Foto: Marcus Perkins/Tearfund

Da: Migração – Passo a Passo 78

Considera alguns dos aspectos positivos e negativos da migração

Foto: Marcus Perkins/Tearfund

Foto: Marcus Perkins/Tearfund

Como resultado dos ataques feitos pelo Exército da Resistência do Senhor (um grupo rebelde que tem lutado contra o Governo de Uganda nos últimos 20 anos) mais de 3.000 pessoas fugiram do norte de Uganda. Muitas fugiram para uma cidade chamada Soroti, no centro do país, mas algumas continuaram sua jornada até Akoboi, um pequeno povoado 25 quilômetros mais adiante. Depois de caminharem por mais de quatro dias, elas chegaram com muito pouco dinheiro e sem nenhuma comida. Os líderes comunitários de Akoboi entraram em contato com o pastor da igreja Pentecostal Assembléia de Deus (PAD) e pediram-lhe que ajudasse os migrantes da maneira que a igreja pudesse.

A principal igreja PAD de Akoboi havia sido treinada no Processo de Mobilização da Igreja e da Comunidade durante os três anos anteriores. O treinamento havia preparado a igreja para pensar de forma criativa sobre como poderia responder às necessidades da comunidade. Assim, ela foi capaz de responder com rapidez e eficácia, quando os migrantes chegaram ao seu povoado. Cinco congregações PAD locais também foram motivadas para contribuir para a resposta, lideradas pelo pastor da igreja principal.

Resposta

Quando os migrantes chegaram, os líderes das igrejas reuniram-se para discutir o que fazer. Eles decidiram que a igreja principal deveria cuidar da maioria das pessoas, mas que cada congregação local deveria cuidar de, pelo menos, uma família. Eles também decidiram oferecer o seguinte:

ABRIGO
Nas terras da igreja principal, os membros da igreja trabalharam com os migrantes, construindo 15 cabanas para abrigar 15 das famílias. As outras dez famílias foram acolhidas nas casas dos membros das igrejas.

COMIDA E LENHA
Foram fornecidas comida e lenha para as famílias migrantes até que elas pudessem ganhar seu próprio dinheiro e coletar lenhas por si próprias.

ÁGUA
Uma ONG local ficou sabendo que os migrantes haviam-se refugiado em Akoboi e decidiu abrir um poço nas terras da igreja para prover água potável segura.

ORAÇÃO E COMPANHEIRISMO
Ao longo do ano, os membros das igrejas fizeram amizade com os migrantes e oraram com eles. Os migrantes também foram convidados a freqüentar os cultos das igrejas.

As igrejas locais não receberam financiamento externo algum para o seu trabalho com os migrantes. Os membros da igreja e da comunidade ofereceram seu tempo, sua comida e materiais para ajudar os migrantes nas suas necessidades.

Desafios

Três dos principais desafios enfrentados pela igreja e pela comunidade durante o ano foram:

Lições aprendidas

O pastor e os membros das igrejas disseram que, se tivessem de repetir o trabalho, mudariam o seguinte:

O futuro

A igreja pretende juntar verbas para usar no caso de algo semelhante acontecer novamente. Para captar estas verbas, os membros das igrejas estão plantando árvores cítricas e outras para vender seus produtos.  

Resultados

Os migrantes permaneceram em Akoboi por cerca de um ano, até poderem retornar com segurança para seus lares, no norte de Uganda. Como resultado da resposta da igreja PAD em Akoboi, desta vez, foram ajudados 66 migrantes. Os migrantes ficaram muito agradecidos com a ajuda recebida e expressaram sua gratidão oferecendo à comunidade uma refeição de comemoração antes de voltarem para casa e dando aos seus bebês recém nascidos o nome do pastor e dos membros da igreja. Eles também convidaram o pastor e outras pessoas para visitá-los no seu povoado depois que estivessem novamente estabelecidos.

Antes desta resposta, os membros da comunidade viam a igreja como um local onde as pessoas “batiam palmas e gritavam”. Como resultado da resposta da igreja, a comunidade agora a vê como um grupo valioso de pessoas que ajuda os necessitados. O pastor comparece aos encontros do conselho comunitário, e sua opinião é valorizada. Os membros das igrejas têm confiança e um novo senso de propósito.

A igreja também percebe que é melhor dar do que receber, e que Deus honrou sua fidelidade. Eles vêem o poço no recinto da igreja, o qual será uma fonte de água segura por muitos anos, como um presente de Deus por tudo o que fizeram ajudando as pessoas necessitadas.

Este artigo está baseado num longo estudo de caso de Andrew Bulmer. Ele é um consultor independente, especializado na mobilização da igreja e da comunidade.

Para obter mais informações, entre em contato com:

Jane Achaloi, PEP Coordinator for PAG, Plot 9 Bandali Rise, Bugolobi, PO Box 10113, Kampala, Uganda.

E-mail: francesachaloi@yahoo.com

O que é o Processo de Mobilização da Igreja e da Comunidade?

É uma série de encontros de treinamento, discussões e estudos bíblicos, usados para ajudar os membros das igrejas a compreenderem que têm a responsabilidade de lidar com a pobreza e a injustiça. A igreja trabalha com a comunidade avaliando e priorizando as necessidades e avaliando os recursos que Deus lhes deu para resolver estas questões. As pessoas, então, tomam medidas práticas para fazer uma diferença positiva na sua situação.

Para obter mais informações, visite a página de Igrejas (Churches) em www.tearfund.org/tilz

Foto: David Evans

Foto: David Evans

Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar

Cadastre-se agora para receber a revista Passo a Passo

Uma revista digital e impressa gratuita para pessoas que trabalham na área de desenvolvimento comunitário

Cadastre-se agora