Pular para o conteúdo Ir para o consentimento do cookie

Guias e ferramentas

O direito de viver em liberdade

Discute a questão das prisões e dos presidiários, com perguntas e referências bíblicas

2007

Todas as sociedades precisam proteger as pessoas inocentes daqueles que possam lhes fazer algum mal. Isso geralmente significa um sistema legal com a prisão como punição. Quando a justiça é praticada de maneira justa, este sistema pode ser uma maneira efetiva de proteger as pessoas comuns do mal. Contudo, ela pode ser vítima de abusos de diversas maneiras.

Alguém acusado de um crime não deve ser preso a não ser que existam provas suficientes contra ele. Evidência testemunhal ou outros tipos de provas são necessários, e o assunto deve ser deliberado perante um tribunal independente. Qualquer um que seja acusado de cometer um crime deve ser considerado inocente até que seja provado, no tribunal, que é culpado. Pessoas pobres, contudo, podem não ter acesso à representação jurídica nos tribunais.

Pessoas podem ser falsamente acusadas de cometerem crimes e não serem capazes de se defender. A prisão pode ser usada como uma maneira de calar aquelas pessoas que fazem oposição às práticas políticas, sociais ou religiosas (freqüentemente chamados de prisioneiros da consciência). Os tribunais nem sempre irão preservar a justiça se os oficiais estiverem abertos ao suborno. As sentenças podem ser injustamente longas, e uma vez na prisão, os detentos podem ser esquecidos pelos oficiais, permanecendo lá por muitos anos.

Em uma situação ideal, uma prisão pode proporcionar um tempo para reflexão, uma ocasião para aprender novas habilidades e maneiras de pensar, de forma que os prisioneiros possam mudar suas vidas para melhor. Na Bíblia somos exortados a visitar os encarcerados. Isto encorajaria os prisioneiros e ajudaria a assegurar que eles estivessem sendo bem tratados.

Discussão

  • Leia Atos 16:16-39. Esta história descreve nos versículos 16-24 como Paulo e Silas sofreram quando foram acusados falsamente, espancados e injustamente encarcerados. Qual foi a reação de Paulo e Silas a este tratamento (versículo 25)? Como nós reagimos às dificuldades?
  • Qual foi a reação de Deus (no versículo 26)? Alguma vez já experimentamos a intervenção de Deus em circunstâncias difíceis?
  • Imagine a situação na prisão logo após aquele terremoto. Por que você acha que nenhum dos prisioneiros escapou?
  • Leia os versículos 27-34. Quais foram as reações do guarda da prisão em relação ao terremoto e ao descobrir que os prisioneiros não haviam fugido? Como ele reagiu ao ensinamento de Paulo?
  • Paulo conhecia os seus direitos. Ele e Silas poderiam ter fugido quando tiveram a oportunidade. Porém eles sabiam que haviam sido falsamente maltratados e aprisionados. Por que não quiseram fugir na primeira oportunidade (versículos 35-37)?
  • Paulo queria ressaltar e tornar pública a injustiça cometida contra eles. Ele foi bem sucedido (versículos 38-39)?
  • Nós fazemos o suficiente para tornar conhecidas todas as formas de injustiça? Sabemos quais injustiças estão sendo cometidas em nossa comunidade? O que poderíamos fazer para colocá-las em maior destaque?
  • Acreditamos que a justiça esteja sendo servida no nosso sistema legal?
  • Que apoio existe em nosso país para as vítimas de crimes?
  • Quais são os dispositivos existentes para as visitas aos encarcerados?
  • Quais ações poderíamos adotar para oferecer apoio às pessoas que acreditamos haverem sido presas injustamente?
  • Que apoio legal existe para pessoas que foram presas injustamente por crimes que não cometeram?
Ilustração de prisioneiros/detentos atrás de barras de metal

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outras pessoas para que elas também possam se beneficiar

Receba nossas novidades por e-mail

Fique sabendo em primeira mão sobre nossa aprendizagem e recursos mais recentes

Cadastre-se agora

Preferências de cookies

Sua privacidade e paz de espírito são importantes para nós. Temos o compromisso de manter seus dados em segurança. Somente coletamos dados de pessoas para finalidades específicas e não os mantemos depois que elas foram alcançadas.

Para obter mais informações, inclusive uma lista completa de cookies individuais, consulte nossa política de privacidade.

  • Estes cookies são necessários para o funcionamento do site e não podem ser desativados em nossos sistemas.

  • Estes cookies permitem-nos medir e melhorar o desempenho do nosso site. Todas as informações coletadas por eles são anônimas.

  • Estes cookies permitem uma experiência mais personalizada. Por exemplo, eles podem lembrar em que região você está, bem como suas configurações de acessibilidade.

  • Estes cookies ajudam-nos a personalizar os nossos anúncios e permitem-nos medir a eficácia das nossas campanhas.