Foto: Marcus Perkins

Da: Saúde sexual – Passo a Passo 69

Como iniciar a conversa sobre questões sexuais

As doenças e infecções são transmitidas de formas diferentes. Muitas, tais como os resfriados, a gripe ou a tuberculose, são transmitidas para outras pessoas através do ar, quando uma pessoa infectada espirra ou tosse. Algumas, como a malária, são transmitidas aos outros por mosquitos. As infecções transmitidas sexualmente (ITSs) só podem ser transmitidas através das relações sexuais. Por este motivo, as pessoas acham muito embaraçoso lidar com elas. Com freqüência, elas não querem procurar cuidados médicos e, assim, sofrem em silêncio.

As ITSs podem ser desconfortáveis e desagradáveis. Se deixadas sem tratamento, podem causar problemas de saúde graves, inclusive dor constante, infertilidade, problemas na gravidez, abortos, câncer e morte. As ITSs também podem ter efeitos prejudiciais nos bebês e nas crianças pequenas, através da transmissão da mãe para o bebê. Muitas pessoas não estão cientes das ITSs ou acreditam que não correm risco. Porém, as ITSs são um tipo de infecção muito comum. Mesmo as pessoas que só tiveram um parceiro sexual podem se infectar. Muitas vezes, não há nenhum sinal externo. Assim, elas podem ser contraídas de pessoas que parecem saudáveis, e é possível uma pessoa ter uma ITS sem saber. A pessoa corre risco quando faz sexo sem proteção:

Algumas ITSs comuns são descritas abaixo.

Verrugas genitais

As verrugas genitais são uma ITS comum. Às vezes, elas não apresentam nenhum sintoma ou são tão pequenas que não podem ser vistas. Elas afetam os órgãos sexuais ou a boca. Alguns sinais e sintomas são:

Gonorréia e clamídia

A gonorréia e a clamídia são fáceis de curar, se tratadas no início, caso contrário, elas podem causar infertilidade tanto na mulher quanto no homem. No homem, os sintomas geralmente começam de dois a cinco dias após sexo com uma pessoa infectada e são:

Os sinais na mulher podem não começar por semanas ou até meses, mas são:

Tanto o homem quanto a mulher podem não apresentar nenhum sinal, mas ainda assim podem transmitir a infecção.

HIV (VIH)

HIV é o vírus que causa a AIDS (SIDA). Não há cura para o HIV. Entretanto, ele pode ser controlado com medicamentos anti-retrovirais, quando disponíveis. O HIV propaga-se quando o sangue, fluídos da vagina ou o sêmen de alguém já infectado com o HIV chega ao corpo de uma outra pessoa, ou através da transmissão da mãe para o bebê. Ele não é propagado ao se tocar, abraçar ou beijar uma pessoa que vive com o HIV. As pessoas que vivem com o HIV podem parecer saudáveis e podem não apresentar nenhum sintoma. Usar um preservativo de borracha durante as relações sexuais pode prevenir a transmissão do vírus.

Há um forte vínculo entre o HIV e outras ITSs. O HIV é mais fácil de ser transmitido para e por pessoas que têm ITSs, principalmente se houver feridas abertas nos órgãos genitais. As ITSs podem ser mais graves e difíceis ou impossíveis de tratar nas pessoas que são HIV positivas e possuem menos imunidade.

HPV

O Papillomavirus Humano (HPV) é uma das ITSs mais comuns. Muitas vezes, não há nenhum sintoma, mas ele pode causar câncer do colo do útero e outros tipos de cânceres genitais nos homens assim como nas mulheres. Se a pessoa apresentar sintomas de outras ITSs, ela deve fazer um exame de HPV.

Sífilis

Sífilis é uma ITS que, se não for tratada, pode causar sérios problemas de saúde. Uma mulher grávida pode passar sífilis para o bebê que ainda não nasceu, o que pode fazer com que ele nasça prematuro, deformado ou morto. A sífilis desenvolve-se em quatro estágios:

Compilado por Maggie Sandilands a partir de Where women have no doctor: a health guide for women, de A. August Burns, Ronnie Lovich, Jane Maxwell e Katharine Shapiro, editado por Sandy Niemann (The Hesperian Foundation).


Prevenção e tratamento

Prevenção 

Há maneiras de se prevenir as ITSs, mas estas freqüentemente dependem de até que ponto a pessoa tem opção e controle sobre as suas decisões sexuais. As mulheres especialmente podem ter pouca influência nas decisões. Para prevenir as ITSs, as pessoas sexualmente ativas devem:

Tratamento

Muitas ITSs podem ser curadas com antibióticos, se a pessoa tiver acesso a cuidados médicos. As infecções causadas por um vírus (tais como o HIV ou o HPV) não podem ser curadas, mas podem ser tratadas para aliviar os sintomas. Se uma pessoa achar que tem uma ITS, ela deve:


Mulheres em risco

As mulheres são mais vulneráveis às ITSs, inclusive o HIV, que os homens por motivos físicos assim como sociais. O sêmen permanece dentro da vagina por muito tempo após o sexo, assim, um vírus pode facilmente passar para o organismo da mulher. A violência sexual, o estupro, o “sexo seco” ou a MGF, todos estes aumentam a probabilidade de vagina rompida durante o sexo, o que aumenta o risco de infecção.

Muitas vezes, as mulheres têm pouco controle ou opção quanto a quando ou com quem fazem sexo ou para exigirem o uso de preservativos. A pobreza pode aumentar esta falta de opção, pois a mulher pode depender economicamente de um homem ou ser forçada a se vender sexualmente para sobre viver. A falta de instrução pode fazer com que as mulheres não tenham acesso a informações sobre as ITSs ou sobre como se protegerem.

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar