Ir para o consentimento do cookie

Da: Assistência a órfãos – Passo a Passo 101

Estudos de casos, atividades infantis e uma entrevista comovente sobre como é crescer num centro de acolhimento infantil

Criar arte e falar sobre ela pode ajudar as crianças a se recuperarem de experiências difíceis. As atividades podem incluir desenho, pintura, modelagem, colagem e qualquer outro tipo de arte. As atividades abaixo podem ajudar os órfãos e crianças vulneráveis a expressar suas emoções, crescer em autoestima e lidar com memórias difíceis.

O cuidador precisa ouvir bem, expressar compreensão e mostrar plena aceitação e amor. É importante perceber até que ponto a criança quer compartilhar. A atmosfera deve ser descontraída e amigável, e as crianças devem divertir-se enquanto fazem as atividades (por exemplo, usando diferentes cores e materiais).

Antes de começar 

Encontre um conselheiro local treinado que trabalhe com crianças. Se as crianças mostrarem sinais de angústia, interrompa a atividade, conforte-as e considere a possibilidade de marcar uma consulta para elas com o conselheiro.

Ilustraçõe: Amy Levene/Wingfinger

Ideia 1: O lugar seguro

Um bom lugar para começar com as crianças que passaram por algo traumático é fazê-las desenhar um “lugar seguro”. Esta atividade também é útil para as crianças que estão ficando ansiosas.

Incentive a criança a fechar os olhos e imaginar um lugar onde ela se sinta muito segura. Este poderia ser um lugar real ou imaginário. Dê-lhe bastante tempo para imaginar este lugar: isso pode ser difícil para crianças recentemente traumatizadas. Diga-lhe que, neste lugar, só estarão as pessoas que ela quiser e que nada de ruim poderá acontecer com ela. Faça perguntas para ajudá-la a criar uma imagem do lugar, como: “Dê uma olhada ao redor. O que você vê? Que cheiro você sente? O que você ouve? Você está muito feliz e seguro(a) … O que você está fazendo?”. Pergunte “O que mais?” para incentivar a criança a dar mais detalhes. Quando a criança tiver terminado de imaginar o lugar, ela poderá desenhá-lo ou criá-lo com canetas coloridas, lápis, tintas ou materiais diferentes. Incentive-a a se lembrar desse lugar e pensar nele quando sentir medo ou estiver triste.

Ilustraçõe: Amy Levene/Wingfinger

Ideia 2: sou eu!

Esta atividade pode ajudar a fortalecer o senso de identidade da criança e desenvolver sua autoestima.

Peça à criança que se olhe no espelho. Enquanto ela ainda estiver se olhando, faça as seguintes perguntas:

Em seguida, crie uma trabalho de arte com a criança sobre esse tema. Aqui estão algumas ideias, mas você pode usar suas próprias ideias.

Esta pode fazer parte de um conjunto de atividades artísticas sobre temas como “De onde eu venho”, “Amizades” e “Minhas esperanças para o futuro”. As crianças podem colocar esses trabalhos de arte em uma pasta e decorar a capa.

Ideia 3: mudar a lembrança

Esta atividade pode ajudar as crianças a lidar com as coisas assustadoras que aconteceram em sua vida.

Simplesmente permitir que as crianças desenhem ou pintem o que quiserem e mostrar interesse no que elas criarem irá ajudá-las a expressar seus pensamentos e sentimentos. Faça perguntas como: “Conte‑me sobre seu desenho”, “Quem está nele?” e “O que eles estão fazendo?”. Se isso revelar que a criança está com medo, você pode usar a seguinte atividade.

Conte à criança uma história sobre pessoas ou animais que tinham muito medo de alguma coisa. Em meio a essa situação, algo acontece que os tira do perigo. Talvez outra pessoa ou animal apareça na história e, assim, seu medo desaparece. (Um exemplo da Bíblia é a história de Jesus acalmando a tempestade quando os discípulos estavam com medo.)

Volte para o desenho que a criança fez da situação em que sentia medo. Pergunte‑lhe o que a ajudou nessa situação e como seu medo foi embora. Se a criança não conseguir pensar em nada que a tenha ajudado, incentive-a a imaginar alguma coisa perguntando: “O que o(a) teria ajudado?” Peça à criança para acrescentar essa pessoa ou coisa que a ajudou ao desenho para mudar a lembrança.

Illustration: Amy Levene/Wingfinger

IIlustrações: Amy Levene/Wingfinger

Julie Hefti

Julie Hefti estudou recreação terapêutica e trabalhou com crianças colocadas em famílias de acolhimento. Ela também trabalhou no Quênia, com meninas maasai traumatizadas, na Suíça, com usuários de drogas, e na Jordânia, em uma pré-escola para crianças refugiadas sírias. E-mail: ps9213@googlemail.com

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora

Preferências de cookies

Sua privacidade e paz de espírito são importantes para nós. Temos o compromisso de manter seus dados em segurança. Somente coletamos dados de pessoas para finalidades específicas e não os mantemos depois que elas foram alcançadas.

Para obter mais informações, inclusive uma lista completa de cookies individuais, consulte nossa política de privacidade.

  • Estes cookies são necessários para o funcionamento do site e não podem ser desativados em nossos sistemas.

  • Estes cookies permitem-nos medir e melhorar o desempenho do nosso site. Todas as informações coletadas por eles são anônimas.

  • Estes cookies permitem uma experiência mais personalizada. Por exemplo, eles podem lembrar em que região você está, bem como suas configurações de acessibilidade.

  • Estes cookies ajudam-nos a personalizar os nossos anúncios e permitem-nos medir a eficácia das nossas campanhas.