Bancos comunitários de cereais

pelo Pastor Samuel Yameogo.

Burkina Faso é um país da África ocidental, sem acesso ao mar, com uma única estação curta de chuvas. Freqüentemente há uma grande escassez de alimentos nas regiões mais secas do norte. Desde a década de 80, quando houve vários anos de fome, os bancos comunitários de cereais tornaram-se populares em todo o país, provendo uma solução com base nos povoados para a crítica escassez alimentar. Os bancos de cereais fornecem alimentos nas épocas mais difíceis do ano a preços cuidadosamente controlados. A ODE apoiou o estabelecimento de mais de 100 bancos de cereais.

O nordeste de Burkina Faso fica na extremidade do Deserto do Saara, com uma vegetação esparsa. A estação de chuva é entre Junho e Agosto. Durante esta época, a falta de pontes faz com que as estradas se tornem intransitáveis. Portanto, a região torna-se isolada por vários meses todos os anos. Provisões alimentares não podem ser trazidos de fora e os comerciantes aproveitam- se freqüentemente de estes períodos de alimentos escassos. Às vezes até mesmo inventam a escassez alimentar apenas para aumentar os preços no mercado. Eles controlam os mercados, vendendo os cereais por preços mais altos. Ateli e Matiacoali são exemplos de povoados nesta região.

Como incentivar comitês femininos

Grupos femininos com bancos de cereais geralmente são menos desenvolvidos do que os que são administrados pelos homens. Freqüentemente a colecta de cereais envolve longas jornadas a outras regiões que possuem cereais excedentes, o que não é fácil para as mulheres. No entanto, os comitês formados por mulheres têm uma série de vantagens…

  • Os comitês de administração são geralmente baseados na comunidade porque as mulheres viajam menos.
  • As mulheres são mais ’fiéis’ na sua administração financeira.
  • As mulheres têm mais habilidade na administração dos suprimentos alimentares, especialmente nas épocas de crise.

Conclusão

A ODE está muito satisfeita porque sentimos que o objectivo principal – de melhorar a segurança alimentar local – foi atingido. A experiência de Ateli e Matiacoali reforça a nossa opinião de que organizações pequenas como estas podem ser muito eficazes, uma vez que conscientizam-se sobre os problemas de segurança alimentar e unem-se para encontrar soluções. A concessão de crédito, treinamento e informação técnica é suficiente para permitir-lhes administrar a sua própria segurança alimentar. No entanto, ainda existe a necessidade de desenvolverem e acumularem experiências.

O Pastor Samuel Yameogo é o Diretor da ODE, uma federação de igrejas evangélicas em Burkina Faso que está comprometida com o desenvolvimento econômico, social, cultural e espiritual. ODE, 01 BP 108 Ouagadougou 01, Burkina Faso.

Estudo de caso 1: Banco de cereais de Matiacoali

Matiacoali é um povoado grande com 3.200 pessoas, situado na margem de uma estrada de asfalto. Há um mercado que é usado por mais de doze povoados na região. Os preços dos alimentos sobem muito durante a estação de chuva para além do que as famílias têm condições de pagar. Esta situação levou à formação de uma associação de mulheres no começo da década de 90 para lutar contra o mal da insegurança alimentar.

Em 1992/3 a fome nesta região fez com que a ODE viesse a estabelecer e administrar uma operação assistencial de urgência. Durante a fome, a ODE vendeu cereais a preços acessíveis (cerca de um quinto do preço do mercado). Após o período da fome, o dinheiro gerado por esta venda teve de ser usado em um projecto para melhorar a segurança alimentar. Aceitou-se a solicitação das mulheres de Matiacoali para que tivessem um banco de cereais.

Construiu-se um celeiro com a participação da associação de mulheres e uma equipe de administração foi selecionada para dar treinamento. Um empréstimo da ODE permitiu-lhes armazenar 25 toneladas de cereais.

Funcionamento

Desde 1994, o grupo de mulheres de Matiacoali armazenou cereais para os períodos críticos do ano. Logo após a época da colheita, de Dezembro a Fevereiro, o grupo visita os mercados da região para descobrir onde o preço está melhor e estoca o banco. Os cereais são vendidos em Julho e Agosto, a preços acessíveis para todos, entre os membros do grupo e as famílias mais necessitadas do povoado. Já foram feitos dois pagamentos do empréstimo. Desde o treinamento inicial da ODE, o comitê de administração adquiriu muitos conhecimentos práticos e agora está exercendo um controle maior do seu próprio projecto.

Alguns problemas

  • Devido a uma colheita muito boa em 1995, houve problemas para vender todos os cereais, pois as pessoas ainda tinham os seus próprios suprimentos. Isto fez com que o grupo vendesse parte dos seus cereais a um preço de custo aos seus membros, reduzindo a margem de lucro a zero. Isto dificultou os pagamentos.
  • A influência negativa de certos membros reduziu a motivação geral e as realizações deste grupo.
  • Devido ao grande tamanho do povoado, a demanda por cereais é difícil de ser satisfeita mas pelo menos o grupo pode ajudar parte da população.

Algumas soluções

  • Um novo comitê de administração foi formado, o que deverá aumentar a motivação.
  • Os fundos disponíveis para comprar estoques ainda permanecem em um bom nível, mas serão muito menores quando o grupo terminar de pagar o empréstimo. A ODE concedeu um novo crédito, desta vez com juros mais baixos. Isto poderá ajudá-los a aumentar os seus estoques para que mais pessoas beneficiem do banco de cereais.

Estudo de caso 2: Banco de cereais de Ateli

Ateli é um povoado de 1.000 pessoas. Os homens do povoado formaram um grupo em 1982 durante um período de fome. Um dos objectivos deles era de unirem-se à luta por auto-suficiência alimentar. O projecto comunitário de banco de cereais foi iniciado em 1986 para melhorar a segurança alimentar. O grupo pediu a ajuda da ODE, que concordou em fornecer o crédito necessário para começar o trabalho. Construiu-se um bom celeiro comunitário de cereais com a participação dos moradores do povoado.

Funcionamento

Um comitê para cuidar da administração do banco de cereais foi selecionado. O povoado de Ateli escolheu bem as pessoas e um comitê dinâmico foi formado. Eles receberam treinamento da ODE sobre a armazenagem de cereais e comercialização. A ODE concedeu crédito para a compra de cereais no final do período da colheita, quando os preços estão baixos. O crédito foi dividido em duas prestações, concedidas em dois anos sucessivos, para reduzir o risco no primeiro ano. Ateli comprou 5 toneladas de cereais no primeiro ano e 5 toneladas no segundo ano.

Desde 1988, Ateli armazena vários tipos de cereais no seu banco de cereais. Os preços dos cereais são fixos pelo grupo do povoado para prover um equilíbrio entre os preços baixos dos cereais no final do período de colheita e os altos preços dos cereais cobrados pelos comerciantes mais tarde no ano. Como os alimentos estão em grande escassez, os cereais são vendidos aos moradores do povoado regularmente. Ateli conseguiu pagar o empréstimo em apenas quatro anos.

Impacto do projecto

Os moradores do povoado de Ateli receberam bem o banco de cereais e compreenderam a vantagem de protegerem os seus cereais. Durante os três meses de chuva do ano, as famílias sobreviveram facilmente durante o período de escassez, graças ao banco de cereais que possuíam.

Alguns problemas

  • Uma das dificuldades tem sido o uso de registros. Neste ambiente rural, a maioria das pessoas são analfabetas. A administração do banco de cereais requer bons registros escritos.
  • Se os cereais forem concedidos a crédito para ajudar as pessoas durante os períodos mais difíceis, isto causa problemas com a cobrança das dívidas, o que exige muita paciência por parte do comitê.
  • Uma vez que o empréstimo é pago, o banco só pode operar com o pequeno lucro obtido durante os cinco anos que o crédito foi concedido. Isto significa que eles têm dificuldades em comprar cereais suficientes com antecedência para todas as famílias do povoado.

Algumas soluções

  • As igrejas exerceram um papel importante na alfabetização e no ensino de matemática básica para permitir que as pessoas façam melhores registros escritos.
  • Para aumentar o poder de compra dos bancos de cereais, a ODE ofereceu um novo empréstimo a todos os bancos de cereais bem administrados, os quais incluíam Ateli.
  • A ODE vai continuar a fazer um acompanhamento e dar apoio aos comitês, até mesmo depois dos empréstimos serem pagos, até decidirem que a organização está suficientemente no controle do projecto inteiro.

Bancos de cereais bem sucedidos

Pontos principais

A comunidade deve tomar a decisão de estabelecer um banco de cereais por si própria. As agências de fora nunca devem tomar esta decisão no lugar da comunidade. A comunidade deve possuir e controlar o banco de cereais. Um comitê para administrar o banco de cereais precisa ser democraticamente eleito. Especialistas de fora da comunidade podem ser necessários para aconselhar sobre a compra, a preservação e a comercialização dos cereais, assim como para administrar o banco.

Os bancos comunitários de cereais não devem ser vistos como uma assistência de emergencia nas épocas de fome pois isto cria dependência. Pelo contrario, eles devem ser vistos como passos prácticos tomados pela comunidade para melhorar a segurança alimentar dela própria.

Características

Os bancos comunitários de cereais fornecem um solução práctica aos problemas de segurança alimentar…

  • Eles são simples.
  • Eles são administrados localmente por aqueles que beneficiam deles.
  • Eles não precisam de apoio técnico externo.
  • Eles são iniciados no nível de base.
  • Eles são participativos – os beneficiários participam em todos os níveis de tomada de decisões.
  • Eles não criam dependência e incentivam a comunidade a sentir-se dona das suas iniciativas.
  • Eles custam pouco para serem estabelecidos.
  • Eles duram muito tempo.

Os alimentos estarão disponíveis em épocas vitais, quando os agricultores e as suas famílias precisarem muito deles. Isto significa que os agricultores não serão forçados a trabalhar por dinheiro apenas quando precisam passar algum tempo nas suas propriedades.

Produzido com informações fornecidas por Moise Napon, Diretor da CREDO, uma agência cristã de desenvolvimento. O endereço dele é: 01 BP 3801 Ouagadougou 01, Burkina Faso.