Da: Pessoas idosas – Passo a Passo 39

Aprenda com a contribuição dos idosos para a sociedade e celebre-a

Alison Tarrant.

Em qualquer parte do mundo onde viva uma pessoa, o processo de envelhecimento tende a trazer desafios. A maioria das pessoas desejam continuar independentes ao envelhecerem e contribuirem junto às suas famílias e comunidades. No entanto, o processo de envelhecimento também pode trazer dificuldades. Os idosos tendem a enfrentar especialmente instabilidade financeira, problemas de saúde ou deficiências. Em muitos países, a maioria das pessoas entram na velhice após uma vida inteira de pobreza, má nutrição, assistência médica ruim e, freqüentemente, anos de trabalho físico pesado.

As pessoas geralmente pensam que a velhice não é um problema nos países do terceiro mundo, porque a expectativa de vida é menor, mas isto não é verdade. Na atualidade, a maioria (61%) da população mundial com mais de 60 anos de idade vive nos países do terceiro mundo. Esta proporção aumentará para 70% até o ano 2025. Estas populações estão envelhecendo muito mais rapidamente do que nos países industrializados. Em 1995, a população mundial com mais de 60 anos de idade aumentou em aproximadamente 1 milhão de pessoas por mês. Quase 80% deste aumento ocorreu no terceiro mundo.

A idéia de que muitos idosos recebem assistência e apoio passivamente não é correta. Através do trabalho realizado com idosos, a organização HelpAge International constatou que eles são extremamente capazes de sobreviverem com o que possuem, freqüentemente realizando uma grande variedade de atividades para o seu próprio sustento. Ao redor do mundo, a maioria das pessoas continuam a trabalharem até mesmo na velhice. Esta contribuição geralmente passa desapercebida, pois a maior parte deste trabalho não é remunerado, sendo realizado junto às suas famílias ou é realizado no setor informal, sem registro.

Duas das questões mais comumente mencionadas pelos idosos como sendo de grande importância para eles dizem respeito à segurança financeira e a uma boa saúde. Em muitos dos países mais pobres do mundo, pouquíssimos idosos recebem algum tipo de aposentadoria. Aqueles que recebem uma aposentadoria, geralmente constatam que ela não é suficiente para atender nem sequer as necessidades mais básicas. Nos lugares onde não existe um sistema de aposentadoria ou onde a mesma não é suficiente, os idosos dependem do apoio das suas famílias ou da comunidade, ou precisam trabalhar para ganhar o seu próprio sustento. A segurança tradicional do apoio familiar para os idosos poderá não existir se os filhos tiverem partido para trabalhar nas cidades ou em outros países. O mesmo poderá ocorrer se eles tiverem falecido devido à AIDS/SIDA ou se as iniciativas do governo tiverem transferido os membros da família para outras partes do país.

Gozar de boa saúde é algo de vital importância para os idosos, não somente porque isto geralmente melhora a qualidade de vida, mas porque permite que as pessoas continuem a trabalhar e contribuir para a comunidade onde vivem. No entanto, os idosos que precisam de atendimento médico podem ter dificuldade para obtê-lo, especialmente quando vivem nas zonas rurais. O atendimento existente poderá ser bastante limitado e estar fora do alcance dos idosos – devido ao custo ou à distância. Também é comum que as pessoas idosas pensem que muitos problemas de saúde associados com a velhice são inevitáveis e que não há nada que possa ser feito. Na verdade, muitos destes problemas, assim como a catarata, são tratáveis.

Através da experiência adquirida ao trabalhar com pessoas idosas, a organização HelpAge International constatou que a maneira mais eficaz de apoiar os idosos é trabalhar em projetos que atendam às suas necessidades. Geralmente, estas iniciativas são realizadas a partir da comunidade. No Sri Lanka, por exemplo, um micro-ônibus foi provido com equipamentos de atendimento médico primário e abastecido com medicamentos básicos para visitar comunidades localizadas em regiões de plantações, onde anteriormente, os idosos não tinham acesso a nenhum tipo de atendimento médico. Em Manila, nas Filipinas, os idosos estão sendo treinados para se tornarem agentes comunitários de saúde, fornecendo atendimento médico básico e educação para outros idosos na região onde vivem. Em Uganda, por exemplo, um grupo de senhoras idosas usou uma doação para comprar alguns porcos, os quais estão se reproduzindo e o rendimento gerado através desta atividade está sendo repartido entre as participantes do grupo para ajudá-las a pagarem as matrículas escolares dos seus netos (nesta região, muitas crianças perderam um ou ambos os pais devido à AIDS/SIDA) e comprarem alimentos básicos. Também foi formado um fundo para ajudar a pagar algumas reformas nas casas das participantes mais pobres do grupo.

As mulheres são importante neste nosso mundo que envelhece. Em quase todos os países do mundo, as mulheres vivem mais do que os homens e, assim, a maioria das pessoas idosas são mulheres. Em muitos lugares, as meninas e as mulheres têm menos oportunidades de trabalho e recebem menos educação, atenção médica e nutrição do que os meninos e os homens. Isto afeta a saúde, a condição econômica e o potencial de ganho das mesmas quando chegam a uma idade mais avançada. As mulheres idosas também podem ter problemas de saúde específicos por terem engravidado e dado à luz várias vezes durante a juventude.

É muito mais provável que as mulheres vivam sozinhas ao atingirem uma idade avançada do que os homens. Em muitos lugares, as mulheres tendem a se casarem com homens mais velhos do que elas. Em comparação com os homens, é menos provável que as mulheres se casem novamente após ficarem viúvas ou se divorciarem. Além do impacto social e emocional que resulta do fato de viverem sozinhas, é mais provável que as mulheres idosas vivam em condições de pobreza. Uma mulher que vive sozinha pode ter maiores dificuldades em ganhar um sustento, especialmente se não tiver o apoio da sua família.

De acordo com a experiência adquirida através dos nossos programas de crédito para idosos, as mulheres idosas geralmente não representam muito risco. Elas montam negócios que são tão bem sucedidos quanto os montados pelos homens (ou ainda melhores).

A ONU decretou que 1999 é o Ano Internacional dos Idosos. Isto cria uma oportunidade especial para todos nós considerarmos as necessidades dos idosos de uma maneira diferente do que é tradicionalmente feito. Devemos valorizar o conhecimento, a capacidade e a experiência que eles possuem e incluí-los em trabalhos que venham a beneficiar não somente eles próprios, mas também a comunidade como um todo.

Alison Tarrant é a Coordenadora de Comunicações da HelpAge International, uma rede mundial de organizações que trabalham com os idosos e para eles: 67–74 Saffron Hill, London, EC1N 8QX, Grã-Bretanha.

Maneiras de ajudar os idosos sem gastar dinheiro

Adaptado da publicação Ageways 49.

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar