Liberação da floresta subterrânea

Passo a Passo 110 - Agricultura sustentável

A Passo a Passo 110 concentra-se nas estratégias que os agricultores e criadores de animais podem usar para manter a saúde dos ecossistemas e a produtividade de suas terras agrícolas

Liberação da floresta subterrânea

Tony Rinaudo

Para as pessoas que dependem da agricultura regada pela chuva, a degradação da terra e a perda de fertilidade do solo podem ser devastadoras. A regeneração natural gerida pelo agricultor usa técnicas simples e de baixo custo para incentivar a rebrota de árvores a partir de cepas vivas e de sementes no solo, resultando na restauração da terra e dos meios de vida.

Graças à regeneração natural gerida pelo agricultor, este agricultor do Malawi agora pode cultivar muitas culturas e árvores diferentes, aumentando sua renda e qualidade de vida. Foto: Tony Rinaudo/Visão Mundial Austrália

As habilidades associadas a essa prática são usadas há gerações. No entanto, no início dos anos 80, elas foram revisadas e popularizadas novamente em resposta à grave degradação da terra no Níger. Vastas áreas de terras desmatadas haviam sofrido alta erosão, causando perdas de colheitas e fome crônica.

As tentativas de plantar árvores e restaurar a fertilidade do solo frequentemente fracassavam devido ao calor extremo, à água limitada, à criação de gado em liberdade e à falta de interesse. A maioria dos agricultores não entendiam os benefícios das árvores e procuravam atender somente às suas necessidades imediatas. Era necessária uma nova abordagem: uma abordagem que capacitasse os agricultores para restaurar suas terras e que, ao mesmo tempo, melhorasse a produção agrícola.

CEPAS VIVAS 

Em vez de plantar árvores, a regeneração natural gerida pelo agricultor trabalha com a rebrota de cepas vivas, raízes e sementes já presentes no solo: a floresta subterrânea. As touças vivas de árvores previamente derrubadas possuem raízes maduras, capazes de alcançar nutrientes e água no fundo do solo. Essas raízes também liberam energia armazenada à medida que novos rebentos crescem. Assim, a rebrota geralmente é mais rápida e mais bem-sucedida do que o cultivo de mudas recém-plantadas.

Frequentemente, nos campos agrícolas, as rebrotas das árvores são cortadas ou queimadas antes de cada estação de plantio. Com a regeneração natural gerida pelo agricultor, à medida que a rebrota surge, as hastes mais fortes e retas são protegidas, e as demais são cortadas. O usuário da terra decide quais árvores manter, dependendo do tipo de árvore que deseja cultivar e da localização das cepas. As técnicas básicas podem ser facilmente aprendidas e passadas de agricultor para agricultor.

Os animais são mantidos longe do local até que as árvores jovens tenham crescido o suficiente para que a pastagem não as prejudique mais. Depois disso, o gado pode pastar ao redor das árvores, fertilizando o solo durante o processo.

A estação de plantio das culturas pode ser um bom momento para regenerar árvores, pois o gado frequentemente fica cercado ou pasta em outro lugar. Em terras comunitárias, as comunidades devem decidir juntas a melhor forma de manter os animais longe das árvores jovens e vulneráveis.

ÁRVORES EM TERRAS AGRÍCOLAS

A inclusão deliberada e o manejo de árvores e arbustos em terras agrícolas oferecem muitos benefícios, entre eles:

  • menos erosão do solo devido às raízes profundas e à cobertura permanente do solo;
  • melhor estrutura e fertilidade do solo;
  • melhor retenção da água da chuva no solo e menor risco de inundação;
  • solo mais fresco, o que facilita a sobrevivência das culturas e gramíneas nos períodos quentes e secos;
  • habitat para uma variedade da fauna silvestre, inclusive insetos e pássaros importantes para a polinização e o controle de pragas;
  • menor velocidade do vento e menos poeira no ar;
  • sombra fresca para os seres humanos e animais.

Diferentes espécies de árvores podem fornecer lenha, madeira, medicamentos naturais, forragem e alimentos. Também podem ser desenvolvidas atividades como a apicultura. Algumas espécies de árvores – chamadas leguminosas – retiram nitrogênio do ar, adicionando-o ao solo. Outras extraem água para a superfície, disponibilizando-a para as culturas. 

FLEXIBILIDADE

Os agricultores e usuários da terra podem praticar a regeneração natural gerida pelo agricultor de várias maneiras diferentes. Eles podem escolher quais árvores desejam conservar e quando e como podá-las. O objetivo pode ser algo simples, como cultivar algumas árvores para lenha, ou as técnicas podem ser usadas para restaurar grandes áreas florestais.

Se a terra for de propriedade individual, é melhor que a regeneração de árvores seja gerida pelo usuário ou proprietário da terra. Em terras comunitárias, toda a comunidade deve ser envolvida, para garantir que todos compreendam a importância de cuidar das árvores e compartilhem os benefícios.

MUITOS BENEFÍCIOS

No Níger, a regeneração natural gerida pelo agricultor já foi realizada em mais de 5 milhões de hectares. À medida que a terra foi se tornando verde com as árvores, a produção agrícola aumentou, beneficiando 2,5 milhões de pessoas. Em 2005, quando um terço da população nigerina passava fome, a venda de lenha e de outros produtos florestais permitiu que os agricultores que praticavam a regeneração natural evitassem a tragédia e não precisassem depender de assistência alimentar.

Normalmente, a implementação da regeneração natural gerida pelo agricultor custa cerca de US$ 40 por hectare. No entanto, uma vez introduzida, o custo é apenas o trabalho do usuário da terra, que, no Níger, é cerca de US$ 14 por hectare. Após 20 anos, os agricultores do Níger já estavam cultivando 500 mil toneladas extras de grãos a cada ano, e a renda anual havia aumentado em até US$ 1.000 por família. Em comparação, um estudo de três países da África Ocidental constatou que haviam sido gastos US$ 160 milhões no plantio de árvores, e restavam apenas 20 mil hectares de plantações: um custo de US$ 8.000 por hectare.

COMPROMETIMENTO

Quando o comprometimento é maior, a probabilidade de sucesso aumenta. Muitos agricultores acham que a presença de árvores em suas terras é inútil. No entanto, à medida que sua compreensão aumenta, também aumenta o desejo de cultivar árvores. Se a maioria das pessoas de uma comunidade estiver trabalhando para alcançar os mesmos objetivos, o progresso será maior. 


Tony Rinaudo é o consultor-chefe de recursos naturais da Visão Mundial Austrália. Em 2018, ele recebeu o prêmio “Right Livelihood”, em reconhecimento por seu trabalho, que levou ao uso da regeneração natural gerida pelo agricultor em, pelo menos, 27 países.


Para obter mais informações sobre como praticar a regeneração natural gerida pelo agricultor, baixe este cartaz.

A Visão Mundial publicou um manual (em inglês) para todos os interessados em compreender melhor a regeneração natural gerida pelo agricultor. Baixe-o gratuitamente em www.fmnrhub.com.au




As escolas do Quênia estão ensinando as crianças a podar e gerir árvores. Foto: Sarah McKenzie

ESTUDO DE CASO: CRIANÇAS NA LIDERANÇA

Sarah McKenzie 

Através da poesia, da dança e do teatro, as crianças em idade escolar no Quênia estão aprendendo sobre as árvores e o meio ambiente, inclusive sobre a regeneração natural gerida pelo agricultor, e estão compartilhando esse conhecimento com suas famílias.

Kibe é aluna de uma das escolas. Ela diz: “O uso da regeneração natural gerida pelo agricultor foi uma bênção para nossa família. Agora, temos lenha, que vem dos galhos podados, suficiente para durar o trimestre inteiro. Agora, não preciso mais faltar às aulas para buscar lenha na floresta, que fica a cinco quilômetros de distância”.

O diretor da escola de Kibe acrescenta: “Eu estava planejando cortar os arbustos que crescem no terreno da escola para deixar o local mais arrumado. Mas, então, fiz um treinamento da Visão Mundial e, em vez disso, nossa escola agora é aonde os agricultores vêm para aprender técnicas de regeneração florestal. Enquanto escola, temos muito orgulho de fazer parte disso”.

Nancy, uma agricultora local, também está encantada em estar participando. Ela conta: “Fui a uma reunião na escola primária de Ngusero e comecei a usar técnicas de regeneração natural. Em seguida, um capim excelente começou a crescer embaixo das árvores podadas.

Como o capim melhorou, a produção de leite das minhas cinco vacas aumentou de 10 para 32 litros por dia. Agora, vendo leite para a sociedade cooperativa de Mogotio e recebi um prêmio por ser uma dos fornecedores mais constantes. Consigo pagar a escola dos meus filhos sem entrar em pânico e atuo como líder na comunidade. A regeneração natural gerida pelo agricultor mudou minha vida.”


Sarah McKenzie é gestora de regeneração natural gerida pelo agricultor da equipe de Ação Climática e Resiliência da Visão Mundial Austrália.