A importância do treinamento e do acompanhamento

Mija den Hartog

“Comecei um negócio pela primeira vez em 1990. Antes disso, eu geralmente ia à cidade vender verduras. Cada vez que eu ia, via muitas pessoas vindo de seus povoados e comprando coisas em quiosques (pequenas lojas) que pertenciam a pessoas não papuásias (os papuásios são um dos principais povos da Indonésia e incluem muitos grupos étnicos minoritários). A idéia que eu tive foi que eu poderia ter um destes quiosques no meu próprio povoado e ganhar tanto dinheiro quanto estas pessoas da cidade. Economizei algum dinheiro e abri um quiosque. Mas, infelizmente, meu negócio não deu certo. Tentei continuar com o negócio por 16 anos, mas ele nunca dava certo. Ele não deu certo por causa dos maus hábitos, como o jogo e a embriaguez, mas principalmente por causa da falta de conhecimento comercial.”   

Charles Asso monitorando o seu negócio.  Photo: Ferdinand Chondy/Yayasan Oikonomos Papua
Charles Asso monitorando o seu negócio. Photo: Ferdinand Chondy/Yayasan Oikonomos Papua

Este é um resumo da história da vida de negócios de Charles Asso, um homem que não desistiu depois que seu negócio fracassou várias vezes ao longo de 16 anos. Porém, mesmo uma grande perseverança não podia ajudar seu quiosque a sobreviver. Pessoas como Charles precisam aprender como administrar bem um negócio e como lidar com as situações culturais. 

Na nossa organização, a Yayasan Oikonomos Papua, com freqüência, encontramos homens e mulheres como Charles Asso. Desde o início, a Yayasan Oikonomos Papua começou a ajudar as pessoas, dando-lhes a oportunidade de fazer cursos na nossa escola comercial e receber microcrédito. Nós logo vimos que esta ajuda não era suficiente, então, começamos o nosso “programa de incubação”. As pessoas agora podem entrar para as unidades de treinamento, como por exemplo, quiosques ou lojas de aluguel de computador, para serem treinadas num ambiente comercial durante vários meses. Assim, elas ficam mais bem preparadas para manterem seu negócio em andamento depois de iniciá-lo. Através do programa, também treinamos pessoas a longo prazo, através do acompanhamento. O treinamento e o acompanhamento de longo prazo são fatores fundamentais para o sucesso. 

Superando as dificuldades 

Os empresários papuásios precisam superar muitas dificuldades. Sete das dificuldades principais enfrentadas por eles são: 

  • Estruturas sociais

Os empresários dão artigos e dinheiro para os seus parentes e, assim, perdem dinheiro e não podem reinvestir na empresa. (Os papuásios sentem-se obrigados a fazer isto para manter as relações e evitar maldições ligadas às suas raízes animistas.)

  • Contabilidade e poupança 

A falta de uma boa contabilidade causa gastos irresponsáveis. 

  • Disciplina, motivação e foco  

Os empresários não têm disciplina e motivação para trabalhar arduamente para a empresa porque têm baixas expectativas de sucesso. 

  • Transporte

Há falta de uma boa infra-estrutura de transporte em Papua Ocidental, o que dificulta para que os proprietários de empresas transportem os seus produtos para o mercado. 

  • Mentalidade 

Os papuásios são “programados” com o sistema de status social indonésio. Por exemplo, trabalhar num quiosque é para o povo javanês, a horticultura é para os papuásios e a carpintaria é para as pessoas da cidade de Manado. Isto cria uma baixa auto-estima e falta de motivação para escapar desta maneira de pensar. 

  • Exclusão e corrupção  

Os papuásios freqüentemente têm de pagar preços mais altos que os não papuásios pelas matérias-primas e, assim, têm de cobrar preços mais altos para obter um lucro. 

  • Preços altos

O aumento do preço dos suprimentos cria dificuldades para a obtenção de um lucro.

Para melhorar o microempreendimento, recomendamos as seguintes medidas: 

  • Criar e cultivar modelos exemplares (também conhecidos como “agentes de mudança”).
  • Dar mais atenção para a contabilidade e a poupança privadas.
  • Visitar as pessoas após as sessões de treinamento para fazer um acompanhamento e oferecer apoio.
  • Incluir mais informações sobre os aspectos sociais e culturais nas sessões de treinamento.
  • Ensinar as pessoas sobre as respostas cristãs para as crenças e maldições animistas. 
Charles in his kiosk. Photo: Ferdinand Chondy/Yayasan Oikonomos Papua
Charles in his kiosk. Photo: Ferdinand Chondy/Yayasan Oikonomos Papua

O negócio de Charles também fracassou várias vezes por causa das estruturas sociais da Papua Ocidental. Numa sessão de treinamento, ele nos contou: “Eu não tinha nenhum conhecimento comercial e não entendia que as nossas estruturas sociais eram responsáveis pelo fracasso do meu negócio. Eu costumava dar artigos do meu quiosque aos meus parentes para manter boas relações com eles. Além disso, quando eu vendia artigos, eu usava o dinheiro para as minhas necessidades diárias. Eu nunca economizava dinheiro para comprar um estoque novo. Quando eu recebia ajuda financeira, eu abria o meu quiosque de novo, mas quando o estoque terminava, eu também já estava sem dinheiro.” 

Porém, a vida de Charles mudou: “Quando eu conheci a equipe de treinamento da Yayasan Oikonomos Papua, fui convidado a entrar para o nível um do curso de treinamento em quiosques. Durante este treinamento, aprendi por que o meu negócio nunca dava certo e por que outros negócios muitas vezes não dão certo, principalmente os negócios que pertencem aos papuásios. Eles nos ensinaram como podemos estabelecer um sistema fácil de administração para podermos monitorar o nosso negócio. Por causa do novo entusiasmo, do treinamento contínuo oferecido pela Yayasan Oikonomos Papua e do apoio da minha família, meu negócio agora está indo muito bem. Espero poder expandir meu negócio ainda mais, para poder servir de exemplo para outros negócios papuásios”. 

Conclusão 

Muitas vezes, durante as sessões de treinamento, vemos que ensinar as pessoas a lidar com as dificuldades que enfrentam abre seus olhos e proporciona-lhes a força para iniciar ou reiniciar seu negócio. Cada treinamento começa com um estudo bíblico, para que as pessoas possam ver o que a Bíblia nos diz sobre os negócios, os relacionamentos e a nossa vida diária. Alguns estudos bíblicos que já usamos são:

  • a videira e os ramos (João 15:1-8)
  • a parábola dos talentos (Mateus 25:14-30)
  • vida pelo Espírito (Gálatas 5:16-26)
  • a submissão a Deus (Tiago 4:7). 

Os debates durante as sessões de treinamento servem para conscientizar as pessoas sobre os problemas e incluem figuras e histórias (como a de Charles) para mostrar situações e experiências da vida real. Também vemos que os empresários treinados geralmente têm mais sucesso que as pessoas que começam sem nenhum treinamento e que elas podem atuar como boas agentes de mudança nas suas comunidades. 

Mija den Hartog trabalha como treinadora para o Programa de Incubação da Yayasan Oikonomos Papua. Papua Ocidental Indonésia E-mail: info@yop.cc