Brincando com bebês e crianças pequenas

Foto: Jim Loring, Tearfund
Foto: Jim Loring, Tearfund

As crianças brincam porque é divertido. Porém, brincar também é essencial para a sua aprendizagem e desenvolvimento. Brincar ajuda a criança a aprender novas habilidades, comunicar-se, adquirir autoconfiança, relacionar-se com outras pessoas e descobrir coisas sobre si mesma e sobre o mundo. Todas as crianças – meninas e meninos – precisam das mesmas oportunidades para brincar e interagir com os membros da sua família e amigos. Ouvir e responder às crianças pequenas é uma das coisas mais importantes que os adultos e as crianças mais velhas podem fazer. Quando fazemos isto bem, elas aprendem que o que dizem é importante. Isto faz com que elas se sintam bem consigo mesmas e proporciona-lhes autoconfiança para experimentar novas coisas. 

Cada criança é diferente e desenvolve-se num ritmo diferente. Os bebês que não comeram o suficiente ou estiveram doentes precisam de mais ajuda. As crianças com deficiências não devem ser excluídas. Elas podem precisar de mais apoio e incentivo para superar as dificuldades locomotoras, auditivas ou visuais. Elas podem não fazer todas as coisas que outros bebês e crianças pequenas fazem na mesma idade, mas elas aprenderão a fazer muitas coisas, se tiverem o devido apoio e estímulo.

As crianças mais velhas geralmente gostam de brincar com os bebês e as crianças menores e ajudá-los. Elas podem ajudar as crianças menores a se desenvolverem, estando ali para brincar com elas, ouvi- -las, apoiá-las quando tentarem novas atividades e garantir sua segurança. As crianças mais velhas podem ajudar a tornar as atividades diárias – como ir ao mercado e preparar a comida – divertidas e interessantes para as crianças menores.

Lembre-se: é importante que as crianças mais velhas não sejam sobrecarregadas com as responsabilidades dos adultos, de cuidar dos bebês e das crianças menores. As crianças mais velhas também precisam de tempo para brincar, e o seu próprio desenvolvimento não deve ser negligenciado.

Atividades para bebês

Os bebês precisam de estímulo e da nossa resposta desde o momento do seu nascimento. Isto pode ser feito brincando, compartilhando atividades, conversando, rindo e cantando juntos. Se um bebê fizer um som ou um gesto, as crianças mais velhas podem repeti-los para ele. É assim que os bebês aprendem a se comunicar. As relações ternas e afetivas são vitais para o desenvolvimento físico, social e emocional infantil. Pegar, abraçar, sorrir e conversar com o bebê ajuda-o a crescer e sentir-se seguro. Aqui estão algumas sugestões de brincadeiras que o responsável ou as crianças mais velhas poderiam usar com bebês de até dois anos de idade. 

  • Amarre ou pendure objetos como colheres, por exemplo, perto de onde o bebê fica deitado, para que ele possa alcançá-los e segurá-los. 
  • Diga o nome do bebê ou bata palmas, para que o bebê olhe para ver de onde o som está vindo. 
  • Cante para ele e embale-o ao ritmo de uma canção.  Dê uma volta com o bebê no colo e diga os nomes dos objetos. Mesmo que um bebê não responda a este tipo de estímulo no início, é importante continuar falando e cantando para ele. 
  • Assim que o bebê começa a entender e usar a linguagem, ele gosta de brincar usando as palavras: “Onde está meu nariz?” ou “Encontre a xícara”.
  • Dê ao bebê objetos lisos e peça-lhe que os devolva e os passe de uma mão para outra. Use objetos grandes o suficiente para evitar que o bebê os coloque na boca e se engasgue. 
  • Brinque com os dedos do pé e da mão do bebê. 
  • Incentive o bebê a bater palmas e a abanar para dizer “tchau”. 
  • Faça-lhe uma bola macia para jogar. 
  • Dê-lhe dois objetos e segure mais dois. Bata com os objetos um no outro e veja se o bebê consegue copiá-lo. 
  •  Dê-lhe uma caixa e objetos de tamanhos diferentes para colocar dentro dela e tirá-los.
  • Esconda algum objeto dentro de uma xícara ou de um pedaço de pano na frente do bebê e veja se ele consegue encontrá-lo. 
  • Faça um boneco de pano velho e encha-o com pedaços de pano, plástico, grama seca ou papel. Costure bem o buraco para fechá-lo. Conte histórias sobre o boneco para o bebê. 
  • Desenhe na areia ou no barro com uma vara ou o dedo e veja se o bebê consegue copiá-lo. 
  • Mostre ao bebê um animal ou a figura de um animal, faça o som que o animal faz e incentive o bebê a repetir os sons. 
  • Incentive o bebê a se alimentar sozinho.

À medida que o bebê for crescendo, faça brincadeiras para incentivá-lo a engatinhar, ficar em pé e caminhar. Faça um brinquedo sobre rodas, que possa ser puxado ou empurrado por ele à medida que começar a caminhar. Você pode fazer um brinquedo de puxar com uma lata redonda e o arame de um cabide.Você pode amarrar alguns carretéis de linha ou tubinhos velhos de filme fotográfico e enchê-los de coisinhas pequenas para fazer barulho quando a criança puxá-los. Garrafas de plástico ou de refrigerantes também rodam bem. Assegure-se de que os objetos não tenham nenhuma superfície cortante.

Se o bebê não puder se locomover sem ajuda por causa de alguma deficiência, pode-se amarrar uma faixa de pano ao redor da sua cintura, e duas crianças podem usá-la para erguê-lo e colocá-lo de quatro, para que ele possa engatinhar. Uma outra criança pode incentivá-lo a engatinhar, segurando um brinquedo ou uma fruta na sua frente. Lembre-se de mostrar ao bebê que está contente com a sua tentativa de fazer coisas novas. Elogie-o com palavras, sorrisos, carinhos ou abraçando-o.

Atividades para crianças pequenas

Foto: Richard Hanson, Tearfund
Foto: Richard Hanson, Tearfund

Água, areia e barro As crianças passarão horas brincando com água e areia, principalmente se tiverem alguns materiais como garrafas de plástico, latas ou cabaças de diferentes tamanhos para tornar a brincadeira ainda mais interessante. Podem-se fazer orifícios nestes recipientes. Bambus finos, hastes de bananas ou juncos ocos são bons para fazer flautas. Eles podem ser usados para fazer bolhas com água e sabão. Latas, favas de sementes e pedaços de madeira podem ser usados para fazer barcos. As crianças podem experimentar coisas diferentes, para ver o que flutua e o que afunda.

Usando os sentidos Pode-se fazer uma brincadeira, colocando-se pedaços de pano, conchas ou pedras num saco para que as crianças os identifiquem pelo tato. Não use objetos pequenos demais, cortantes ou venenosos. Eles devem ser limpos e interessantes de ver e tocar. Podem-se embrulhar sobras de sabonete, cebola, flores ou qualquer coisa com cheiro forte num pedaço de papel, com pequenos furinhos. As crianças podem tentar adivinhar o que é pelo cheiro. Podem-se colocar outras coisas dentro de latas, para que elas as chacoalhem e identifiquem pelo barulho. Esta brincadeira pode ser divertida para as crianças com problemas de visão.

Faz-de-conta As crianças adoram fazer de conta que são mães, pais ou professores. Os adultos ou as crianças mais velhas podem providenciar materiais para tornar estas brincadeiras mais interessantes, tais como coisas para fazer uma casa, preparar a comida, fazer bonecas, brincar de fazer compras ou ir ao mercado e fantasias. Elas só precisam de uma mãozinha para vestir as fantasias. Podem-se usar pedaços de papel, folhas, galhos e pedaços de pano para fazer chapéus, vestidos e outras roupas de faz-de-conta. Faça casas de brinquedo de barro ou caixas de papelão. Faça pessoas de palha ou barro e vista-as com roupas. Se estas coisas forem fáceis de serem carregadas para qualquer lugar, será mais divertido brincar com elas.

Desenho e pintura A maioria das crianças adora desenhar e pintar. Podem-se usar pedaços de papel, papelão e jornais para pintar e desenhar. Pode-se fazer cola com farinha e um pouco de água. As crianças mais velhas podem fazer um livro com uma caixa velha ou pedaços de papelão, usando seus desenhos, fotos de família ou figuras recortadas e pedir às crianças menores para dizerem o que estão vendo.

Conversar e ouvir Ouvir as crianças é uma das coisas mais importantes que podemos fazer para ajudar no seu desenvolvimento. As crianças mais velhas podem procurar histórias, canções e charadas para as crianças menores. Os avós geralmente sabem boas histórias. Procure oportunidades de incentivar as crianças menores a conversarem por si mesmas. A confiança das crianças menores aumentará se elas forem ouvidas e se as suas idéias forem valorizadas. É importante procurar responder às suas inúmeras perguntas.

Brincadeiras ativas As crianças pequenas precisam manter-se muito ativas. Elas gostam de correr e brincar de pegar. As crianças mais velhas podem ajudá-las a correr, pular, arremessar e pegar coisas, pular corda, subir nas coisas e escorregar. Quando as crianças menores já souberem um pouco como arremessar algo, as crianças mais velhas podem fazer ou encontrar alvos. Elas podem aprender a arremessar coisas e acertar dentro de uma caixa ou derrubar uma lata ou uma vara. Árvores caídas e barrancos íngremes são bons lugares para as crianças mais velhas subirem e escorregarem. Podem-se fazer balanços simples com uma corda e pneus velhos, os quais também são bons para fazer rolar e passar pelo buraco. Uma criança com dificuldade de locomoção gostaria da experiência de estar num balanço ou numa rede. As crianças poderiam ajudar a fazer um carrinho com rodas para que as crianças que não podem caminhar devido à deficiência possam acompanhar as outras crianças.

Artigo compilado por Maggie Sandilands, com informações de Early Years – Children Promote Health: Case Studies on Child-to-Child and Early Childhood Development, publicado pela Child-to-Child Trust. Veja a página de recursos para obter informações sobre como encomendar.

www.child-to-child.org/resources/index.html 


Onde encontrar materiais para brinquedos

Coisas ótimas para brincar podem ser encontradas na comunidade e feitas com materiais que não custam nada. As crianças são muito boas para encontrar novas formas de brincar com elas.

  • Em casa: areia, cabaças, latas, caixas, potes e tampas. 
  • Nas lojas: pedaços de pano, embalagens, garrafas de plástico, tampas de garrafas, caixas de leite e papel.
  • Na comunidade: água, areia, pedras, barro, varas e favas de sementes.
  • De artesãos locais: pedaços de pano, madeira, metal e couro.
  • De músicos locais: materiais e orientação para fazer instrumentos musicais simples.
  • De pessoas mais velhas: histórias, canções, danças e jogos tradicionais locais.

Todas as atividades diárias, como ajudar a fazer a comida para a família, oferecem muitas oportunidades para aprender sobre cores, formas e como classificar, combinar, contar, etc. Por exemplo, as crianças mais novas podem ajudar a selecionar os utensílios usados para comer ou os legumes para cozinhar. Os professores ou responsáveis podem ajudar as crianças mais velhas a usar pedaços de pano, papel, madeira e outros materiais para fazer móbiles, chocalhos e brinquedos de pano para bebês, quebra-cabeças, argolas e brinquedos de puxar para crianças pequenas e livros de gravuras e jogos de palavras e de contar para as crianças mais velhas. 


Segurança na hora de brincar

As crianças mais velhas e as pessoas que cuidam das crianças menores devem assegurar-se de que os materiais usados para brinquedos sejam seguros para elas. Evite: 

  • Coisas com bordas cortantes.
  • Objetos pequenos, que as crianças possam engolir ou colocar dentro do nariz ou dos ouvidos.
  • Sacolas de plástico, que podem sufocar as crianças pequenas.
  • Tinta à base de chumbo.

Quando as crianças pequenas estiverem brincando ao ar livre, é importante verificar se os locais onde elas correm e sobem são seguros e se não há perigo de elas correrem para o meio da rua ou caírem em algum poço ou buraco.