R4 De que forma Deus pratica a justiça?

No Velho Testamento, em Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio, Deus estabeleceu leis detalhadas para assegurar práticas eqüitativas e a justiça em relação à propriedade e à liberdade. Ele sabia que, no decorrer do tempo, as pessoas iriam se explorar mutuamente, assim como explorar a terra, mas ele também estabeleceu leis para garantir que, em certos momentos, as coisas fossem devolvidas ao seu estado original.

Essas leis garantiam aos que eram pobres ou escravos a esperança de uma justiça futura. Essas leis são baseadas no princípio do Jubileu. Elas evitam que as terras se tornem exauridas e inférteis. Elas oferecem a liberdade de dívidas e da escravidão a cada sete anos e asseguram a redistribuição da riqueza e da terra a cada 50 anos (a cada geração). Essas leis são explicadas em três diferentes livros do Velho Testamento. Não sabemos até que ponto eram praticados os princípios do Jubileu na época do Velho Testamento. Contudo, esses princípios, o de prevenir que o rico se torne mais rico e que o pobre se torne mais pobre, permanecem no cerne da vontade de Deus em relação à justiça.

Discussão
  • Leia Êxodo 23:10-11, Êxodo 21:2-6, Deuteronômio 15:1-18 e Levítico 25:1-55. Essas leis enfocam diversas coisas: a libertação de escravos, os cuidados com a terra, o perdão de dívidas e a redistribuição de propriedade e de terras. O que aconteceria se as leis do jubileu ainda estivessem em vigor hoje?
  • O que podemos aprender das leis do Jubileu a respeito dos planos de Deus?
  • A legislação do país busca distribuir a riqueza nacional de uma maneira mais justa? Quão eficazes são as leis que lidam com esta questão (por exemplo, no pagamento de impostos)?

Artigos 1, 17, 25 A Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas