O HIV/VIH e as crianças escolares na Tailândia

Rachel Stevens.

A Siam-Care possui mais de dez anos de experiência de trabalho na Tai l ândia, oferecendo apoio a mulheres e crianças necessitadas. Vimos muitas destas crianças crescerem e se desenvolverem. Vimos também muitas mudanças como resultado do aumento do HIV/VIH.

Uma em cada 60 pessoas está infectada com o HIV/VIH na Tailândia. A educação é uma grande preocupação para as crianças portadoras do HIV/VIH. Algumas organizações incentivam escolas específicas para crianças com HIV/VIH. Entretanto, a Siam-Care não acredita que esta seja a resposta. Preferimos muito mais a integração com as crianças portadoras do HIV/VIH nas escolas locais, o que geralmente só é possível, aumentando-se o conhecimento e a conscientização. Na verdade, incentivamos a integração em todas as áreas do nosso trabalho com o HIV/VIH e a AIDS/SIDA.

Vimos que a maioria dos professores têm um grande senso de compaixão pelas crianças com HIV/VIH. Entretanto, o medo da possível infecção toma conta deles, por falta de conhecimento. Em várias ocasiões, pediram-nos que conversássemos com escolas que não permitiam que as crianças com o HIV/VIH freqüentassem as aulas, porque os professores tinham medo, especialmente quando a criança mostrava sintomas físicos. A melhor maneira de lidar com o medo é aumentando o conhecimento e as informações.

As famílias também precisam de apoio. Se as crianças forem à escola com feridas infectadas, isto mostra a falta de higiene em casa. A Siam-Care trabalha com famílias, procurando ensiná-las como tratar os sintomas físicos das crianças de forma correta.

A Siam-Care tem trabalhado ativamente para oferecer treinamento aos professores sobre questões de saúde sexual em geral e especificamente sobre o HIV/VIH e a AIDS/SIDA. No passado, isto geralmente era feito com professores de escolas de segundo grau. Entretanto, as crianças com HIV/VIH começam sua educação na escola primária.

Um pequeno livro chamado “There’s a little dragon in Brenda’s blood” mostrou ser uma ferramenta didática bem recebida tanto pelos adultos quanto pelas crianças menores. Este pequeno livro, inicialmente escrito em holandês, foi recentemente traduzido e reimpresso no idioma tailandês. Ele ajuda as crianças a se conscientizarem sobre como é para uma criança estar com AIDS/SIDA. Ele salienta algumas dificuldades e problemas que encontrarão. A história baseia-se na personagem verdadeira de três anos, Brenda, que tem um pequeno dragão vivendo no seu sangue, chamado HIV/VIH. Este pequeno dragão, que aparece em todas as páginas, embora sempre presente no corpo de Brenda, geralmente está dormindo, exatamente como o vírus HIV/VIH, e não afeta sua vida diária.

O livro será usado como um recurso útil tanto para professores, quanto para crianças e pais, através de seu estilo fácil de ler, suas ilustrações coloridas e o capítulo final útil, que responde às “perguntas mais freqüentes”. A Siam-Care dará exemplares deste pequeno livro em tailandês para alas hospitalares infantis, bibliotecas de escolas primárias e outras, que trabalhem com crianças na área dos cuidados de saúde e sociais na Tailândia.

A Siam-Care recentemente deu um exemplar para Nong Erng, uma criança de cinco anos de idade, infectada com o HIV/VIH. Um membro da Siam-Care leu o livro, enquanto Nong Erng olhava as ilustrações. Mais tarde, Nong Erng disse aos funcionários da Siam-Care que estava tomando seus remédios, para que o dragão continuasse dormindo no seu corpo!

Rachel Stevens escreveu este artigo em nome da Siam-Care. Seu endereço é PO Box 86, Sutthisan Post Office, Bangkok 10321, Tailândia. E-mail: siamcare@samart.co.th

Os exemplares de “There’s a little dragon in Brenda’s blood” podem ser encomendados através dos Países Baixos. Por favor, peça informações sobre o preço através de:

Uitgeverij De Banier, Brigittenstraat 1 Postbus 2330, 3500 GH, Utrecht, Países Baixos E-mail: verkoop@debanier.nl

Os exemplares da tradução tailandesa podem ser encomendados através da Siam-Care, somente para organizações na Tailândia, e custam 70 Baht