Ir para o consentimento do cookie

Da: Lar e hospitalidade - Passo a Passo 116

Como a hospitalidade, a bondade e o planejamento podem reduzir a vulnerabilidade e ajudar as comunidades a florescer

As crianças não são feitas para ficarem sozinhas. Elas precisam crescer dentro de famílias que as amem e protejam, em que possam aprender habilidades importantes para a vida e às quais elas sintam um senso de pertencimento.

Contudo, muitas crianças em todo o mundo acabam sozinhas por diferentes motivos. Algumas são separadas de suas famílias por guerras, desastres naturais, violência doméstica ou tráfico de pessoas. Outras são órfãs. As crianças que não possuem um lar são particularmente vulneráveis a doenças, a problemas emocionais, à fome e ao abuso.

Como ajudá-las

O primeiro passo é atender às necessidades básicas das crianças: abrigo seguro, alimentos nutritivos, roupas e cuidados de saúde. As crianças devem ser protegidas contra abusos, negligência e exposição à violência. 

Os seguintes aspectos também são muito importantes para o crescimento infantil, tanto físico quanto emocional.

Amor

O amor incondicional de um pai, uma mãe ou cuidador/a ajuda a proporcionar às crianças um senso de segurança e pertencimento, mesmo que outros aspectos de sua vida sejam menos constantes. As crianças precisam saber que o amor que recebem não depende de suas realizações e que elas são valorizadas e amadas por quem são.

Disponibilidade 

As crianças precisam sentir que são ouvidas e que têm alguém a quem recorrer ao enfrentarem os desafios da vida. Tempo é um dos melhores presentes que seus cuidadores lhes podem dar.

Paciência

Às vezes, o comportamento das crianças pode ser muito difícil, mas é importante que os cuidadores controlem sua irritação e procurem responder de forma comedida e apropriada. Os limites claros permitem que as crianças se desenvolvam e alcancem todo o seu potencial de forma segura. Quando as crianças ultrapassam os limites, os cuidadores precisam responder de forma calma e consistente. 

Brincadeiras

As crianças brincam porque é divertido, mas brincar também é fundamental para a sua aprendizagem e desenvolvimento. Brincar ajuda a criança a aprender novas habilidades, a se comunicar, a desenvolver autoconfiança e força física, a se relacionar com outras pessoas e a descobrir mais sobre si mesma e o mundo. 

Incentivo

Sempre que possível, os cuidadores devem responder às capacidades emergentes da criança incentivando novas habilidades e hobbies. É importante elogiar as crianças por aquilo que elas conseguem fazer, sem criticar.

Oportunidade

Todas as crianças devem ter a oportunidade de frequentar a escola e aprender as habilidades de que precisarão para se tornarem adultos independentes. 

Ato de adoração

A Bíblia fala do desejo de Deus de dar um lar aos solitários (Salmo 68:6) e lembra-nos de que “a religião que Deus, o nosso Pai, aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades” (Tiago 1:27). É um ato de adoração abrir nosso lar para as pessoas vulneráveis em resposta ao amor e à graça de Deus em nossa vida. 

Hora de brincar!

Além de muito divertidos, esses dois jogos simples ajudam as crianças a desenvolver capacidade de concentração, determinação, velocidade, habilidade e espírito esportivo. Divida as crianças em equipes e incentive-as a se revezarem nas atividades. 

Enchimento de garrafas 

Encha um recipiente com água próximo a uma fileira de garrafas. Desafie as crianças a encherem as garrafas o mais rápido possível usando apenas uma colher.

Caça ao tesouro

Esconda doces e outras recompensas embrulhadas dentro de pratos cheios de farinha e incentive as crianças a encontrarem rapidamente o “tesouro” usando apenas a boca (use um prato por criança). 

Para evitar o risco de asfixia, não use guloseimas que possam ser engolidas facilmente sem querer.

Leitura adicional

Para solicitar cópias impressas desses recursos, envie um e-mail para publications@tearfund.org. Disponível em vários idiomas.

Escrito por

Escrito por  Juliet Mukisa

Juliet Mukisa é a fundadora e diretora do Projeto Shalom, em Uganda.

O Projeto Shalom visa proporcionar aos órfãos e outras crianças vulneráveis um lugar de esperança, felicidade e contentamento. Algumas crianças sob os cuidados do projeto vivem como uma família extensa no próprio centro, mas a maioria recebe apoio para viver com familiares ou famílias de acolhimento na comunidade.

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora

Preferências de cookies

Sua privacidade e paz de espírito são importantes para nós. Temos o compromisso de manter seus dados em segurança. Somente coletamos dados de pessoas para finalidades específicas e não os mantemos depois que elas foram alcançadas.

Para obter mais informações, inclusive uma lista completa de cookies individuais, consulte nossa política de privacidade.

  • Estes cookies são necessários para o funcionamento do site e não podem ser desativados em nossos sistemas.

  • Estes cookies permitem-nos medir e melhorar o desempenho do nosso site. Todas as informações coletadas por eles são anônimas.

  • Estes cookies permitem uma experiência mais personalizada. Por exemplo, eles podem lembrar em que região você está, bem como suas configurações de acessibilidade.

  • Estes cookies ajudam-nos a personalizar os nossos anúncios e permitem-nos medir a eficácia das nossas campanhas.