Foto: Jim Loring/Tearfund

Da: Poluição – Passo a Passo 59

Todos nós temos um papel a desempenhar na redução dos efeitos prejudiciais da poluição

Elizabeth Bates, Nigel Bruce, Alison Doig e Stephen Gitonga. 

Cerca de 80% das pessoas da região rural da África abaixo do Saara dependem de combustíveis como lenha, esterco e resíduos das colheitas para a sua energia doméstica. O fumo (fumaça) da queima destes combustíveis dentro de casa leva a um aumento dos problemas de saúde sérios, tais como a pneumonia e as doenças pulmonares. Isto afeta principalmente as mulheres e as crianças pequenas, que passam muito tempo na cozinha. 

No Quênia, o Intermediate Technology Development Group (ITDG) (Grupo de Desenvolvimento de Tecnologia Intermediária) realizou o projeto Fumo e Saúde, o qual trabalhou em conjunto com 50 residências rurais em duas comunidades, para diminuir a poluição do ar dentro de casa. 

Os funcionários de campo informaram os grupos de mulheres sobre o projeto e sobre o que esperavam alcançar. Não houve falta de pessoas querendo participar do projeto. 

Avaliação de linha-base 

Primeiro, foi realizada uma avaliação de linha-base, para que o impacto do projeto pudesse ser medido. Os funcionários de campo usaram um questionário com cada residência, o qual registrou informações tais como o tamanho da família, meios de cozimento e iluminação, plano e estrutura da casa, tempo e atividades na cozinha e saúde da família. 

Foram medidos os níveis de poluição de fumo nas cozinhas. Numa comunidade, o nível de partículas prejudiciais aos pulmões presentes no ar era 100 vezes maior que os níveis aceitáveis. 

Encontros de grupos focais 

Os participantes citaram os seguintes problemas associados à poluição dentro de casa:

Os participantes fizeram uma lista de alguns benefícios do fumo, tais como secar a lenha, repelir insetos e conservar os cereais.

Os grupos focais citaram três formas fundamentais de melhorar a situação:

Intervenções 

Foram feitos debates em grupo e visitas a casas individuais para determinar posições para as janelas, os beirais e as coifas para fumo. Foram feitos modelos de coifas com papel, os quais foram verificados pelos construtores locais, que eram experientes em técnicas de fabricação local ou haviam sido treinados como parte do projeto. 

Uma vez que estas melhorias haviam sido feitas, as famílias foram treinadas para usá-las e mantê-las devidamente. Isto foi realizado principalmente através dos grupos de mulheres. Por exemplo, foi salientada a importância de se abrirem as janelas para que as melhorias fossem eficazes. 

Resultados 

Os beirais maiores diminuíram com sucesso o fumo numa comunidade. Entretanto, devido ao tipo de construção diferente da outra comunidade, não foi possível usá-los. 

O uso de janelas foi menos eficaz para diminuir os níveis de fumo nas casas, mas abrir a janela melhora a maneira como o fogo queima. As janelas tiveram outros benefícios, que melhoraram a qualidade de vida das pessoas. 

As famílias que usaram os fogões aperfeiçoados tiveram pouca melhoria nos níveis de poluição, mas beneficiaram com o uso menor de combustível, os tempos de cozimento menores e a maior segurança e facilidade de utilização. 

Os membros comunitários disseram que, como resultado das melhorias, a diminuição do fumo foi muito maior do que esperavam. Foi visto que a utilização de coifas diminuiu o número de partículas perigosas no ar em 75%. 

Foram encontrados alguns problemas. Entre eles: 

PROBLEMAS TÉCNICOS Por exemplo, as janelas deixam as cozinhas frias e com correnteza, e as lanternas apagavam-se nos dias muito ventosos. Os gatos e a poeira entravam pela janela. Porém, os gatos podiam ser evitados com uma rede. 

FATORES SOCIAIS Algumas pessoas tinham medo de que os criminosos e ladrões pudessem olhar para dentro de suas casas. As venezianas foram úteis. As coifas de chaminés dificultaram para que as pessoas pudessem inclinar-se sobre as panelas para cozinhar. 

QUESTÕES ECONÔMICAS O custo das coifas para fumo é alto demais para a maioria das famílias. Elas podem ficar mais baratas, usando-se metal velho ao invés de novo e fazendo-se algumas partes da coifa com barro e outros materiais. 

O projeto teve um impacto positivo nas vidas dos construtores locais que foram treinados como parte do projeto. Eles se beneficiam com as encomendas de coifas para fumo. As vizinhanças das mulheres envolvidas no projeto sentem que é necessário ter como alvo um grupo maior, para atender às demandas da comunidade. 

O ITDG está agora trabalhando em projetos semelhantes com comunidades nas regiões urbanas do Quênia, numa região de frio intenso no Nepal e com pessoas deslocadas no Sudão. 

Ambas Elizabeth Bates e Alison Doig trabalham para o ITDG Reino Unido, Stephen Gitonga trabalha para o ITDG Quênia, e Nigel Bruce trabalha no Departamento de Saúde Pública da Universidade de Liverpool, no Reino Unido. Para obter mais informações sobre o projeto: E-mail: lizb@itdg.org.uk ITDG, Bourton Hall, Bourton-on-Dunsmore, Rugby, CV23 9QZ, Reino Unido

Estudo de caso Saúde melhor

O marido de Refa costumava sofrer de ataques de asma e, assim, nunca ia à cozinha. Depois do projeto, ele se dispôs a ajudar Refa com o trabalho doméstico. Agora, ele acorda às 5:30 da manhã e coloca a água do seu banho no fogo. Enquanto ele toma banho, ele deixa o chá no fogo. Refa não precisa levantar-se tão cedo como costumava para fazer todas as tarefas domésticas sozinha. 

Benefícios da diminuição do fumo

Saúde melhor 

Menos trabalho

Menos gastos

Melhor ambiente

Maior oportunidade para a geração de rendimento (renda)

Empoderamento

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar