“Pense como uma galinha”

As galinhas mais bonitas nem sempre produzem os melhores ovos ou a melhor carne. Foto: Will Boase/Tearfund
As galinhas mais bonitas nem sempre produzem os melhores ovos ou a melhor carne. Foto: Will Boase/Tearfund

Conselhos de um especialista em aves 

Keiron Forbes foi apelidado “Galinhologista” por viajar pelo mundo ajudando as pessoas a iniciarem projetos de criação de galinhas, resolvendo problemas com suas aves e dando conselhos sobre como entender o comportamento das galinhas. Ele acredita que o segredo da boa avicultura é compreender como Deus fez as galinhas e trabalhar com os instintos naturais e os comportamentos delas para aproveitá-las ao máximo. 

Reprodução 

A reprodução de aves é muito complicada, portanto, é melhor deixá-la para os especialistas. Para reproduzir galinhas, é necessário considerar as características de uma família inteira de aves ao longo de seu ciclo de vida inteiro e não fazer uma escolha apenas com base numa ave individual. Por exemplo, se um galo tiver olhos bons e fortes e você o escolher para cruzar com suas galinhas, os pintinhos ainda assim poderão sair com uma visão ruim. Os reprodutores examinam famílias inteiras de galinhas e talvez saibam que a irmã desse galo, na verdade, tem uma visão ruim. Nosso galo maravilhoso pode ser portador de características ruins, mesmo que ele próprio não apresente essas características. 

Você pode escolher uma galinha que produz muitos ovos e achar que ela será uma boa candidata para um programa de reprodução. Mais tarde, ela pode produzir ovos com cascas fracas, mas você talvez não tenha esperado tempo suficiente para descobrir isso! 

Procurar o galo com a plumagem mais bonita nem sempre é a melhor decisão. Ele pode passar grande parte do tempo alisando as penas e pouco tempo acasalando-se com as galinhas. Ao invés disso, é melhor procurar um galo com um bom comportamento reprodutivo, mesmo que ele não tenha as penas mais limpas do mundo. 


“Eu achava que tinha deixado uns ovos por aqui... Bem, acho que vou ter que pôr outro.” Ilustração: Amy Levene
“Eu achava que tinha deixado uns ovos por aqui... Bem, acho que vou ter que pôr outro.” Ilustração: Amy Levene

Retire os ovos 

Com as raças tradicionais, que perambulam e não vivem em galinheiros, pode-se esperar cerca de 150 ovos durante o ciclo de vida da galinha. Com as galinhas de galinheiro, o número aumenta para 250–300 ovos. O motivo disso é que, ao retirar os ovos, você engana a galinha fazendo-a pensar que ainda não pôs o ovo, e, então, ela põe outro. Se você não retirar os ovos, a galinha simplesmente começará a se sentar sobre eles para chocá‑los, e sua produção de ovos diminuirá. 

NOTA DA EDITORAPara mais informações sobre como construir um galinheiro e ninhos para suas galinhas, veja as páginas 8–9. 

Transformação de pintinhos em “galinhas poedeiras” 

As galinhas que não são nativas dos trópicos começam naturalmente a pôr ovos na época da primavera, pois elas sabem que haverá alimentos para seus pintinhos. Porém, as pessoas gostam de comer ovos o ano inteiro. Para fazer com que as galinhas comecem a pôr ovos em outras épocas do ano, os criadores profissionais enganam os pintinhos. Eles bloqueiam a luz ou usam iluminação extra (dependendo da estação) para dar aos pintinhos dez horas de luz por dia e fazer com que pareça que é inverno. Depois de 16 semanas, eles acrescentam mais três horas de luz, e os pintinhos, que agora são galinhas, pensam que é primavera. Vinte e um dias mais tarde, elas começam a pôr ovos. 

Galinhas de presente 

Com frequência, quando alguém vem nos visitar, ele ou ela nos traz uma galinha de presente. Porém, esse ato amável pode ocultar muitos riscos. As pessoas geralmente não dão sua melhor e mais saudável galinha, mas, sim, uma que esteja velha ou doente. Viajar com uma galinha doente coloca a pessoa que a dá e a pessoa que a recebe em risco de adoecerem também. Se você ganhar uma galinha de presente e tiver certeza de que ela vem de um bando saudável, a melhor coisa a fazer é comê-la imediatamente com seus convidados. Se quiser mantê-la, não a coloque com suas outras aves ou animais. Coloque-a num galinheiro sozinha por, pelo menos, três semanas para ver se ela é saudável. Depois disso, você poderá deixá-la ter contato com as outras aves. 

Keiron Forbes é nutricionista de aves na Irlanda do Norte, com 35 anos de experiência com aves por todo o mundo.