Pular para o conteúdo Ir para o consentimento do cookie

Da: Saúde animal – Passo a Passo 34

Diferentes maneiras de melhorar e manter a saúde animal

Naftally Felix Omondi.

O Transmara Western Group (TMWG), do Quênia, é uma pequena equipe formada por pesquisadores voluntários que promovem desenvolvimento sustentável. Os membros incentivam o uso de conhecimentos tradicionais em agricultura para ajudar a aliviar a pobreza. Eles trabalham através de treinamento por extensão, pesquisas e contactos com outras ONGs em seminários e encontros.

Um dos métodos que eles usam com os agricultores e extensionistas é o mapeamento de doenças de animais. São preparados mapas da área e das características naturais. As doenças de animais são então indicadas no mapa. Esta técnica tem muitas vantagens. Ela é flexível e fácil de ser usada. Ela ajuda a planear como tratar doenças de animais em qualquer região.

Método

  • Em primeiro lugar, escolha as melhores pessoas para desenharem o mapa. No caso de uma fazenda, a melhor pessoa é, obviamente, o lavrador. No caso de uma comunidade de aldeia, os líderes ou anciãos talvez sejam as pessoas indicadas. Os mapas também podem ser desenhados a nível regional por agentes de desenvolvimento pecuário ou extensionistas.
  • A nível de aldeia ou fazenda, faça mapas no chão, usando quaisquer materiais disponíveis para ilustrar as florestas, lagoas, colinas, aldeias, etc. Em escritórios ou eventos, as pessoas talvez prefiram usar papel e caneta. Escolha objectos para representarem certas doenças de animais que sejam comuns na região. Por exemplo, grãos de milho para febre da costa leste, feijão para babesioses (urina com sangue), flores amarelas para doenças da boca e patas. Use um destes objectos para representar todos os casos conhecidos da doença.
  • Registre cuidadosamente as informações, localizações e número de casos de cada doença.
  • Discuta como usar estas informações no futuro para planear como tratar os casos das doenças.

Mapeamento em eventos

Eventos que reúnem agricultores ou agentes extensionistas de toda uma região criam uma oportunidade ideal para usar o mapeamento de doenças de animais. As pessoas começam a trabalhar em grupos, produzindo mapas para as suas própria regiões. Estes podem ser reunidos para produzir um mapa grande, com informações sobre doenças de animais em toda a região.

Quando os mapas estiverem prontos, inicie um debate para extrair todas as informações possíveis:

  • As doenças são mais comuns em certas áreas? Se for esse o caso, por que isso acontece?
  • Como tratam as pessoas as doenças? Existem tratamentos com ervas?
  • Que tipos de medicamentos podem os criadores de animais comprar e usar? Eles usam os medicamentos adequadamente?
  • É fácil para os criadores de animais pedirem ajuda rapidamente aos pecuaristas?
  • Quais são as doenças mais sérias, causando sérios danos ou morte?
  • Que apoio pode ser fornecido, no futuro, pelos serviços pecuários do governo?

As informações recolhidas devem ser cuidadosamente registradas e deve ser feita uma cópia de todos os mapas, usando canetas coloridas para indicar a incidência das várias doenças.

Resultados

As informações sobre os casos das doenças foram recolhidas durante quatro anos através de exercícios de mapeamento realizados com as comunidades Kipsigis e Maasai, no distrito de Transmara. Além das informações detalhadas que foram recolhidas sobre a forma e a incidência das doenças, os seguintes pontos ficaram claros:

  • Os criadores de animais não têm mais condições de darem banhos de imersão aos seus grandes rebanhos de gado regularmente, devido ao crescente aumento dos produtos químicos.
  • A maioria das doenças transmitidas por carrapatos são tratadas por especialistas em ervas da região.
  • A febre da costa leste é a doença mais séria e os criadores de animais não têm condições de usar o tratamento com produtos químicos.
  • A pulverização domiciliar de animais é feita principalmente pelas mulheres, as quais carecem de um treinamento apropriado e de equipamentos.
  • A falta de água é um problema sério na região. Isto significa que os rebanhos viajam vários quilômetros à procura de fontes de água, o que aumenta muito a propagação dos carrapatos encontrados na vegetação da margem do caminho.
  • Há uma grande falta de agentes extensionistas, pecuaristas e agentes comunitários do governo e das ONGs.
  • Há uma falta de sistemas de crédito disponíveis aos criadores de animais para que eles possam comprar produtos químicos e melhorar as suas instalações.

A partir das informações recolhidas e da compreensão adquirida dos pontos acima, o planeamento futuro pode ser agora baseado em informações seguras. O TMWG planea manufacturar remédios produzidos localmente e a baixo custo com a ajuda de curandeiros tradicionais.

Naftally Felix, Omondi é um, pesquisador do TMWG, PO Box 16, Kilgoris, Quênia.

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outras pessoas para que elas também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora

Preferências de cookies

Sua privacidade e paz de espírito são importantes para nós. Temos o compromisso de manter seus dados em segurança. Somente coletamos dados de pessoas para finalidades específicas e não os mantemos depois que elas foram alcançadas.

Para obter mais informações, inclusive uma lista completa de cookies individuais, consulte nossa política de privacidade.

  • Estes cookies são necessários para o funcionamento do site e não podem ser desativados em nossos sistemas.

  • Estes cookies permitem-nos medir e melhorar o desempenho do nosso site. Todas as informações coletadas por eles são anônimas.

  • Estes cookies permitem uma experiência mais personalizada. Por exemplo, eles podem lembrar em que região você está, bem como suas configurações de acessibilidade.

  • Estes cookies ajudam-nos a personalizar os nossos anúncios e permitem-nos medir a eficácia das nossas campanhas.