Da: Doenças transmissíveis – Passo a Passo 112

Como reduzir a disseminação e o impacto das doenças transmitidas de pessoa para pessoa

Sheryl Haw é a ex-diretora internacional da rede Miqueias Global. Ela morou e trabalhou em vários países, inclusive em seu país natal, o Zimbábue. Aqui, ela reflete sobre algumas questões comuns relacionadas com a pandemia de Covid-19.

A Covid-19 é o julgamento de Deus?

Os discípulos de Jesus tinham preocupações semelhantes em Lucas 13:1-5. As pessoas mortas por Pilatos ou esmagadas pela torre de Siloé eram pecadores piores do que outros? Isso foi um julgamento? Jesus claramente diz que não. A Covid-19 não deve ser vista como um julgamento de Deus.

No entanto, Jesus enfatiza que esses eventos devem ser levados a sério. A vida é preciosa e frágil. Temos uma só vida, e ninguém sabe quando ela acabará. Jesus incentiva-nos a pensar cuidadosamente sobre nossas prioridades e ações. Um dia, cada um de nós terá que prestar contas pela maneira como viveu (Romanos 14:12). Jesus chama-nos para deixarmos de fazer o mal, escolher o bem, escolher a vida e segui-lo.

Por que a pandemia de Covid-19 ocorreu?

A pandemia de Covid-19 não é um “desastre natural”. Quando as pessoas mantêm contato próximo com os animais, os vírus dos animais podem passar para os seres humanos. O desmatamento, o comércio de carne de caça, o tráfico de animais selvagens e as práticas agrícolas insustentáveis tornam isso mais provável de acontecer.

As regras que vemos em Levítico, sobre as práticas alimentares e de higiene, tinham ligações tanto com a saúde quanto com a teologia. A importância de se lavar e saber o que é puro e impuro e como evitar a contaminação mostra a preocupação de Deus com a saúde das pessoas (por exemplo, veja Levítico 11).

Se Deus mostrou um interesse tão específico, nós também o devemos fazer. A igreja deve liderar ensinando e dando o exemplo das melhores práticas de saúde, higiene e proteção ambiental.

Os cristãos deveriam ter medo?

É natural nos preocuparmos com a Covid-19 ou qualquer outra ameaça à nossa saúde e bem-estar, mas Deus promete estar sempre conosco (Romanos 8:38-39). Ele nos deu um espírito não de covardia, mas de poder, amor e equilíbrio (2 Timóteo 1:7).

Podemos seguir em frente com fé e esperança (1 Coríntios 13), encontrando maneiras de abençoar, servir e cuidar de nossas comunidades.

A Covid-19 é um sinal do fim dos tempos?

A descrição bíblica do “fim dos tempos” refere-se não apenas a um tempo no futuro, mas ao tempo todo, desde a primeira vinda de Cristo até seu retorno (Hebreus 1:1-2). 

Em todas as gerações, sempre há algumas pessoas que tentam prever quando Jesus voltará. No entanto, ele advertiu seus discípulos claramente de que a data e a hora são desconhecidas (Marcos 13:32). Nosso papel é viver com prontidão para sermos encontrados fazendo o que fomos chamados a fazer. Podemos ver os eventos como a pandemia de Covid-19 como a criação gemendo e desejando a volta de Cristo (Romanos 8:22).

Do que podemos ter certeza?

Romanos 8:28 diz: “Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito”.

Deus é luz: não há trevas nele. Ele não faz com que as coisas ruins aconteçam, mas ele trabalha em todas as situações para garantir que elas levem a coisas boas. Deus não nos promete que estaremos isentos do sofrimento, mas promete nos dar o que precisamos para glorificá-lo (Hebreus 13:20-21).

Chegará o dia em que Deus habitará plenamente conosco, em um céu e uma terra transformados (Apocalipse 21 e 22). Então, não haverá mais sofrimento, doença ou morte, e o mundo natural mais amplo florescerá conosco. Podemos deixar que essa esperança futura motive a forma como vivemos hoje, enquanto nos apegamos a Deus, nossa rocha, oramos pelo fim da Covid-19 e cuidamos das pessoas ao nosso redor.

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhar este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles possam se beneficiar também