Foto: Jim Loring/Tearfund

Da: Famílias sob pressão – Passo a Passo 55

Ideias práticas para tornar as famílias mais fortes e saudáveis

Esly Carvalho. 

Como a igreja pode enfrentar os problemas da violência doméstica? O Banco Interamericano de Desenvolvimento publicou recentemente uma investigação com algumas constatações terríveis…

Estas estatísticas são alarmantes. A violência doméstica também pode acontecer em lares cristãos. Algumas das pessoas que cometem violência doméstica freqüentam a igreja todos os domingos – algumas possuem até cargos de liderança em suas igrejas. A violência doméstica é um dos segredos mais bem guardados.

Uma forma de pensar inútil 

Muitas mulheres dizem que agüentam a violência por causa dos filhos. Elas acham que é melhor dar a seus filhos um lar com um pai violento do que viver num lar desfeito. O problema com esta forma de pensar é que a mulher se torna cúmplice da violência. Ela permite que o comportamento do marido continue, sem romper o ciclo. Ela não protege os filhos da violência.

A igreja nem sempre sabe lidar de forma sábia com os lares em que existe violência. Dizer à mulher que ela tem de agüentá-la não é uma boa solução. Ameaçá-la com disciplina ou expulsão da igreja, se ela se separar, não ajuda. Às vezes, o ensinamento da igreja obriga a esposa a continuar com um marido violento. Deve-se fazer todo o possível para se salvar um casamento, mas, quando uma mulher abusada não deseja voltar para um lar com um marido violento, a igreja deve apoiar sua decisão.

Quebrando o silêncio 

Acredito que, como cristãos, precisamos quebrar o silêncio. Deus não quer que exista nenhum tipo de violência no lar. Colossenses 3:12-15 ensina-nos que Deus nos chamou para a paz. Devemos tratar-- nos uns aos outros com humildade, fazendo tudo com um espírito de gratidão a Deus, unidos pelo amor. A igreja deveria ser a primeira a levantar a voz para expor o terrível segredo da violência doméstica. Ela deveria apoiar as pessoas envolvidas nestas situações, para que elas possam encontrar soluções boas, saudáveis e bíblicas para seus conflitos, inclusive novos métodos de comunicação dentro das famílias.

Adaptado a partir de informações do capítulo 3 de The Family in Crisis, de Esly Carvalho, publicado pela Publicaciones INDEF, Costa Rica.

1 Relatório da Agência Latino-americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 24 de julho de 1998; Apartado 14–225, Lima 14, Peru; de Edelberto Behs. Publicações sobre mulheres e violência doméstica: www.iadb.org  

O que pode ser feito?

 

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora