Da: Crédito – Passo a Passo 26

Como a melhoria do acesso ao crédito pode ajudar as pessoas a saírem da pobreza

por Elgin Saha.

Poderão os objectivos de desenvolvimento ser alcançados sem qualquer sistema de crédito para ajudar os pobres a começar actividades de geração de recursos? Durante muitos anos esta tem sido uma pergunta difícil para nós na HEED, em Bangladesh. Discutimos e deliberámos. Enquanto os necessitados esperavam pacientemente…

Desde a independência em 1971, quantidades enormes de doações tem sido feitas para o Bangladesh mas agora existem mais pessoas abaixo das condições mínimas de sobrevivência do que antes. Nós acreditávamos que uma vez que a conscientização de pessoas pobres fosse aumentada, elas automaticamente seriam capazes de ganhar um sustento. Nós éramos, portanto, contrários à introdução de um sistema de crédito e empréstimos na HEED. Nós críamos que:

Durante muitos anos a HEED simplesmente aceitou estas idéias. Este ano, no entanto, oferecemos empréstimos com êxito para mais de 7.000 pessoas através do nosso sistema de crédito e empréstimos. Como mudamos as nossas idéias? Talvez você se interesse pela nossa experiência.

Cansados de esperar

Nos anos 80 percebemos que os membros do nosso grupo podiam economizar $5 cada um em dois anos. Juntos, um grupo de 20 pessoas podia economizar $100 em dois anos. A metade ou todo este valor poderia ser dado a um membro do grupo para algum propósito de geração de recursos. Nesta época, começamos a conceder um valor complementar semelhante para tais grupos. No entanto, nós logo percebemos que se cada membro recebesse um empréstimo, devolvendo-o dentro de um ano, demorariam 7–10 anos para todos no grupo se beneficiarem. Era muito difícil esperar tanto tempo.

Nós então negociámos com um banco local e tomámos a responsabilidade por quaisquer empréstimos não pagos em nome dos membros do nosso grupo. Mas isto não durou muito tempo. Sob o sistema bancário deste país, os empréstimos só podem ser feitos a indivíduos – não a grupos – a menos que o grupo esteja registrado com o governo. Tentamos organizar um registro governamental para todos os nossos grupos mas, como de costume, os atrasos, corrupção e burocracia logo nos forçaram a abandonar esta idéia.

Nesta altura, a maioria dos nossos grupos tinha completado cursos em Desenvolvimento Humano e Desenvolvimento de Aptidões. Sem crédito, eles eram incapazes de começar quaisquer projectos de geração de recursos. Alguns chegaram a ficar tão ansiosos que pediram dinheiro emprestado a financiadores locais tendo que pagar altas taxas de juros.

Os líderes de grupos começaram a vir para a HEED dizendo: ‘Agora que desenvolvemos a conscientização do grupo e aprendemos algumas aptidões ainda não podemos fazer nada por falta de recursos. Para que serve todo o treinamento?’ Os líderes de projectos começaram a reclamar que alguns grupos se estavam desintegrando por não conseguirem empréstimos.

O passo importante

Em 1994 uma equipe de avaliação considerou a questão dos empréstimos para nossos membros mais pobres. Eles acabaram por visitar organizações importantes no Bangladesh (ex. Banco Grameen) e estudaram esta questão. Seguindo as suas recomendações, a HEED tomou a enorme decisão de começar a conceder empréstimos a grupos associados necessitados sem qualquer garantia.

Ao princípio nós não tínhamos um orçamento para montar os fundos de empréstimos e muitos dos que nos apoiavam hesitaram em financiar esta mudança em nossos procedimentos. Pouco a pouco, no entanto, conseguimos começar com um valor pequeno.

Agora temos um sistema de crédito e empréstimos bem organizado com mais de 7.000 participantes. O nosso fundo rotativo de empréstimos é de $150.000. Todos os nossos grupos estão envolvidos em atividades representativas de geração de recursos. O nível de reembolso é superior a 97%, o que é muito animador! Os nossos grupos têm uma estrutura sólida e de apoio. Agora recebemos pedidos de outras partes do Bangladesh para se juntarem ao nosso programa porque fornecemos treinamento de uma maneira integrada. Não cremos que dinheiro ou um empréstimo por si próprio pode fazer uma mudança. Pelo contrário, cremos que desenvolvimento humano e treinamento profissionalizante, juntos com um empréstimo, podem fazer uma diferença de verdade. Adoptamos um equilíbrio entre treinamento e empréstimos.

Programas bem sucedidos

Temos procedimentos detalhados para a colecta de pagamentos e para assegurar que os dados registrados estejam correctos. Os nossos membros usam os seus empréstimos de diversas maneiras. Com empréstimos pequenos, entre US $10 e US $50, algumas pessoas começaram projectos de secagem de peixes, venda de querosene, legumes ou peixe, fabricação de redes para pesca, criação de cabras ou galinhas, fabricação de sacos de papel ou trabalhos de tricô e malha. Empréstimos entre US $50 e US $200 foram usados para projectos de venda de tecidos, equipamentos de cozinha ou fertilizantes, trabalhos em tecido, produção e venda de doces (rebuçados), compra de bois para o arado, máquinas de costura ou tear, produção de melado ou estabelecimento de uma loja pequena. Empréstimos maiores – apenas disponíveis para pessoas que pagaram empréstimos menores devidamente – foram usados para comprar máquinas de costura industriais, bombas elétricas, moinhos de arroz, fábricas de sabão, fábricas de gelo, ‘rickshaws’ (carros de duas rodas para transporte de pessoas puxados por um ou dois homens), carroças e para montar granjas, viveiros de peixes e alfaiatarias.

Fundo de assistência social

Cobramos taxas administrativas de 12% ao ano. Destas, 2% são depositados num fundo de assistência social. Se um membro estiver incapacitado de pagar o empréstimo por algumas das razões abaixo mencionadas, parte do saldo pode ser recuperado usando-se o dinheiro economizado por eles e o fundo de assistência social:

Impacto dos programas de crédito

Com o nosso programa de empréstimos, provamos que se pode confiar nos pobres fazendo-se empréstimos pequenos quando eles formam pequenos grupos. Eles mostraram que podem ser bons administradores quando é fornecido treinamento e apoio adequados. Estes são alguns dos benefícios que descobrimos, os quais esperamos que incentivem outros grupos a seguir o nosso exemplo:

Elgin Saha é o Director Executivo da HEED, um grupo cristão de desenvolvimento trabalhando no Bangladesh há 20 anos. O seu endereço é: PO Box 5052, New Market, Dhaka- 1205, Bangladesh.

As nossas regras para conceder empréstimos…

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar