Da: Biodiversidade – Passo a Passo 47

Como compreender e responder às mudanças na biodiversidade

Em abril de 1997, foi realizada uma cerimônia especial no povoado de Pattavam, em Kerala, no sul da Índia. Numa cerimônia simbólica e comovente, um velho agricultor passou para uma pequena criança do povoado um registro de praticamente todas as espécies e plantas para o cultivo que cresciam dentro dos limites do povoado.

Este havia sido preparado pelos jovens do povoado. A criança, por sua vez, entregou o registro ao líder do povoado para que fosse guardado e protegido no interesse da comunidade e das futuras gerações.

Um dos momentos marcantes da cerimônia foi uma exposição de seres vivos, que mostrava um exemplo de cada planta que lá crescia. Esta exposição proporcionou aos habitantes do povoado uma idéia do que, exatamente, lhes pertencia e do que eles e os seus ancestrais haviam mantido vivo e preservado por séculos. O encontro do povoado também homenageou vários agricultores que haviam protegido variedades tradicionais, continuando a cultivá-las.

Como surgiu a idéia desta cerimônia? Em 1995, um grupo de jovens formou um Foro do Povoado. Eles queriam que o povoado se desenvolvesse de forma sustentável. Várias pessoas externas forneceram apoio e ensinamento. Eles foram incentivados a apreciar as suas tradições e a biodiversidade do seu povoado e decidiram organizar um registro. Havia duas opções. Eles poderiam trazer um especialista, que levaria uma semana para documentar todas as espécies. Porém, o foro percebeu que os habitantes do povoado, ainda assim, não teriam conhecimento da sua herança e que o especialista produziria um documento que poderia facilmente ser utilizado por corporações procurando materiais vegetais. Assim, eles escolheram a opção mais difícil – fazer o trabalho eles mesmos. Felizmente, eles possuíam um botânico amador local, que concordou de boa vontade em ajudar. Foram realizadas sessões de treinamento para todos os habitantes interessados do povoado.

O levantamento mostrou que estavam sendo cultivadas 26 variedades tradicionais de arroz. Entretanto, uma canção folclórica do povoado menciona mais de 100 variedades de arroz, das quais muitas, infelizmente, agora, só existem em canção. Além das variedades de arroz, foram registradas 366 espécies de árvores e plantas, 93 espécies de pássaros e 14 mamíferos selvagens.

O registro só foi escrito na língua local. Foram arroladas algumas plantas raras, porém as suas localizações não foram fornecidas, para oferecer uma proteção maior contra a exploração.

O foro acredita que, agora, eles estabeleceram os futuros direitos da sua comunidade de continuar a utilizar todas as plantas para o cultivo e os recursos genéticos dentro dos limites do seu povoado. Não será permitida nenhuma patente de qualquer uma das variedades ou das espécies arroladas. Os advogados ainda estão considerando as implicações deste trabalho. Porém, os habitantes do povoado de Pattavam deram um exemplo desafiador para outras comunidades ao redor do mundo.

Adaptado a partir de um artigo de Claude Alvares, em Third World Resurgence, Edição 84, TWN, 228 Macalister Road, 10400 Penang, Malásia.

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhar este recurso

Equipar pessoas que trabalham ao redor do mundo para erradicar a pobreza e a injustiça