Mapa do conflito

Mapa do conflito (PDF 138 KB)

Também chamado de mapa das relações ou mapa dos atores, ele usa círculos para mostrar os principais grupos envolvidos no conflito e linhas para representar as relações entre eles. Assim como na maioria das ferramentas de análise de conflitos, a melhor maneira de criar esse mapa é através de uma atividade em grupo, como, por exemplo, com todos os funcionários de uma organização ou com um grupo comunitário.

Se estiver trabalhando em meio ao conflito, você pode usar o mapa para responder a perguntas como:

  • Dadas as nossas relações com alguns grupos, como os outros grupos provavelmente nos veem?
  • Precisamos formar ou consertar relações com alguém nesse mapa?
  • Nesse mapa, quem se beneficia com o nosso trabalho? Como isso afetará o conflito e a maneira como outros grupos nos veem?

Se estiver trabalhando com o conflito, você também pode usar o mapa para responder:

  • Que relações, nesse mapa, poderíamos restaurar, fortalecer ou criar para reduzir o conflito?
  • Podemos nos envolver com todos os grupos que exercem mais influência no conflito? 
  • O nosso trabalho lida com as causas fundamentais do rompimento de relações entre grupos nesse mapa?

Estudo de caso – Afeganistão

Por que precisamos de uma análise de conflitos

A Tearfund trabalha em Kandahar, no Afeganistão, há muitos anos. Servimos num assentamento informal construído em terras do governo, onde pessoas deslocadas de todo o país vivem sem permissão oficial.

Um dos nossos projetos visava ajudar as comunidades a reduzir seu risco de desastres. Começamos pedindo-lhes para que identificassem seu maior risco. Ao invés de responder “enchente” ou “seca”, dessa vez a resposta foi “a polícia”. Os rebeldes que viviam na vizinhança estavam brigando com a polícia, colocando os moradores em perigo.

Nosso projeto não consistia no trabalho com questões de conflito, portanto pedimos para que eles escolhessem uma ameaça natural ao invés disso! Trabalhamos no projeto de abastecimento de água que eles pediram, mas ficamos surpresos quando algumas pessoas do governo se opuseram a ele. A introdução de água encanada tornaria o assentamento informal mais permanente. Portanto, a comunidade ainda estava procurando reduzir seus riscos relacionados com o conflito, mesmo através do nosso projeto de abastecimento de água. A disputa atrasou o projeto em alguns anos e colocou nossa reputação e nossos funcionários em risco. Aprendemos que, numa zona de conflito, sempre devemos perguntar: “Como as pessoas tentarão usar o nosso projeto para fortalecer sua posição no conflito?”. As pessoas podem usar nosso trabalho de uma forma que não pretendíamos, nem imaginávamos. Compreender a dinâmica do conflito é essencial para evitar esse tipo de erro.