Redução do Risco de Desastres

Está para além da nossa capacidade, evitar ou reduzir a maior parte dos perigos naturais – um evento extremo que ocorre naturalmente e que pode causar dano aos seres humanos e ao meio ambiente –, mas um perigo natural, por si só, não causa automaticamente um desastre. Deve haver um certo grau de vulnerabilidade para que um perigo afete as pessoas. A Redução do Risco de Desastres reconhece que podemos reduzir o impacto dos desastres ao reduzirmos tal vulnerabilidade. Por exemplo, construir edifícios resistentes a tremores pode evitar que um perigo (um terremoto) se transforme num desastre (casas destruídas e pessoas mortas).

A Redução do Risco de Desastres é um aspecto primordial no desenvolvimento da resiliência, e deve estar intimamente integrada ao trabalho de mitigação da mudança climática, da degradação ambiental e dos conflitos, por serem esses os principais geradores de vulnerabilidade a desastres.

O Ciclo dos Desastres

Explorar o que acontece quando as pessoas vivenciam situações de choque e estresse pode nos ajudar a entender o que significa a resiliência. Diariamente, pessoas e comunidades estão se adaptando às situações de choque e estresse da vida sem entrar em crise. Mas o que acontece quando eles entram em crise? O Ciclo dos Desastres mostra como as pessoas reagem e se adaptam quando a crise acontece. Nesses momentos, seu comportamento se encaixa em uma dessas três categorias: Gestão do Estresse, Gestão da Crise e Gestão do Risco.

The Disaster Cycle (PDF 582 KB) (em inglês)
Esse documento explica o diagrama acima mais detalhadamente.

Nossos recursos na área de Redução do Risco de Desastres

ROOTS 9 – Reduzindo o risco de desastres em nossas comunidadesROOTS 9 – Reduzindo o risco de desastres em nossas comunidades (PDF 682 KB)
O processo de Avaliação Participativa do Risco de Desastres da Tearfund (APRD) ajuda as comunidades a avaliar os fatores que contribuem para o tamanho e a escala de qualquer desastre potencial e a desenvolver planos próprios locais para enfrentar tais riscos. É um processo de empoderamento comunitário que ajuda as pessoas a entender as relações de causa e efeito e a reconhecer sua própria capacidade de reduzir sua vulnerabilidade aos riscos.
Também disponível em francês (PDF 1.2 MB), espanhol (PDF 676 KB), inglês (PDF 896 KB), árabe (PDF 1.8 MB), bangla (PDF 10.9 MB),chinês (mandarim) (PDF 1.4 MB), e nepalês (PDF 2 MB).

GUIAS PILARES – Preparando-se para desastresGUIAS PILARES – Preparando-se para desastres (PDF 4.6 MB)
Um recurso prático de aprendizagem com base em discussões para pequenos grupos comunitários. Incentiva as comunidades a considerar possíveis situações de risco e as ajuda a se prepararem para responder de maneira mais eficaz. Inclui informações sobre primeiros-socorros, armazenamento de emergência e abrigos comunitários. 
Também disponível em francês (PDF 2.3 MB), espanhol (PDF 2.3 MB), inglês (PDF 2.3 MB), bangla (PDF 11 MB), chinês (mandarim) (PDF 1.7 MB) e nepalês (PDF 4.5 MB).

Characteristics of a disaster resilient community front coverThe Characteristics of a Disaster Resilient Community (PDF 2.4 MB) (em inglês)
Uma publicação que se baseia no trabalho de redução do risco de desastre comunitário de muitas ONGs (incluindo a Tearfund e seus parceiros), descreve as 168 características de uma comunidade resiliente aos perigos naturais.
Esse recurso também está disponível em francês (PDF 2.2 MB).

“The Characteristics of a Disaster Resilient Community” pode ser usado como um recurso de planejamento estratégico e como a base para um sistema de medição e monitoramento da resiliência a desastres. A Tearfund recomenda a abordagem dos “Top 20”, priorizando um número gerenciável de características que sejam as mais relevantes aos desastres em uma dada área.
Possible “Top 20” for fast-onset natural hazards (PDF 54 KB) (em inglês)
Possible “Top 20” for slow-onset natural hazards (PDF 54 KB) (em inglês)

DEC Pakistan DRR report (June 2012) (PDF 1.9 MB) (em inglês)
Esse relatório estuda a resposta às enchentes ocorridas no Paquistão, em 2010, que afetaram mais de 20 milhões de pessoas.

Soil Stabilised Blocks in Darfur (PDF 1.9 MB) (em inglês)
Esse estudo de caso examina a introdução de Tijolos de Solo Estabilizado como meio de um rápido contra-ataque ao desmatamento em Darfur.

Evaluation of Community Resilience in Uganda (PDF 652 KB) (em inglês)
Um exemplo de como usar a abordagem da Tearfund para medir a resiliência com as características do “Top 20”.

Towards Resilience, Emergency Capacity Building Project (em inglês)
Um guia para a adaptação à Redução do Risco de Desastres e à Mudança Climática