Recuperação de Desastres e Crises

Uma resposta eficaz aos desastres pode salvar tanto os meios de vida, quanto as próprias vidas, colocando, assim, as comunidades afetadas no caminho da recuperação rapidamente. Ao responder aos desastres, consideramos como lidar com as verdadeiras causas da emergência ao mesmo tempo em que respondemos às necessidades de salvar vidas.

IIncluindo a “recuperação” na resposta a desastres

Em projetos de resposta emergencial é muito importante executar uma “recuperação” bem feita. Para a maior parte dos projetos, esse é o período quando as atividades terminam, ou mesmo, quando os recursos são encerrados. Em crises prolongadas, essa é uma etapa bastante difícil se as circunstâncias que mantém as populações em um local de necessidade humanitária não tiverem mudado. Dessa forma, garantir que a comunidade seja deixada mais estável e segura é uma parte crucial da criação de um ambiente que possibilite o início de projetos de desenvolvimento.

Não existe uma fronteira clara que estabeleça onde a ação humanitária termina e a ação de desenvolvimento começa. Em vez disso, frequentemente chega-se a um ponto em que as atividades de construção da paz e da resposta humanitária e a ação de desenvolvimento tenham de atuar juntas. Na elaboração de projetos em situações complexas, uma boa prática é avaliar regularmente as atividades e analisar constantemente a situação econômica e política na qual o projeto opera.

Reconstruir Melhor

O conceito “building back better” (reconstruir melhor) geralmente é associado à garantia de que a construção siga os códigos para terremoto ou que uma escola seja reconstruída com melhor acesso aos banheiros. Contudo, para a Tearfund, o “building back better” é algo muito mais profundo. Nós nos perguntamos: “Como podemos focar melhor nos mais marginalizados e excluídos?” ou “Como podemos garantir que a proteção e as práticas de gênero sejam integradas e assimiladas pela comunidade?”. Essas perguntas asseguram que, caso haja outra crise ou desastre, coloquemos a maior ênfase sobre aqueles que seriam os mais afetados, garantindo que seu trauma anterior ou seu estado de marginalidade não seja ainda mais agravado.

A importância da aprendizagem

Aprendizagem, reflexão e adaptação são elementos fundamentais do nosso processo de resposta e recuperação. A Tearfund agrupa as principais lições aprendidas em torno dos nossos compromissos com o Padrão de Qualidade, a fim de facilitar a aprendizagem a partir das nossas experiências e da melhoria contínua. Contudo, ao final de um projeto, é importante identificar o aprendizado que possa ser transferido. Abaixo, você encontrará algumas lições aprendidas em áreas específicas que reunimos sobre nosso trabalho anterior, bem como algumas pesquisas e estudos de casos.

Recursos sobre Recuperação

Avaliações

Os relatórios de avaliação externa de projetos de gestão de desastres, realizados pelas equipes operacionais da Tearfund e seus parceiros, são uma fonte valiosa de aprendizagem e boas práticas. Você pode encontrar os relatórios em evaluation page (em inglês).

Sites úteis sobre a melhoria da recuperação

Owner Driven Reconstruction (em inglês) 
é uma abordagem que promove a apropriação local e uma recuperação economicamente mais viável, integrando as abordagens de redução de risco.

International Recovery Platform (em inglês)
é uma fonte de conhecimento internacional sobre as boas práticas de recuperação. A IRP se concentra em desempenhar um papel mais especializado como um “mecanismo internacional para o compartilhamento de experiências e lições associadas ao ‘build back better’”.

Linking Preparedness, Resilience and Response (em inglês)
Em um projeto financiado pela Start Network, a Christian Aid, juntamente com outros membros da rede, criou um projeto de ações de aprendizagem sobre alguns aspectos práticos da integração do “elo” existente entre a preparação, a resiliência e a resposta.

ALNAP – Active Learning Network for Accountability and Performance (em inglês) (Rede de Aprendizagem Ativa para Prestação de Contas e Desempenho)
ALNAP é uma rede mundial de ONGs, agências da Organização das Nações Unidas, membros do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, doadores, acadêmicos e consultores que buscam a melhoria do desempenho humanitário através do aumento da aprendizagem e da prestação de contas.