Ir para o consentimento do cookie

Da: Quando um desastre ocorre – Passo a Passo 18

Como as igrejas e as comunidades podem se preparar para os desastres, inclusive treinamento em primeiros socorros

por Jun Vencer.

Todo desastre traz histórias individuais de grande sofrimento humano e de tragédia. Como pode a Igreja responder a tais necessidades? Toda igreja deveria estar envolvida em prover ajuda àqueles que experimentam sofrimento seja em qual forma for. No livro de Atos, a Igreja primitiva em Antioquia é um exemplo para todas as igrejas atuais seguirem. Quando a Judéia passou por um período de fome, todos os crentes em Antioquia …de acordo com sua capacidade, decidiram ajudar os irmãos que viviam na Judéia.

Em alguns países a Igreja está numa posição ideal para poder oferecer ajuda em tempos de desastres. As igrejas, às vezes, estão próximas das áreas afetadas e podem agir rapidamente. Líderes de igrejas são geralmente pessoas nas quais podemos confiar e têm a capacidade de identificar aqueles em maior necessidade dentro da comunidade. Após a realização duma acção de assistência a igreja local provê um foco permanente para qualquer trabalho que se vai seguir. Agências de assistência podem chegar e ir embora, mas a igreja local permanece.

O envolvimento da igreja no trabalho de assistência pode se tornar um grande testemunho junto à comunidade local. Quando o evangelho é colocado em prática em situações de desastre, muitos podem se decidir por Cristo. No entanto, grupos cristãos devem ser muito cuidadosos em situações como estas. Ao se verem em situações de extrema necessidade, muitas pessoas podem fingir que estão desejosas em seguir a Cristo apenas por interesse para serem de alguma maneira favorecidas por estes grupos cristãos, seja com uma provisão maior de comida ou de ajuda. O evangelho não deve ser pregado a audiências ‘cativas’ – por exemplo, pessoas que esperam por ajuda num hospital de missão ou esperando receber comida. Deus anseia por discípulos dispostos.

A Igreja tem uma responsabilidade social em ajudar pessoas necessitadas em nome de Jesus Cristo. Em situações de desastre os atos dum cristão, muitas vezes, falam mais alto do que suas palavras.

Três estudos de caso…

NA ARMÊNIA foram distribuídos pacotes com comida e roupas a pessoas desalojadas que foram acomodadas numa pensão, sem que houvesse qualquer trabalho direto de evangelismo entre elas, nem qualquer literatura. Neste caso, a abordagem ajudou as pessoas a manterem a dignidade, sobretudo considerando que alguns não concordavam com as suas crenças.

NO ZIMBABUE um grupo pregou e cantou hinos antes de distribuir alimentos à população. Uma atmosfera de festa foi criada pois aquela comunidade estava aberta à fé cristã.

NA BÓSNIA, alimentos e outros artigos foram doados a grupos comunitários que se encarregaram de distribuí-los. Estes grupos são seculares, católicos ou muçulmanos. Nenhum trabalho de evangelismo foi incluído. No entanto, a organização que fez a doação publica revistas evangélicas devocionais e livros cristãos que foram colocados à disposição destes grupos comunitários. Apesar dos trabalhos de distribuição de alimentos e de literatura serem distintos, eles se complementaram, ministrando à pessoa como um todo duma maneira prática e espiritual.

Reconstruindo do nada

A guerra em Serra Leoa em 1992 destruiu muitas vidas e muitas propriedades. Mas através disto, o Senhor está nos ensinando muitas coisas, agora que estamos enfrentando um número tão grande de desafios. Eu tinha algumas máquinas para trabalhar na lavoura, mas acabei perdendo tudo. Jesus tem me desafiado: ‘Você estava dependendo daquelas máquinas e equipamentos, dando louvor a elas ao invés de mim?’

Depois das coisas horríveis que aconteceram, eu me tornei muito apegado às pessoas – elas vêem que o meu interesse por elas é genuíno pois eu permaneci com elas durante tempos de dificuldades. Isto faz com que elas fiquem desejosas em trabalhar comigo e me desafia a continuar a morar e trabalhar com estas pessoas. O desafio para mim é ficar com estas pessoas, receba eu um salário ou não.

As pessoas estão trabalhando o dobro por agora não terem nada mais além do que a boa vontade para se ganhar um pouco de comida. Elas também são desafiadas a aceitar idéias novas. A guerra destruiu tantas coisas que as pessoas querem começar tudo do zero, com uma atitude positiva. Eu creio que Deus está me desafiando a obedecer-lhe e a começar a trabalhar na lavoura novamente, desta vez da maneira com que os demais fazem no vilarejo. Talvez possamos nos reerguer juntos do nada.

Rev Musa Jambawai Conselheiro da RURCON Serra Leoa

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora

Preferências de cookies

Sua privacidade e paz de espírito são importantes para nós. Temos o compromisso de manter seus dados em segurança. Somente coletamos dados de pessoas para finalidades específicas e não os mantemos depois que elas foram alcançadas.

Para obter mais informações, inclusive uma lista completa de cookies individuais, consulte nossa política de privacidade.

  • Estes cookies são necessários para o funcionamento do site e não podem ser desativados em nossos sistemas.

  • Estes cookies permitem-nos medir e melhorar o desempenho do nosso site. Todas as informações coletadas por eles são anônimas.

  • Estes cookies permitem uma experiência mais personalizada. Por exemplo, eles podem lembrar em que região você está, bem como suas configurações de acessibilidade.

  • Estes cookies ajudam-nos a personalizar os nossos anúncios e permitem-nos medir a eficácia das nossas campanhas.