Uma entrevista com os Bispos Ecológicos

Os Bispos Ecológicos, na África do Sul.
Os Bispos Ecológicos, na África do Sul.

Conte-nos sobre a iniciativa dos Bispos Ecológicos e como tudo começou.

A Eco-bishops é um grupo de bispos anglicanos de várias partes do mundo, que se pronunciam juntos sobre a mudança climática. O Arcebispo Thabo Makgoba (que é o arcebispo da África do Sul) convidou um grupo de bispos para uma reunião perto da Cidade do Cabo, em fevereiro de 2015. Discutimos as respostas que os anglicanos já deram à mudança climática e as respostas que esperamos dar no futuro.

Os bispos eram de diferentes regiões da Comunhão Anglicana já afetadas por vários impactos da mudança climática, como Fiji, Argentina, Nova York e Namíbia.

Após a conferência, publicamos uma declaração intitulada O Mundo é o Nosso Hospedeiro: Uma Chamada para uma Ação Urgente em Favor da Justiça Climática, a qual foi emitida pouco antes da Sexta-Feira Santa de 2015.

Como as pessoas ao redor do mundo responderam a este relatório?

A declaração foi transmitida através de aproximadamente 100 meios de comunicação por todo o mundo e tem sido usada em muitas igrejas locais, dioceses e províncias. A resposta tem sido extremamente positiva.

Os líderes anglicanos estão usando a declaração para exigir uma resposta mais forte e mais unida à crise da mudança climática. O apoio de líderes episcopais (a Igreja Anglicana americana) fortaleceu muito a nossa voz.

A resposta das pessoas ao relatório foi o que você esperava?

A resposta ultrapassou nossas expectativas por dois motivos. O primeiro foi a palavra “urgente”. Os anglicanos que participaram da nossa pesquisa queriam que compartilhássemos uma mensagem clara, inspiradora e urgente sobre a mudança climática.

O relatório levantou um segundo grande tema para discussão: ele pediu às igrejas para pararem de investir em indústrias de combustíveis fósseis.

No relatório, vocês incentivam a oração e o jejum em resposta à mudança climática. Como as pessoas responderam a esta ideia?

Alguns bispos e outras pessoas comprometeram-se com a prática espiritual do jejum pelo clima, juntando-se aos movimentos “Jejue pelo Clima” e “Ore e Jejue pelo Clima”. Muitos outros juntaram-se aos Cristãos Ortodoxos e Cristãos Católicos Romanos no Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, no dia primeiro de setembro de cada ano.

O relatório pedia mais recursos educacionais para as igrejas sobre como cuidar da criação. Você poderia falar aos nossos leitores sobre alguns desses recursos que poderiam ser úteis para eles?

Estamos começando a coletar recursos no site da ACEN. Neste site, você encontra vídeos curtos dos bispos e recursos para adoração de várias partes do mundo. Por exemplo, a Green Anglicans, um grupo da África do Sul, produziu Ryan the Rhino (Ryan, o rinoceronte) – um curso com duração de 10 semanas para crianças em igrejas.

Vocês exigiram que os líderes políticos, econômicos, sociais e religiosos enfrentassem a crise da mudança climática. Eles fizeram algo?

Estão sendo realizadas discussões em comunidades anglicanas por todo o mundo sobre como mudar a forma como investimos nossas verbas. Muitos já prometeram parar de investir as verbas da igreja em combustíveis fósseis (inclusive o Conselho Mundial de Igrejas, as Dioceses Anglicanas de Canberra, Melbourne e Perth, na Austrália, e a Diocese Episcopal de Massachusetts, nos EUA). A Igreja Anglicana da África Austral está discutindo o término de seus investimentos em combustíveis fósseis. Esta é a primeira vez que a região considera essa medida, e isso é uma consequência direta do relatório. Atualmente, a África do Sul tem a energia elétrica mais suja do mundo, pois ela frequentemente é produzida a partir de carvão de qualidade inferior. A qualidade do ar em Johanesburgo, na África do Sul, é 10 vezes pior do que os níveis de qualidade do ar recomendados pela Organização Mundial da Saúde para a saúde humana.

Arcebispo Thabo, que mensagem pessoal você gostaria de transmitir aos leitores da Passo a Passo?

Como sugere o nome de sua revista, por favor, deem o primeiro passo para transformar suas palavras em ações. Palavras, palavras e mais palavras não reverterão a degradação ambiental ou as emissões de carbono, mas, se agirmos juntos, poderemos fazer isso. Então, ajamos agora pela justiça climática. A mudança começa conosco!



A Comunhão Anglicana é o nome da comunidade de anglicanos por todo o mundo. Em abril de 2015, a Comunhão Anglicana produziu o relatório O Mundo é o Nosso Hospedeiro, encorajando 80 milhões de anglicanos em todo o mundo a enfrentar a mudança climática.


Sites

http://acen.anglicancommunion.org 
Notícias e recursos da Rede Ambiental da Comunhão Anglicana. Você pode baixar O Mundo é o Nosso Hospedeiro em português, inglês, francês, e espanhol.

www.greenanglicans.org 
Baixe o recurso para crianças Ryan the Rhino (apenas em inglês). Clique em “Resources” e, depois, em “Youth”.