Foto: Richard Hanson/Tearfund

Da: Gestão do risco diário – Passo a Passo 79

Como gerir os riscos que encontramos na vida diária

Foto: Richard Hanson/Tearfund

Foto: Richard Hanson/Tearfund

Lesley e David Mundy   

Realizar uma avaliação de riscos consiste em pensar sobre o que poderia causar danos às pessoas e às coisas, para decidirmos que medidas tomar para garantir que ninguém se machuque e nada se danifi que. As avaliações de riscos não precisam ser complicadas. Muitas vezes, as ameaças são poucas e óbvias. Depois de ver a importância de gerir os riscos em várias situações pelo mundo, este artigo explica claramente como realizar uma avaliação formal de riscos.

É necessário fazer uma avaliação de riscos sempre que houver grupos grandes de pessoas ou grupos de pessoas vulneráveis, como crianças, envolvidos num evento ou num local específico. As avaliações de riscos precisam ser adequadas e suficientes, mas não precisam ser perfeitas. Elas devem ser realizadas de antemão para dar tempo de se pensar sobre elas e tomar medidas para minimizar os riscos.

Há duas palavras importantes na avaliação de riscos:

Exemplo de uma situação que precisa de uma avaliação de riscos 

Sua igreja está planejando um piquenique num parque local para as crianças da Escola Dominical após o culto do Domingo de Páscoa. Há mais de 120 crianças entre cinco e doze anos de idade. Há oito professores na Escola Dominical. Cinco deles são mulheres, e três têm menos de 18 anos de idade. O parque fica a aproximadamente dois quilômetros de caminhada da igreja. Os professores da Escola Dominical trarão a comida para o piquenique. Depois do piquenique, eles organizarão jogos para as crianças brincarem no parque, antes de retornarem para a igreja por volta das 5 horas da tarde.

Há quatro passos básicos para avaliar os riscos.

PASSO 1 
Quem poderia sofrer danos? 

Primeiro, pense sobre quem estará presente num evento ou num local específico. Depois, pense sobre quem poderia ser afetado mesmo que esta pessoa não esteja envolvida diretamente (por exemplo, os espectadores de um evento). Neste primeiro passo, você deve fazer uma tabela e escrever, na primeira coluna, uma lista de pessoas ou grupos de pessoas que poderiam sofrer danos (veja a Tabela 1 na próxima página). 

Quem poderia sofrer danos no exemplo do piquenique?  

PASSO 2 
Como estas pessoas poderiam sofrer danos? 

Para cada pessoa ou grupo de pessoas, pense sobre as ameaças que lhes poderiam causar danos. Algumas pessoas podem ser mais vulneráveis a certas ameaças. Lembrese também de pensar sobre as ameaças no meio ambiente, como, por exemplo, as condições meteorológicas. Pense sobre os danos que cada ameaça poderia causar para as pessoas ou para os grupos de pessoas. Classifique cada ameaça como fatal, séria ou pequena. Escreva estas informações na segunda coluna da Tabela 1, ao lado da pessoa ou do grupo de pessoas afetado.

Como estas pessoas poderiam sofrer danos no exemplo do piquenique? Algumas ameaças que poderiam causar danos para as crianças da Escola Dominical são:

Algumas ameaças que poderiam causar danos para os professores da Escola Dominical são:

PASSO 1 Quem poderia
sofrer danos?

PASSO 2
As ameaças

PASSO 3 Classificação dos riscos
Crianças da Escola
Dominical

Sofrer um acidente cami nhando entre a igreja e o parque local.

Fatal ou séria, dependendo do
acidente.

Provável A probabilidade de um acidente dependerá da segurança do caminho
usado entre a igreja e o parque local e da eficácia da supervisão das crianças realizada pelos professores.
Professores

Ser ferroado por um inseto ou tocar numa planta tóxica no
parque.

Pequena.

Improvável A probabilidade de isto
acontecer pode depender de onde o
piquenique for realizado no parque.
Outros visitantes do parque

Ser machucado por uma bola durante um jogo.

Pequena.

Provável A probabilidade de outro
visitante do parque ser atingido por uma bola durante um jogo dependerá de onde os jogos forem realizados e do tipo de jogo.

TABELA 1

PASSO 3 
Qual é a probabilidade dos riscos? 

Pense sobre cada ameaça e a probabilidade de que ela cause danos. Classifique a probabilidade do risco como inevitável, provável ou improvável. Isto determinará se você precisa ou não tomar mais medidas para reduzir o risco.  

Qual é a probabilidade dos riscos para as crianças no exemplo do piquenique? Isto é explicado na coluna 3 da Tabela 1. 

Com as informações das colunas 2 e 3, você agora pode avaliar o risco de acordo com a sua gravidade e a sua probabilidade de acontecer. Por exemplo, um acidente a caminho do parque será provável e sério

Dando prioridade a quaisquer riscos que sejam fatais ou sérios e inevitáveis ou prováveis, você poderá fazer uma “lista de ações”. Faça duas perguntas a si mesmo:

Talvez haja uma opção menos arriscada que possa ser considerada. Por exemplo, a escolha entre caminhar por uma rua movimentada e caminhar por uma rua tranqüila altera consideravelmente a probabilidade de acidentes. O seu objetivo é diminuir o risco tanto quanto possível. Mesmo depois que todas as precauções foram tomadas, geralmente ainda permanece algum risco. O que você tem de decidir para cada ameaça é se o risco que permaneceu é alto, médio ou baixo. Com esta informação, você poderá decidir se vale a pena corrê-lo.

PASSO 4 
Preencha um Formulário de Avaliação de Riscos 

É útil manter um registro escrito da sua avaliação de riscos, mostrando as ameaças e as precauções que você está tomando para reduzir os riscos. As informações que você reuniu nos Passos 1, 2 e 3 agora podem ser usadas para preencher um Formulário de Avaliação de Riscos.

Uma avaliação de riscos bem escrita mostra que:

O modelo abaixo pode ser útil para registrar a sua avaliação de riscos: a primeira linha dá um exemplo. A sua avaliação de riscos escrita pode ajudá-lo no futuro, lembrandoo de ameaças e precauções específicas de que você precisa estar ciente. Você pode se certificar de que as precauções ainda sejam relevantes e funcionem. Você também pode usar a sua avaliação de riscos escrita quando a situação mudar e você precisar reavaliar os riscos.

Lesley Mundy trabalha como babá profi ssional registrada, cuidando de crianças em idade pré-escolar.

E-mail: lamundy@btinternet.com O

Dr. David Mundy trabalha como consultor independente especializado em desenvolvimento organizacional e gestão de programas.

E-mail: dhmundy@btinternet.com 

TABELA 2 - Um exemplo de um Formulário de Avaliação de Riscos

AVALIAÇÃO DE RISCOS DA VISITA

Local Parque da Alvorada

Preenchido por Marta Pereira

Data 13 de dezembro de 2OO8

QUEM CORRE
RISCO?
AMEAÇA CLASSIFICAÇÃO
DO RISCO
PRECAUÇÕES
EXISTENTES
PRECAUÇÕES
ADICIONAIS
RECOMENDADAS
MEDIDAS TOMADAS
(INCLUINDO A DATA)
DATA DE
REVISÃO

Crianças

Rua
movimentada

Provável e
séria

Usar uma rua
tranqüila

Caminhar em duplas

Avisar as crianças sobre os riscos de antemão

As crianças serão
informadas sobre a atividade no dia 2O de janeiro

2 semanas
antes do
Domingo de Páscoa


Conteúdo com tags semelhantes

Compartilhe este recurso

Se você achou este recurso útil, compartilhe-o com outros para que eles também possam se beneficiar