Foto: Mike Webb/Tearfund

Da: Comunicação eficaz – Passo a Passo 71

Diferentes formas de trocar informações

Às vezes, um blog é apenas um diário pessoal na internet, mas, para mim, é muito mais do que isto. É uma voz – a minha voz. A primeira vez que ouvi falar de um blog, fi quei entusiasmada. Finalmente eu poderia fazer com que a minha voz fosse ouvida.

Escrever um blog dá uma oportunidade para que você pense sobre as suas experiências e forme as suas próprias opiniões. Escrever um blog pode ser usado para causar um efeito positivo ou negativo numa sociedade. O poder de dizer o que se quer, sem censura, transfere a responsabilidade moral para o autor.

Uso o meu blog para salientar organizações no Quênia que fazem um bom trabalho nas questões de desenvolvimento. Minha principal prioridade é o HIV, e eu procuro a boa prática. Várias coisas que escrevi no meu blog já foram publicadas em jornais aqui no Quênia. Quando leio esses artigos, penso comigo mesma: “Minha voz foi ouvida.”

Os blogs agora são levados mais a sério na sociedade africana. Foi estabelecida uma Media Bloggers Association. Qualquer um pode escrever e publicar um blog na internet. Assim, os blogs são uma forma de jornalismo dos cidadãos. É também uma ferramenta de trabalho em rede: A Kenya Unlimited tem um site que está reunindo quenianos de todo o mundo para discutir questões importantes para eles.

Eu acredito que as organizações de desenvolvimento deveriam tirar vantagem dos blogs. Que melhor oportunidade há para contar a sua história com sua própria voz?

Maria Kanini trabalha para a Trans World Radio como Ofi cial de Relações Públicas e também está bastante envolvida na captação de recursos e na gestão de projetos. E-mail: mkanini@yahoo.com


Um extrato do blog de Maria

“Finalmente… a igreja está discutindo o HIV!

Nos últimos dois anos, a Trans World Radio, do Quênia, e a Tearfund, do Reino Unido, têm trabalhado para traduzir, publicar e distribuir livros em suaíli sobre o HIV. Em 2005, a Trans World Radio lançou a versão em suaíli do livro PILARES intitulado Respondendo ao VIH/HIV e à SIDA com maior eficácia. 

A idéia era fazer com que as igrejas discutissem estes livros nos seus encontros. Veja bem, o argumento é que, na África, especialmente no Quênia, a igreja não está fazendo o suficiente para lidar com o HIV. Mas a pergunta é… estamos equipando o clero para isto? Formamos uma equipe com a All Nations Gospel Church Gikomba, em Majengo, uma das favelas de Nairobi, no Quênia. Levou algum tempo para convencer o pastor titular da igreja, mas, depois, ele convenceu o conselho administrativo a aceitar a idéia. O entusiasmo dele com este projeto não pode ser subestimado.

Assim, ontem de noite… eu finalmente me encontrei com os grupos de estudo bíblico que já estão usando este livro e discutindo o HIV. Estas pessoas discutiram a pandemia sem nenhuma vergonha. Foi incrível… sem nenhuma vergonha! Este era um grupo misto, com pessoas de todas as idades, e ninguém estava com a menor vergonha de discutir sobre o motivo por que as mulheres são mais vulneráveis ao HIV. Era de se pensar que as pessoas iriam embora por causa da tensão inicial, quando começaram a falar abertamente da anatomia dos nossos corpos. Mas não. Esta igreja decidiu que já estava na hora de ser aberta, e que o silêncio já está matando pessoas há muito tempo. 

Finalmente a revolução começou. E sabe o que mais? Eu achei que eles só iam discutir este livro em quatro encontros, mas estão planejando trabalhar com o livro inteiro em mais de 20 sessões. Que tal? A idéia é simples… uma igreja de cada vez, discutindo o HIV regularmente nos seus estudos bíblicos e com seus líderes fazendo anotações para que possamos avaliar suas reações. 

Se isto não for uma revolução, então, não sei o que é!”   

Foto: Maria Kanini

Foto: Maria Kanini

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhar este recurso

Equipar pessoas que trabalham ao redor do mundo para erradicar a pobreza e a injustiça