Estudo bíblico: Geração de recursos e cooperativas

Leia II Tessalonissenses 3:6-13.

O apóstolo Paulo estava profundamente preocupado com o relato de que alguns membros da Igreja em Tessalônica estavam inativos sem fazer qualquer trabalho útil, mas estavam ativos de uma maneira errada, interferindo, por exemplo, nos negócios dos outros (v 11). Isto criou uma má influência na comunidade que finalmente teve que assumir a responsabilidade de prover para tais pessoas desocupadas (I Tess 4:2). Paulo, desta forma, usando a si próprio e seus amigos como modelos, incentiva os Tessalonissenses a trabalharem juntos para gerar recursos e viverem por conta própria (v 12). Vamos verificar as características de Paulo como um modelo para nós próprios:

  • Apesar de que Paulo, como apóstolo, tinha autoridade para receber um salário das igrejas que estabeleceu (v 9), ele preferiu dar o exemplo de se auto-sustentar pelo seu trabalho árduo. Ele e seus companheiros trabalhavam ‘dia e noite’ ao invés de serem um peso para os membros da Igreja (I Tess 2:9).
  • Paulo gerou recursos fazendo o trabalho para o qual ele tinha habilidade e experiência. Ele tinha sido treinado no ramo de construção de tendas (trabalho com couro para a fabricação de tendas) e assim continuou com seu ofício em Corinto (Atos 18:3). Também precisamos reconhecer as nossas próprias aptidões e talentos e usá-las para nos trazer um sustento.
  • Paulo trabalhou com outras famílias no mesmo ramo. Ele se juntou ao casal Áquila e Priscila, que tinham a mesma profissão, e trabalhou com eles (Atos 18:1-3, II Tess 3:9 – ‘trabalhando noite e dia’).
  • O trabalho de Paulo sustentava ele próprio e seus companheiros (Atos 20:34). Ele também tinha uma preocupação profunda com os pobres e os necessitados. Ele incentivou os Efésios a trabalharem para que pudessem dar aos necessitados (Ef 4:28). Ele tinha motivado as igrejas gentias a fazerem contribuições para os necessitados em Jerusalém (Rom 15:26-27).

Nós, desta forma, como povo de Deus, somos chamados a trabalhar duro usando as nossas aptidões e a gerar recursos individual e coletivamente para que possamos sustentar a nós mesmos e àqueles que tiverem necessidade, sejam eles obreiros cristãos ou o pobre.

  • Iniciativas de geração de recursos e cooperativas são muito importantes para o bem-estar de famílias. No mundo moderno é fácil ignorarmos nossas responsabilidades familiares, mesmo quando estamos cuidando do necessitado. Os pais devem prover o que seus filhos necessitam (II Co 12:14), enquanto que os filhos devem retribuir este apoio quando seus pais envelhecem (I Tim 54).

Será impossível sustentarmos a nós mesmos, nossas famílias, a igreja e nossa comunidade a menos que desenvolvamos o hábito de ‘economizar’ um pequeno valor regularmente daquilo que recebemos. Caso contrário, nosso trabalho árduo pode ser em vão. Se José não tivesse armazenado alimentos durante os sete anos de fartura, ele e seu povo, no Egito e em Canaã, dificilmente poderiam ter sobrevivido durante a época da fome (Gênesis 41:33-57). Iniciativas de cooperativas com uma atitude de se ‘economizar’ podem construir uma comunidade próspera. É por esta razão que temos, em muitos lugares, bancos e sociedades cooperativas que oferecem vários sistemas de poupança e que distribuem o dinheiro economizado para projetos comunitários de assistência social. Se trabalharmos arduamente para gerar recursos e procurarmos maneiras de economizá-los, possivelmente poderemos superar injustiças e desigualdades econômicas.

por Dr Jey Kanagaraj.

Perguntas para discussão

  • Quais são as aptidões que possuo? Como posso usá-las para ter uma vida auto-sustentada?
  • Como posso ajudar a minha própria família e as famílias em minha comunidade?
  • Quem são os necessitados em nossa comunidade? Como podemos ajudá-los, como indivíduos e como grupo?
  • Como podemos usar nossos recursos individuais e conjuntos para sermos mais eficazes em missão e evangelismo?

O Dr Jey Kanagaraj é professor no ‘Union Biblical Seminary’, PO Box 1425, Bibvewadi, Pune, 411037, Maharashtra, India.