Turistas usando a passarela suspensa de Mida Creek, construída com o fim de levantar verbas para mandar as crianças para a escola secundária e para mostrar um forte compromisso com a conservação. Foto: Colin Jackson

Da: Recursos naturais – Passo a Passo 82

Como cuidar dos preciosos recursos naturais dos quais todos nós dependemos

Os recursos naturais são essenciais para todos nós. Cada vez que preparamos uma refeição, usamos recursos naturais. Para muitos de nós, as árvores, o bambu e o capim servem de matéria-prima para a nossa moradia. A vegetação natural alimenta o nosso gado, as fibras naturais vestem o nosso corpo, a madeira e o carvão provêm grande parte da energia para a iluminação e o aquecimento, e as plantas silvestres são fontes de medicamentos à base de ervas. Talvez o recurso mais precioso de todos seja a água – para beber, tomar banho, cozinhar e para a agricultura.

Entre os recursos naturais, estão todas as plantas, os animais e os insetos, bem como o mundo inanimado. As interações complexas entre eles são essenciais para sustentar a vida. Deus criou uma rede intricada de relações entre todas estas partes da criação, em que cada parte depende de muitas outras. As pessoas são guardiãs do mundo de Deus. Se abusarmos da nossa posição e utilizarmos mal ou destruirmos um recurso, como a água, por exemplo, ou uma espécie animal, danificaremos o equilíbrio delicado de todos estes sistemas.

Contudo, estes recursos encontram-se ameaçados. Alguns cientistas dizem que mais de um terço de todas as plantas, animais e insetos corre risco de extinção, sendo que mais de 70 por cento de todas as espécies vegetais estão ameaçadas. Até o ano 2025, haverá cerca de seis bilhões de pessoas vivendo em países com escassez hídrica. A cada ano, uma área florestal do tamanho de Bangladesh é destruída. Áreas que antes eram campos produtivos, florestas densas ou áreas de pastagem serão transformadas em desertos improdutivos. Muitos países mais sofrerão escassez de alimento, e as pessoas pobres serão as mais afetadas.

Por que os recursos naturais estão ameaçados?

A mudança climática está resultando em eventos meteorológicos mais severos e mais freqüentes, tais como os vendavais. Ela também está resultando em mudanças grandes nos padrões de precipitação, causando enchentes e secas. As condições de crescimento das plantas e das culturas para a alimentação estão mudando – algumas conseguirão se adaptar e sobreviver, outras desaparecerão. Isto está enfraquecendo os meios de sobrevivência (por exemplo, a agricultura) forçando as pessoas a se mudarem para locais vulneráveis ou forçando-as a explorar os recursos naturais para sobreviver (por exemplo, derrubando árvores).

A degradação ambiental é principalmente causada pelo homem e resultante da exploração excessiva ou da poluição dos recursos naturais. Por exemplo, a extração excessiva de água subterrânea por parte das fazendas e fábricas, a extração excessiva de minerais e a poluição dos cursos de água afetam o meio ambiente. A derrubada de árvores reduz a capacidade do solo de absorver as chuvas fortes bem como a capacidade da terra de manter a vegetação natural.

As ameaças naturais, tanto as meteorológicas (por exemplo, enchentes, ciclones e secas) quanto as geofísicas (por exemplo, terremotos e vulcões) sempre ocorreram. Quando as ameaças naturais afetam uma população vulnerável, a conseqüência é o desastre. Cerca de nove em cada dez desastres estão relacionados com o clima. Algumas destas ameaças causam um impacto devastador nos recursos naturais: os ciclones derrubam as árvores, as ressacas poluem os campos e os lagos com água salgada, e as secas levam embora a água e o pasto do gado. (Veja a figura 1.) 

Então, o que pode ser feito? Os recursos naturais podem ser protegidos e conser­vados de várias maneiras:


Responsabilidade pessoal


O destino dos nossos recursos naturais está, em parte, em nossas mãos, nas decisões que tomamos a cada dia. Podemos viver como guardiães responsáveis, minimizando a nossa utilização dos recursos e evitando os danos e a exploração. Podemos fazer isso quer vivamos numa área rural, quer vivamos numa cidade. Para protegermos o nosso meio ambiente local, podemos:



Avaliação do impacto dos projetos


Vários guias já foram produzidos para as pessoas que trabalham na área de desenvolvimento para ajudá-las a medir o provável impacto das atividades dos projetos no meio ambiente, inclusive nos recursos naturais (veja a página de recursos para obter mais informações). Através de uma montagem cuidadosa dos projetos, podemos garantir que o nosso trabalho proteja os recursos naturais, não apenas no presente, mas também sob as condições variáveis do futuro.. 


Intervenções de projetos especÍficas 


Dentro de cada um dos três círculos do diagrama (figura 2), há atividades de projetos específicas que podem reduzir ou reverter o impacto das ameaças naturais, da degradação ambiental e da mudança climática. Às vezes, o fortalecimento de um recurso natural pode ajudar a reduzir o impacto das ameaças naturais, inclusive as que se agravaram devido à mudança climática. Por exemplo, se um manguezal litorâneo danificado for restaurado, ele poderá servir de proteção contra as ressacas. As atividades da área de intersecção central combaterão os efeitos de todas as três: ameaças naturais, mudança climática e degradação ambiental. 



Defesa de direitos para a mudança


Podemos agir em âmbito local, nacional e internacional para proteger os recursos naturais. Vários grupos comunitários ou ONGs (organizações não governamentais) podem trabalhar em conjunto para apresentar uma opinião comum aos responsáveis pelas decisões locais ou nacionais. Por exemplo, quando estiverem sendo desenvolvidas políticas hídricas, podemos incentivar as autoridades planejadoras a levar em conta os efeitos previstos da mudança climática, de forma que as enchentes ou as secas não tornem essas políticas ineficazes. As comunidades podem trabalhar juntas para evitar que as indústrias locais usem uma quantidade excessiva de água subterrânea, secando seus poços e suas fontes de água.


Bob Hansford é o Assessor de Redução do Risco de Desastres da Tearfund.




Estudo de caso


Os arqueólogos estudaram a antiga civilização de Nazca, no Peru, a qual desapareceu repentinamente 1500 anos atrás. A pesquisa mostrou que a sociedade dependia muito das florestas de algarrobos. Estas árvores enormes tinham raízes muito profundas e eram uma fonte de alimento, forragem, madeira e combustível para o povo de Nazca. Elas também mantinham o nível da água subterrânea e fertilizavam o solo para outras plantas. Quando estas florestas foram excessivamente exploradas, derrubadas e substituídas por plantações de milho, grandes áreas de terras baixas tornaram-se vulneráveis às enchentes causadas pelo El Niño (o aquecimento do Oceano Pacífico – um evento que ocorre a intervalos de alguns anos). As árvores foram desaparecendo até chegar a um “ponto crucial”, e, em pouco tempo, a grande civilização de Nazca desapareceu também. Se não pudermos aprender a cuidar dos nossos recursos naturais, teremos o mesmo destino?



Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora