Cartas

Criação de abelhas para principiantes.

Obrigado pela Paso a Paso. Na edição 10 da revista se menciona que muitos agricultores que estão incapacitados de criar gado preferem criar ovelhas ou cabras. Elas fornecem uma fonte de rendimento quando se necessita pagar matrículas escolares, contas hospitalares, etc.

Que tal incluir apicultura também? Isto não requer o cuidado e cultivo de plantas ou o pastoreio de animais. É apenas necessário decidir manter as abelhas e fornecer uma colméia ou caixa. Pode-se então usar os seus produtos – mel, pólen, cera, própolis, favos e até mesmo produtos medicinais de seu veneno.

O mel tem um alto valor nutricional, da infância até os idosos. A apicultura é fácil de ser realizada – tanto por mulheres como por homens. As abelhas também trazem benefícios para a agricultura pois elas polinizam as culturas e árvores, produzindo mais frutos e sementes.

Aqui no Peru, enxames de abelhas italianas podem ser adquiridos por até $50 mas abelhas nativas podem ser encontradas em qualquer canto da selva, em árvores ocas, casas, literalmente desesperadas para serem colocadas em uma caixa – a operação é chamada embuste. Primeiro é necessário se receber treinamento de um criador de abelhas e fazer ou comprar os equipamentos necessários. As abelhas trabalham muito – das 6 da manhã até cerca das 6:30 da tarde. Em nossa comunidade, que fica na floresta, há muitas árvores e flores típicas da região, de que as abelhas gostam. Criamos abelhas como um negócio de família e os produtos são fáceis de serem vendidos. O mel deve ser extraído naturalmente, nunca deve ser cozido no forno ou em água quente.

Os maiores inimigos das abelhas são as formigas – estas podem ser mantidas à distância espalhando-se cinzas quentes ao redor da colméia. Tenho encontrado algumas dificuldades. As abelhas em nossa área são muito agressivas. Eu também tenho dificuldade em trocar a cera nos favos de reprodução pois algumas das colméias tem três anos ou mais. Gostaria muito de receber novas idéias.

Silas Santiago Leiva, Comunidad Campesina Paz y Esperanza, Apartado 18, Moyabamba, San Martin, Peru.

EDITORA: A criação de abelhas é um assunto que planejamos abordar em detalhe em uma edição futura. Por favor enviem artigos contando suas experiências sobre este assunto.

Projecto Bamande Pygmy

Obrigado pelas cópias da Passo a Passo. As edições sobre alfabetização, meio ambiente e uso de drogas foram muito interessantes para mim. Trabalho no Projecto Bamande Pygmy no centro da floresta equatorial do Zaire. Não é fácil para estes habitantes da floresta compreenderem os perigos que enfrentariam se eles destruirem a floresta.

É muito importante compreender como os pigmeus vivem e respeitar os seus costumes tradicionais para que se consiga a sua confiança. Cada grupo de pigmeus está associado a um chefe ou líder (mukpala, no dialecto local). Ele tem autoridade sobre eles e lhes oferece equipamentos, comida, vestuário e outras coisas. Os pigmeus preferem seguir as instruções dele do que de qualquer pessoa de fora.

Os pigmeus bebem e fumam muito. Eles gostam sobretudo de fumar haxixe indiano. Até mesmo as crianças pequenas são incentivadas a fumar porque eles dizem que o haxixe lhes dá força para trabalhar e caçar. Os leitores poderiam nos aconselhar acerca deste problema?

Emilu Ezabo Bob, Bamande Pygmy Project, c/o Green House Nyankunde, PO Box 21285, Nairobi, Quénia.

Animação rural e urbana

Por sorte, a edição no. 22 da Passo a Passo caiu em minhas mãos. Depois de estudá-la, gostaria de dizer-lhe o quanto eu gostei desta revista. Espero poder compartilhar algumas experiências treinando outros através do meu trabalho com a APICA.

Considero a animação como sendo a capacidade de uma pessoa ou grupo social em reconhecerem a realidade em que vivem – para analizá-la, identificar falhas e potenciais – e então considerar soluções para melhorá-la.

Seja num ambiente rural ou urbano, o objetivo do indivíduo ou da comunidade é idêntico – melhorar as condições de vida. Com frequência, esta animação é feita por pessoas de fora da região (agentes de desenvolvimento). A sua tarefa é levar as pessoas a examinarem e analizarem o seu meio ambiente, gerando conscientização a qual resultará em actividades positivas.

Com frequência, os agentes de desenvolvimento perguntam sobre as diferenças entre animação em regiões rurais e urbanas. A nível local nas zonas rurais, geralmente há má comunicação, falta de organização em comercialização e marketing, salários baixos, uma população envelhecida devido à migração dos jovens para as áreas urbanas e poucas estruturas sociais.

Nas cidades, há diferenças no status social, desemprego levando a comportamentos anti-sociais e modelos sociais indesejados como o roubo, crime violento, prostituição e embriaguez.

Parece que as diferenças principais estão presentes ao nível dos problemas a serem resolvidos e não nas etapas que levam à animação. A animação resulta do questionamento, o que leva à reflexão e daí à conscientização

Todo o trabalho de animação gira em torno de questões fundamentais como:

  • Que tipo de situação económica estamos considerando mudar?
  • Que situações estão se opondo à melhorias das condições sociais e econômicas?
  • Que mecanismos económicos impedem o desenvolvimento da região?
  • Que recursos potenciais existem que poderiam ser usados para fomentar o desenvolvimento?

As acções e atitudes do animador devem ser influenciadas pelo estado mental de cada grupo social e pelas condições e problemas específicos da região, seja ela urbana ou rural. Eu acredito que esta é a única diferença real.

Philippe Nkounkou, APICA, BP 7485, Yaoundé, Camarões.

Problemas com o álcool

Apos ler a edição 23 sobre problemas com drogas, gostaria de compartilhar sobre os problemas que temos com o álcool em Karamoja. Tradicionalmente tínhamos um tipo de bebida alcoólica local disponível, a qual era destilada nas cidades de Moroto e Kotido. Ela era chamada de regular. Uma bebida fermentada forte chamada lira-lira foi introduzida pela primeira vez em 1986 e agora as pessoas passaram a bebêla em vez da anterior.

Os jovens começaram a vender os seus animais para conseguirem dinheiro para comprar esta bebida – as pessoas aqui são criadores de gado. Os anciões reclamaram e também dizem que esta bebida forte reduziu o nível de fertilidade na região. Alguns membros mais fracos das famílias estão morrendo pois muitas vezes não há dinheiro suficiente para comprar comida.

As autoridades (Conselhos de Resistência) estão tentando parar a compra e venda desta bebida fermentada mas isto ainda continua a ser um problema sério. Os leitores têm alguma sugestão a fazer?

Peter Buiton, Karamoja Seeds Scheme, PO Box Kotido, Uganda.

Os passos estão se aproximando

Esta é uma estratégia que descobri e gostaria de compartilhar com os leitores. Muitas comunidades hoje em dia sabem que as dificuldades e perdas da vida quotidiana as deixaram vulneráveis, fracas e se sentindo inferiores. Para desafiar este sentimento de fraqueza, precisamos de encontrar maneiras de incentivar o envolvimento. A minha estratégia tem três partes:

1. Passo a passo Isto incentiva a comunicação. Este é um processo democrático que incentiva todos a expressarem-se e a desenvolverem os seus pensamentos. Este processo é lento e durante o qual novas idéias são discutidas e consideradas em detalhe.

2. Os passos estão se aproximando Quando instrutor e instruendos se tiverem aceito mutuamente, isto criará aberturas para analizar a sua situação. Se as pessoas desejarem adquirir poder elas terão de:

  • analizar as suas qualidades e fraquezas
  • analizar os seus recursos e potencial
  • planear para usarem bem estes recursos
  • obter as informações necessárias.

As nossas aldeias têm uma história – não apenas de seus antepassados mas também a tradição de suas batalhas contantes com o meio ambiente. Esta longa experiência com a vida rural conduz às práticas e conhecimentos tradicionais. Destas tradições podem surgir idéias novas e organizações que podem ajudar a resolver problemas ambientais. Estes conhecimentos, aliados à capacidade de se reagir e adaptar à qualquer situação podem prover um recurso valioso. Quando as comunidades começam a reflectir e a organizar o seu potencial, pode dizer-se que, ‘Os passos estão se aproximando’.

3. Os passos se uniram Quando os grupos avançam com os organizadores para soluções aos problemas, podemos chamar a isto ‘passos unidos’.

Espero que este breve resumo sobre a minha estratégia possa ajudar outros leitores.

Nohoune Lèye, PO Box 10, Khombole, República do Senegal.



Alimente as suas árvores

Trabalho no norte da Nigéria numa variedade de projectos de agroflorestamento e agricultura e gostaria de compartilhar uma técnica simples de rega de árvores.

A longa estação seca de 5–7 meses desincentiva qualquer pessoa a plantar árvores. Regar as árvores durante a estação seca dá muito trabalho e exige muita água, que geralmente está em falta.

Uma maneira de se evitarem estes problemas é enterrar um recipiente ao lado de cada muda de árvore quando esta é plantada, a cerca de 40–50cm de distância. Pode ser uma lata velha ou garrafas de água plásticas rachadas. Antes de enterrar o recipiente, devem-se fazer dois ou três orifícios no fundo e nos lados, se ainda não houver nenhum. Enterre o recipiente no solo fazendo com que só a extremidade superior seja vista.

Durante a estação seca, o recipiente deve ser enchido com água e então coberto com uma pedra para reduzir a evaporação. Desta maneira, a água é libertada aos poucos para o solo a um nível mais baixo, o que promove um enraizamento mais profundo. Quase nenhuma água é perdida através da evaporação. Com este sistema, as árvores precisam de ser regadas apenas uma a três vezes por semana. Um balde de água é suficiente para 5–10 árvores, dependendo do tamanho do recipiente. Este sistema é tão eficaz que as mudas de árvores podem ser plantadas na estação seca, quando as necessidades da agricultura são menores.

Timothy A Volk, MCC Nigéria, PO Box 42, Jos, Plateau State, Nigéria.