Os problemas relacionados com drogas não são novos

Hoje em dia, os problemas com drogas se tornaram mais variados, com características mais complicadas e globais. Drogas naturais – como a maconha, a cocaína, khat (qat) e ópio – que tinham sido previamente usadas somente em certas culturas e em comunidades tradicionais, têm sido cada vez mais exploradas e seu uso atinge um nível epidêmico. Da mesma maneira, drogas manufaturadas como a benzedrina e barbituratos e uma ampla variedade de sedativos e tranqüilizantes podem ser encontradas mais facilmente, tanto no mercado legal como ilegal.

Além disso, existe um hábito crescente entre jovens em alguns países de inalarem solventes de tintas e colas.

Os níveis de consumo excessivo de drogas está aumentando na maioria dos países. As drogas são usadas mais freqüentemente e em maiores quantidades. Há também uma tendência a se usar uma mistura de drogas diferentes ou combinar drogas com álcool.

O uso de cocaína requer atenção especial. Ela é a droga que produz mais dependência. Atualmente o seu uso está atingindo proporções epidêmicas em algumas partes do mundo e está rapidamente se alastrando para outras áreas. O hábito tradicional de mastigar folhas de cocaína nos Andes está sendo substituído pelo hábito de fumar pasta de cocaína nas cidades da América do Sul. O hábito de comer ópio nas comunidades rurais no sul da Ásia desenvolveu-se no hábito muito mais perigoso de se fumar ou injetar heroína.

A questão das drogas traz com ela uma larga variedade de problemas sociais e econômicos, incluindo crime, violência e negligência da vida familiar. A preocupação com os níveis de abuso está aumentando em muitos países.

Com o propósito de se prevenir o abuso de drogas, é importante identificar as razões principais para o seu consumo. A seguir, medidas práticas devem ser tomadas para se superar esta motivação. As razões para se usar drogas são muito variadas em cada cultura. Mesmo dentro do mesmo país, os programas de prevenção podem precisar de variar, de acordo com os problemas locais.

No nordeste do Afeganistão e em algumas partes do Paquistão, Índia, Myanmar e Tailândia, onde os serviços médicos rurais são precários, o ópio é usado como remédio caseiro e para se superar a dor e o desconforto causados pelo clima frio e dificuldades da vida. Desta forma, deve ser dada ênfase a esta necessidade prioritária antes de se lidar com o problema das drogas.

O que deveria ser prevenido? Quem deveria fazer o trabalho de prevenção? Em nível oficial, há acordos internacionais para se controlar o transporte e a exportação de drogas. Em nível nacional, o controle depende da polícia, das autoridades alfandegárias e de medidas governamentais. De maneira geral, as melhores medidas preventivas são as que são desenvolvidas pelas pessoas dentro de suas própias culturas e vida social. Os grupos religiosos podem ter um papel preventivo eficaz contra o uso de álcool e tabaco através do ensino sobre valores morais e auto disciplina.

Os problemas causados pelo uso de drogas estão entre as ameaças mais devastadoras da vida moderna. A prevenção destas ameaças exige esforços enormes das autoridades governamentais, ampla educação, campanhas de conscientização,e participação ativa da comunidade.

O Dr Taha Baasher é especialista em saúde mental. Ele foi previamente o Consultor Regional em saúde mental para a OMS em Alexandria. Este artigo foi primeiramente incluído na publicação World Health da OMS.