Objetivo 6 Combater o HIV (VIH) / AIDS (SIDA), a malária e outras doenças

Os alvos deste objectivo são interromper e começar a diminuir a propagação do HIV/VIH e da AIDS/SIDA e a incidência de malária e outras doenças graves até 2015.

Situação geral A malária é uma doença transmitida pela mordida de mosquitos infectados. Há 300- 500 milhões de casos de malária a cada ano, resultando em aproximadamente três milhões de mortes. Cerca de 90% destas mortes ocorrem na África, a maioria em crianças pequenas. Além de febre, ela causa muitos outros problemas nas crianças, inclusive peso baixo ao nascer, epilepsia e anemia. A malária causa um quinto de todas as mortes infantis da África. Quase metade de todos os pedidos de tratamento em clínicas e hospitais da África são para a malária. A malária tem um impacto considerável na economia de muitos países por reduzir o número de pessoas capazes de trabalhar com eficácia.

Proteger as nossas famílias contra a malária

Isabel Carter

O uso de mosquiteiros saturados (impregnados) com insecticida é uma das formas mais eficazes de diminuir a propagação da malária. Os mosquitos que transmitem a malária são mais activos quando o sol se põe, depois de escurecer e ao nascer do sol. Dormir embaixo de mosquiteiros, especialmente mosquiteiros saturados (impregnados) com insecticida, é a forma mais eficaz de protegermos as nossas famílias contra a malária. Se a família só tiver um mosquiteiro, as crianças pequenas, as grávidas e as mães que estão a amamentar devem ter prioridade para dormir em baixo dela.

O uso correcto dos mosquiteiros – saturando-os regularmente com insecticida, reparando os buracos e metendo-o por baixo do colchão para evitar que os mosquitos entrem – reduz muito os casos de malária. Se houver mosquiteiros disponíveis no local a um preço razoável ou subsidiado, eles serão um investimento valioso. Recomendam-se os mosquiteiros “Perma”, pois eles só precisam ser saturados (impregnados) com insecticida uma vez a cada quatro anos. Se não houver nenhum disponível, as pessoas podem fazer o seu próprio mosquiteiro.

Como fazer mosquiteiros  

Pode-se comprar rede (filó) em grande quantidade para fazer muitos mosquiteiros. A rede (filó) de qualidade mais forte é melhor, pois os mosquiteiros serão mais fortes e menos propensos a se rasgarem. Os mosquiteiros quadrados são mais fáceis de costurar, oferecem mais protecção e são mais úteis quando há várias pessoas dividindo o mesmo mosquiteiro. Se a rede (filó) for muito cara, há algum outro tecido leve, que talvez possa ser usado? Por exemplo, o tecido usado para fazer saris antigos (vestuário das mulheres hindus) na Ásia, musselina fina ou o algodão usado para fazer shammas (chales leves) na Etiópia.

Mosquiteiros para camas Corte a rede (filó) para as laterais. Primeiro meça a largura e o comprimento da cama. Some estas duas medidas, aumente o resultado e acrescente 20cm para a costura. Acrescente um pedaço a mais no comprimento para poder meter o mosquiteiro por baixo do colchão. Se as pessoas dormirem sobre esteiras no chão, os mosquiteiros precisarão de ser mais compridos. Costure as laterais. Corte um pedaço para a parte de cima, usando a largura e o comprimento da cama. Costure-o, colocando as fitas e os triângulos de reforço nos quatro cantos. Faça uma bainha, se necessário.

Portas e janelas Se possível, faça uma armação para cada janela e porta e cubra com tela para mosquitos. Se a tela for muito cara, considere a possibilidade de cobrir as janelas e as portas com rede (filó). Corte o rede (filó) para cobrir as janelas e as portas, acrescentando 40cm para as bordas. Faça uma bainha larga na parte de cima e outra na parte de baixo e enfie um pau em cada uma. Pendure a parte de cima da cortina feita de rede (filó) usando ganchos ou pregos dobrados. O peso do pau dentro da bainha da parte de baixo ajudará a rede (filó) a ficar esticada. Puxe a cortina da porta para o lado e amarre-a durante o dia, para que não se danifique.  

Saturados com insecticida Sature todos os mosquiteiros e cortinas com insecticida a base de piretroide, tais como permetrin, etofenprox ou deltametrin, usando as dosagens recomendadas. Agora há insecticidas de longa duração. Lave com sabão os mosquiteiros já usados primeiro e seque-os bem. Mergulhe os mosquiteiros numa bacia com insecticida diluído correctamente. Use luvas ou sacos de plástico para cobrir as mãos. Torça o mosquiteiro e deixe pingar na bacia até parar. O mosquiteiro pode ser pendurado sobre a cama para secar. Avantagem disto é que mata os percevejos-de-cama! Enquanto os mosquiteiros secam, vire-os umas duas vezes, para assegurar que o insecticida se distribua uniformemente.

Os mosquiteiros e as cortinas devem ser lavados e saturados com insecticida uma vez a cada seis meses. O insecticida mata os peixes. Portanto, jogue fora os resíduos com cuidado, longe dos rios e das lagoas.

Estudo de caso : Smartnet

Na Tanzânia, foi estabelecida uma parceria entre o Ministério da Saúde, ONGs, pesquisadores, fornecedores de insecticidas, agências doadoras, distribuidores, atacadistas e varejistas. Conhecida como Smartnet, a parceria tem como objetivo criar um mercado para mosquiteiros impregnados, garantindo também que as pessoas pobres tenham acesso a eles. A Tanzânia produz agora 90% dos mosquiteiros impregnados com insecticida da África.

Outras idéias para alcançar o Objectivo 6

  • Salpique o chão com folhas de nim.
  • Feche as janelas e as portas antes do pôr-do-sol.
  • Encher (Aterre) qualquer poça com água estagnada que houver perto da casa.
  • Elimine os resíduos de vegetação perto da casa, para evitar a reprodução dos mosquitos.
  • Ofereça educação e grupos de discussão para os jovens sobre o HIV/VIH e a AIDS/SIDA, para que eles estejam bem informados e totalmente cientes de como o vírus é transmitido. 

Progresso do Objectivo 6 

Alguns países, como o Senegal, o Brasil, a Tailândia e Uganda, conseguiram interromper o índice de aumento do HIV/VIH e da AIDS/SIDA. Entretanto, outros países não conseguiram, e é difícil obter estatísticas precisas. Se não houver algum avanço médico, é improvável que o índice de aumento do HIV/VIH e da AIDS/SIDA seja interrompido. Houve um progresso considerável no controlo e no tratamento da tuberculose, mas não da malária.