Cartas

Foto: Chloé Quanrud/Tearfund

Pesquisa com os leitores da Passo a Passo 

Ficamos impressionados com a quantidade de respostas que recebemos para a nossa pesquisa com os leitores. Agradecemos a todos os que responderam. Foi um prazer ver nossa sacola de correspondência cheia de envelopes cobertos de selos de todas as partes do mundo. Os resultados serão divulgados numa próxima edição da Passo a Passo, mas suas sugestões já nos estão ajudando a tornar a revista ainda melhor e influenciando nossos planos para o futuro. 

Ovos minúsculos 

Alguém poderia ajudar a esclarecer um fenômeno incomum que acabou de ocorrer pela segunda vez em seis meses? Tenho 12 galinhas, e todas elas põem ovos de dois em dois dias. Ontem, encontrei um ovo minúsculo, com cerca de 2,5 cm de comprimento. Isso já tinha acontecido antes, cerca de dois meses atrás, e eu concluí que era “apenas uma dessas coisas que acontecem”. Mas, agora que isso aconteceu pela segunda vez, eu ficaria agradecida por qualquer explicação sobre o que poderia ser. Acho que o ovo foi posto por uma galinha de um ano, mas eu também tenho quatro galinhas que têm apenas seis meses de idade. 

Marion
PO Box 751, Kabale, Uganda 

aes_uk@yahoo.com 

NOTA DA EDITORA: Passamos a pergunta de Marion para um especialista em galinhas, Keiron Forbes, e aqui está a resposta: 

Em primeiro lugar, não se preocupe: não há nada de errado com a sua galinha. Isso é bem normal, embora incomum. Esses ovos minúsculos podem ocorrer de duas formas: com ou sem gema. Imagino que esse era um ovo perfeito, mas em miniatura. Isso significa que a gema ainda não se havia desenvolvido completamente antes de o ovo ser liberado. Quando uma galinha amadurece, ela já possui todas as gemas que produzirá, e, a cada 28 horas aproximadamente, a próxima gema desenvolve-se e é liberada. Isso normalmente ocorre a cada 6-8 ovos e, então, para. O motivo disso é que, na natureza, a galinha, então, senta-se sobre os ovos e incuba os pintinhos. Porém, com as poedeiras comerciais, essa característica já foi quase perdida, e as galinhas continuam a produzir ovos em maior quantidade. Porém, todas as galinhas precisam de uma folga de vez em quando, e o primeiro ovo da próxima ninhada após essa pausa frequentemente é muito menor, como o ovo de uma ave jovem que está começando a pôr ovos pela primeira vez. 

Orientações sobre a criação de frangos 

Na sua última edição da Passo a Passo, vocês pediram orientações sobre a criação de frangos. Eu sou avicultor em Kisumu, no Quênia, e gostaria de dar orientações a colegas de todas as partes do mundo. 

Em primeiro lugar, não alimente pouco seus frangos, especialmente os criados rapidamente para a produção de carne. Os frangos de corte precisam comer bem por 5-6 semanas para proporcionar o melhor produto. Caso contrário, você acabará com frangos subnutridos, que seus fregueses não vão querer comprar. Você pode ter que vendê-los por uma ninharia e lucrar menos. 

Em segundo lugar, para evitar um alto índice de mortalidade no seu bando, mantenha tudo limpo: comedouros, bebedouros, etc. O galpão inteiro precisa ser bem ventilado. 

Elijah Ogeda 

Faida Adrama, facilitadora de enfermeiros, usando o exercício “Árvore do Problema”, da Passo a Passo 90. Foto: Kay Wotton
Faida Adrama, facilitadora de enfermeiros, usando o exercício “Árvore do Problema”, da Passo a Passo 90. Foto: Kay Wotton

Recursos úteis 

Recentemente, realizamos duas oficinas comunitárias no sudoeste de Uganda sobre a mudança ambiental para vermos sobre quais questões ambientais as comunidades estavam cientes e com quais estavam mais preocupadas. Usamos vários desenhos de questões ambientais e agrícolas das publicações da Tearfund para fazermos exercícios, que ajudaram os participantes a conversar com outros e considerar muitas ideias novas. Seus desenhos são maravilhosos, fáceis de entender, adequados para a África rural e baratos de reproduzir, pois são em preto e branco. 

Os membros comunitários identificaram várias questões ambientais importantes, tais como a queima de carvão, a necessidade de replantar as florestas, a perda de fertilidade do solo e o impacto da monocultura de bananas no seu suprimento de alimentos, e quiseram, na mesma hora, começar a agir. Assim, embora tivéssemos um orçamento limitado, imprimimos e encadernamos rapidamente exemplares do guia PILARES da Tearfund sobre Agrossilvicultura, bem como cartazes agrícolas, que podem ser baixados da Internet (www.fourthway.co.uk/posters). 

Tanto os estudantes quanto eu achamos que suas sugestões práticas de intervenções simples e para melhorar a saúde em contextos rurais são uma grande inspiração. Eu ficaria muito agradecida se vocês pudessem divulgar entre outras pessoas o nosso manual de desenvolvimento comunitário, o qual pode ser baixado gratuitamente no site da Healthy Child Uganda: http://healthychilduganda.org/assets/web-CD-Manual-Final.pdf 

Kay Wotton 

katewotton5@hotmail.com